Log In

Reviews

Castle – Disciple

Pin it
Série: Castle
Episódio: Disciple
Número do episódio: 6x09
Exibição nos EUA: 18/11/2013
94.941176470588
4.7
17

Quem aqui gosta de um suspense? Eu, particularmente, fico sempre em um meio termo. Para os livros, os romances-policiais, com uma pitada de suspense, sempre me ganharam (sou fã do Sidney Sheldon sem moderação!), mas quanto a séries, esse gênero nunca me conquistou. Porém, se tratando de Castle, houve uma exceção. Essa série que estreou em 2009 trazendo uma versão gostosa de uma mistura ente suspense, crime, drama e comédia saiu de todos os padrões quando o assunto é inovar. Não posso ter certeza, devido a junção deles, de qual desses gêneros eu mais gosto, mas de uma coisa eu sei, e afirmo: Castle é um gênio no mistério.

O melhor caso até agora, o mais elaborado, o mais arrepiante, o mais truncado. As pistas simplesmente não se encaixavam, e o desfecho foi ainda mais impressionante. Disciple traz de volta aquela dor de cabeça que surgiu lá no início da terceira temporada e parecia ter sido aniquilada na quinta. O episódio dessa semana ressuscita o maior vilão, se assim vocês me permitem nomeá-lo, que a série já apresentou. E o que parecia ser apenas algo relacionado à relação entre Lanie e Esposito se tornou maior do que a NYPD poderia lidar.

Que tal Nova Zelândia?

Uma moça é encontrada morta, enforcada, em uma marina. Apesar do fato de seus pés não encostarem no chão – o que nós só vamos perceber que era por causa de uma linha amarrada em seu pescoço depois do susto já ter sido dado -, até então nada era incomum. A cena, também, é amenizada pela voz do Castle adentrando-a, e logo em seguida por uma imagem que sempre me derrete: os dois naquela fase caseira. O escritor fazendo brincadeira com a comida, a detetive relaxada, e o assunto rondando a lua de mel. Castle quer, mais uma vez, levá-la a lugares exóticos, mas logo o barato dele é cortado. Beckett quer algo romântico, só que com uma ressalva: o lugar não poderia ter sido visitado por ele e por qualquer uma de suas ex-esposas. Mais difícil que isso só tirar água de pedra, né, querida? Não me espanta que só tenham sobrado Albânia e Finlândia.

Porém, essa cena inicial só serviu para nos despistar do que o episódio realmente seria feito. Aliás, despistar, enganar e deixar tudo muito vago foram as maiores características desse caso que, de tão complexo, eu tive que vê-lo umas duas vezes.

castle - disciple 01

Como eu disse, com a morte nada havia de incomum – isso até verem seu rosto. Estranhamente, e por alguma razão inexplicável, o corpo da vez era de Pam Hodges, que possuía o rosto idêntico ao de Lanie! Mas não só o rosto, como o produto que usava no cabelo, as unhas, os cílios e o que mais espantou a nossa legista, uma mesma tatuagem, num mesmo lugar. Logo, e evidente, começamos a ligar ao caso a Lanie, e independente do quão assustador era aquilo tudo, o caso trouxe duas coisas que eu senti falta: Tamala e Esplanie. Eu tinha dito, em reviews anteriores, que o trabalho da Tamala era pouco utilizado e parece que alguém me ouviu. E, assim como ela apareceu mais vezes e teve a chance de mostrar seu potencial, Esplanie também ressurgiu das cinzas. Amo qualquer momento que os dois compartilham e juro, juro mesmo, que não entendo porque Marlowe ainda não os juntou de fato. A preocupação e o carinho que cada um sente pelo o outro é evidente e esse chove não molha não faz sentido algum pra mim. E mais! Como assim eles estão se vendo nos últimos 6 meses e nós não temos visto nada? *um minuto para deixar a indignação ir embora, por favor. Obrigada.*

Não, não é você, Esposito.

Voltando ao caso, tudo fica ainda mais confuso quando o corpo de Daniel Santos é encontrado dentro de um barco, e nas mesmas condições de Pam, mas agora o rosto imitado é o do Esposito. Nessa hora minha cabeça deu um nó. Eu pensei, peraí, isso não é só sobre Lanie, é sobre os dois! E era isso que eles queriam que a gente pensasse, que era algo superficial sobre o relacionamento deles. Mas não. Algo estava errado. Tinha que ter alguma conexão entre os dois. E tinha mesmo, com nome e sobrenome. Doutora Kelly Nieman.

Ela, a doutora, além da sua fixação pelo rosto da Beckett (te entendo, doc), conseguiu, também, escorregar da situação. Era sim ligada aos dois, um por ter feito uma cirurgia, outro por manter relações sexuais, mas nada que a ligasse concretamente ao caso. E só é quando Ryan aponta Carl Matthews como um suspeito, o segurança que havia aparecido de relance e mais parecia um figurante – está aí o porquê do show ser um gênio no mistério, quem suspeitava de Carl? Aliás, quem o tinha visto até então? – que uma pista finalmente parece ser concreta. Se o nó que havia sido feito logo no início já estava grande, imagina a essa altura do episódio? Mas como tudo em Castle pode ficar pior, o nosso escritor preferido surgiu com mais uma de suas teorias loucas, e que pela primeira vez eu não queria que estivesse certa.

Em caso de não saber para onde ir, vá para o lado do 3XK.

A última vez que Jerry Tyson, o carinhosamente apelidado de 3XK, apareceu na série foi em Probable Cause, quinto episódio da quinta temporada. E, como Castle havia atirado nele, Beckett não acreditou quando o escritor o sugeriu como causador dessas novas mortes. Mas como vocês bem lembram, o corpo de Tyson nunca foi encontrado e isso, em uma série, é quase como dizer “ei, ele não morreu e vai voltar, ok?”. E, se como isso só não bastasse, todos os arquivos dele sumiram do departamento, clareando as coisas quando descobrimos que foram retirados pelo Esposito. Não o verdadeiro, o falso.

Finalmente, as ligações começaram a ser feitas. No meio de todas as dúvidas, uma coisa era certa: os sósias foram feitos para roubarem os arquivos. Quem mandou? Não sabemos. Carl, que foi interrogado, confessou as mortes, mas nada disse sobre o 3XK. Como ele armaria tudo? É claro que tinha alguém por trás, mas tirando ele ter se hospedado no mesmo hotel e mesmo quarto que Jerry quando este estava sob custódia, nada havia de concreto para determinar que o serial killer era o mandante de tudo. Para mim, não restam dúvidas de que eles possuem uma ligação, mas para a NYPD só isso não basta.

Nieman também não estava limpa. Tempos depois, mais uma evidência que o 3XK está de volta surge: Nieman era médica voluntária na prisão em que Tyson estava, e entrou assim que ele chegou lá e também saiu quando ele foi embora. Se isso não bastava para culpá-la, fugir era o suficiente, não é? A doutora largou seu consultório, mas deixou um presentinho para Beckett. E, graças a isso, tivemos uma das melhores cenas que Castle já exibiu.

castle - disciple 02

castle - disciple 03

We’ll meet again… 

Brilhante. É o que eu diria se tivessem perguntado como eu definiria essa cena. Não só pelo ar de suspense, mas principalmente pela atuação da Stana. Eu realmente fiquei com medo. Ela conseguiu passar toda a tensão, toda a surpresa que Beckett sentiu quando as primeiras notas da música começaram a eclodir pela sala. Algo ali mexeu com ela, e mexeu fundo. A música nunca apareceu na série – pelo o que eu me lembre -, mas tem algum sentido pra ela. Várias são as opções, mas é difícil ir por algum caminho. Que é algo do passado, ah, isso é. Uma memória da mãe? Uma música que as duas escutavam em casa? E se for, como que Nieman, e também 3XK, sabiam disso? A música representa algo de vulnerável em sua história e o fato de estar ali, naquele contexto, sendo escutada a deixou transtornada. Eu considero essa cena a melhor que eu já vi em Castle. Melhor que os dois congelando, melhor que ela quase caindo do prédio. O silêncio naquela sala me fez sentir calafrios e quando isso acontece, é porque a cena foi além de uma simples atuação.

Não tenho palavras para definir Disciple. Quem sabe melhor episódio da temporada até agora? A retomada do 3XK só afirma o fato de que a sexta temporada não vai ser nem um pouco só e somente sobre Caskett. E, ao saber também que a história do pai do Castle vai ser tratada de novo, eu fico cada vez mais animada pelos próximos episódios. Castle se tornou aquela série que você não faz A MÍNIMA ideia do que será tratado no episódio seguinte e isso é muito bom. Quando saberemos o que essa música representa? 3XK vai mesmo reaparecer? Vão falar de novo da mãe dela? Não sei, você não sabe, acho que nem Marlowe sabe ainda. Mas eis uma coisa que eu sei: estarei aqui, semana que vem, comentando mais um episódio e espero que vocês também. Até lá!

PS1: Essas roupas e cabelos da Beckett me lembram tanto a terceira temporada e me iludem quanto ao fato dela ter  cortado o cabelo quase todo mais uma vez. Me façam feliz e continuem com o aplique.

PS2: Ryan empatava Caskett e agora empata Esplanie. Assim não dá.

PS3: Sabe um bom lugar para a lua de mel? Brasil, especialmente Rio de Janeiro. Calor aqui é o que não falta. #Rio40graus

Séries citadas:

Futura professora, 20 anos, estudante de Letras da UFF, monitora de Português do Colégio e Curso pH e amante de uma boa literatura. No TeleSéries é editora de reviews e reviewer de Castle e Bad Judge. É viciada em séries e dizem por aí que shippa praticamente tudo que se move. Fã incondicional de Roberto Carlos, ama também falar em 3ª pessoa.

Website: http://minhaasconfissoes.blogspot.com.br/

15 Comments

  1. Jaque

    Parabéns pela review. Realmente foi um dos melhores episódios da série e você soube detalhar da melhor forma.

  2. Bianca

    Ótimo episódio! Eu acho q a música era um recado do 3XK para eles… que ele voltará! Ouvi falar tb q era uma musica do episódio do blue butterfly… sinistro

  3. Fátima

    Review maravilhosa, parabéns! Quando acabei de assistir, só pude dizer “uau”. Também não lembro se ela já tocou antes, mas a reação que causou, realmente, me impressionou. Castle arrasando nesta temporada. E se vão voltar a falar do pai de Rick, estava mais do que na hora. Acredito que, se tiver esse episódio, vai ser focado em Martha.

  4. Sloany Medeiros

    Última cena divina!Stana Arrasa! Ótima Review, Parabéns!

  5. Vick

    Parabéns meu bem! Adorei a review! Sempre gosto muito de ler suas reviews porque sua escrita é maravilhosa!! *—-* adorei adorei!!

  6. Carol Fernandes

    Parabéns , sua crítica é maravilhosa , você estará aqui comentando o próximo episódio e eu estarei aqui lendo com toda certeza .
    Descreveu o episódio incrivelmente .
    :))

  7. Ana Botelho

    Sério que tocou em Blue Butterfly? Preciso rever! hahaha cadê minhas férias pra isso, senhor? T.T
    E eu também aposto que a música era um recado, mas nao creio que seja só pela letra que ela se assustou. Tem algo a mais ali, só não sabemos o que é ainda haha

  8. Ana Botelho

    Obrigada pelo elogio, Fátima!
    Não sei se vão focar só na Martha se falaram do pai dele mais uma vez. Quem sabe não vão para o lado daquela história da CIA? aliás, é isso mesmo que eu pretendo ver. Quero muito entender esse rumor de que ele é um agente (ou ex-agente, não sei).

  9. Ana Botelho

    Obrigada, Sloany!
    E sim, Stana deu um show a parte nessa última cena!

  10. Ana Botelho

    Opa, obrigada, Carol!
    Espero vê-la aqui então *-* fico no aguardo (:

  11. Bianca

    “The song played at the end of the episode is by Vera Lynn. Vera and Flynn are the names of the couple in “The Blue Butterfly” who successfully faked their death. Coincidence?”

  12. Ana Botelho

    hm… interessante! vou ver se consigo assistir a esse episódio nesse final de semana pra analisar melhor!

  13. Sloany Medeiros

    Achei q fosse sobre algo em relação a mãe de Kate pela reação extrema dela e pq Castle não tava entendendo bem. E a letra da música é bem sugestiva, eu acho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account