Log In

Reviews

Castle – Headhunters e Undead Again

Pin it
Série: Castle
Episódios: Headhunters e Undead Again
Número dos Episódios: 4×21 e 4x22
Exibição nos EUA: 16/04/2012 e 30/04/2012

Estou muito em dívida com os leitores das reviews de Castle. Meu tempo diminuiu consideravelmente nas últimas semanas, e acabei não tendo muita disposição para escrever. Mas as coisas estão entrando nos eixos, o que significa que a review da finale sairá rapidíssimo. Podem cobrar. Então, como não falei de Headhunters, vou dar uma comentada – rápida e básica – sobre o episódio, antes de falar de Undead Again.

Em Headhunters tivemos a aguardada participação de Adam Baldwin, que dividiu com Nathan Fillion os sets de gravação de Firefly. O ator deu vida ao detetive Ethan Slaughter, o novo parceiro – temporário, graças! – de Castle. E essa parceria só foi possível porque a dinâmica de Castle e Beckett ficou bem comprometida após o escritor descobrir que ela lembra da declaração de amor.

O episódio foi uma comédia só. A dinâmica entre a dupla Slaughter e Castle foi ótima, e rendeu cenas divertidas e engraçadas. O detetive Ethan tem métodos bastante diferentes de investigação, e a coisa ficou tão séria que foi preciso aquela intervençãozinha básica de Beckett pra livrar a cara – e garantir a sobrevivência – de Castle. E, ainda por cima, pra garantir que um inocente não fosse parar atrás das grades.

Mas a intervenção de Beckett não significou que as coisas voltassem ao normal entre nossa amada dupla. E em Undead Again Castle parte para aquela que promete ser sua última investigação junto de Kate. E isso só porque Martha cobrou maturidade do filho, alertando que sua ausência nada mais era do que uma forma de punir Beckett pela dor que ele estava sentindo. Senão ele teria ficado em casa, fazendo birra.

Foi, mais uma vez, um episódio divertido. É sempre tão engraçado quando Castle embarca nas teorias furadas que ele cria, nem que seja apenas para ver Beckett contrariada – como ele mesmo confessou para Ryan. O caso foi interessante, e no final das contas o culpado era o playboy, e não o zumbi. Mas durante a investigação pudemos viver todo aquele clima The Walking Dead com recursos financeiros limitados e nos divertir bastante. É cada filosofia de vida que aparece em Castle

E Castle, que se dedicou ao máximo para encerrar satisfatoriamente as investigações do seu último caso, permaneceu. Porque assim como quem não quer nada Beckett achou um jeitinho de pegar um gancho numa fala sobre terapia e dizer para Castle que através dela conseguiu lidar com tudo – sim, TUDO – que aconteceu no fatídico dia do tiro, e que aquele famoso muro já não é tão mais resistente assim. É, ela não retribuiu o eu te amo, ainda. Mas deixou bem claro para Castle que a assimilação de todos aqueles eventos levou um tempo, mas que o processo está encerrado.

Ou seja, as coisas estão mudando entre eles. Evoluindo. Sairam daquela mesmice que eu tanto mencionei. Agora só não pode haver retrocesso. Ainda que nada aconteça entre eles, a dinâmica não pode voltar para aquele antigo “raspas e restos me interessam”. Por que não nos interessam mais. (Exagerei, interessam sim. Mas se quiserem servir a refeição completa, não me oporei).

Outra coisa que mudará, agora, é a dinâmica entre Castle e Alexis. A garota definitivamente cresceu, e é chegada a hora de ir para a faculdade. E o distanciamento exige amadurecimento de Castle, também. Ele precisará respeitar o espaço da filha, que é também sua maior parceira de brincadeiras. E vai ser bem interessante acompanhar essa nova fase de Alexis na 5ª temporada, e ver as reações de Castle e Martha à ela.

Na semana que vem, o último episódio da inconstante – para mim – 4ª temporada. Assisti a promo e posso afirmar que o episódio promete – e muito. Se entregar tudo aquilo que está vendendo, deve ser o melhor da temporada, e ainda nos deixar ansiosos por setembro. Então, até semana que vem!

P.S.: em menos de duas semanas a ABC deve anunciar os cancelamentos e renovações. A renovação de Castle é dada como certa, e os altos índices de rating e de audiência do seriado fazem os fãs respirarem mais aliviados.

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

2 Comments

  1. GBispo

    Estou contente pelo seu retorno. Os dois episódios só fizeram aumentar minha ansiedade pelo último que será amanhã (hoje). Aguardarei sua resenha e comentários, principalmente por que parece que o “muro” cairá”.

  2. Pingback: Destaques na TV – Quarta, 3/10

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account