Log In

Reviews

Castle – Dial M for Mayor

Pin it

Série: Castle
Episódios: Dial M for Mayor
Temporada:
Número do Episódio: 4×12
Data de Exibição nos EUA: 16/01/2012

Se na semana passada eu não fiquei completamente satisfeita com o episódio de Castle, nessa semana a história mudou. Isso prova minha teoria: quanto menos expectativas criarmos sobre um episódio – e menor for o auê em torno dele – melhor. Pelo menos no meu caso.

Aliás, ponto pra mim! Dial M for Mayor abordou, ainda que de forma indireta, a trama do assassinato de Johanna Beckett. E, por causa disso, nosso amigo misterioso, que foi introduzido em Rise, apareceu novamente. E com ele vieram uma série de teorias sobre a sua identidade, e sobre as pessoas para as quais ele trabalha, ou com as quais trabalha. E a grande pergunta é: por que Beckett só estará segura enquanto Castle estiver por perto.

Fica claro que o homem misterioso tem ligação com pessoas muito poderosas. Mais poderosas, inclusive, que o prefeito. E que fazem de tudo para que Kate continue ignorando a identidade do assassino da mãe, a ponto de manchar a reputação do prefeito para que sua trajetória política fosse comprometida. Penso eu que o interesse dos criminosos era afastar o prefeito do cargo, não por razões eleitoreiras.  Mas apenas porque Castle perderia o livre acesso à Beckett e à delegacia com o afastamento de Wheldon do cargo. Ele se afastaria de Beckett. E vocês lembram a missão de Rick, dada a ele pelo homem misterioso em Rise? Manter Kate afastada do caso, garantindo assim sua segurança. (À propósito, aqui cabe direitinho a frase de Gates para Beckett. Fazemos inúmeras coisas, por mais difíceis que elas sejam, – inclusive mentir – para proteger aqueles que “amamos”).

Confesso pra vocês que as coisas ainda não estão claras na minha mente. Falando a verdade, acho que elas estão longe de estar. Por que Castle é o elo para a proteção de Beckett? Kate tem todo o aparato policial do NYPD à sua disposição, seria bem crível que eles pudessem lhe fornecer proteção, ainda que longe de Castle. Então, me pergunto: qual a ligação do escritor com o caso todo? Sua utilização pelos “poderosos” se deve apenas ao vínculo emocional dele com a detetive – ele ser o único que consegue mantê-la afastada do caso, como disse uma vez o saudoso Captain – ou há outras ligações que ainda desconhecemos? Ainda há muito para descobrirmos. Por enquanto, estou solta no campo das especulações.

E o quanto ao caso? Adorei essa investigação. Cheia de reviravoltas, mas não daquelas mirabolantes. Quem diria que a vítima ia passar de uma professora que abandona, sem motivos aparentes, sua carreira e sua vida; por uma atendente de tele-sexo até chegar em uma voluntária infiltrada para levantar material de pesquisa para um livro? Achei tudo muito interessante e, melhor, verossímil. E a aparição do prefeito como possível suspeito deu a tônica do episódio.

Nós sabemos como Castle é leal com seus amigos, e como costuma defender seus pontos de vista com base nessa lealdade pessoal. E colocar um dos grandes amigos de Castle – e o responsável por sua parceria com Beckett – como suspeito foi uma jogada de mestre.

Era óbvio que isso criaria uma tensão entre o casal. Mas quem esperava uma ruptura, ou alguma briga mais forte, enganou-se. Por que o relacionamento Casckett está em outro nível. Foi visível o sofrimento de Beckett em investigar o amigo de Castle. Ela conhecia, e muito bem, o risco que estava correndo. Sabia que o fato de que seguir nas investigações poderia afastá-la definitivamente do escritor, e encerrar a “parceria”. Por isso ela agiu com cautela, e relutou tanto em entregar as evidências para Iron Gates.

E Castle, às vezes tão birrento e imaturo, soube argumentar com respeito e compreensão. Ele reconheceu que Kate estava apenas fazendo seu trabalho, e percebeu que aquilo estava sendo custoso para ela. Ele seguiu suas próprias investigações – com muito auxílio – e conseguiu inocentar o amigo. E o melhor? Tudo com o apoio de Kate que, embora fazendo seu trabalho, torcia para o prefeito não ser o culpado.

O episódio foi shipper sem ser. Sem ter aquele final fofo com o qual estamos acostumados (a fofura foi aqui substituída por tensão e . E pra mim foi uma prova de que, ainda que eles sejam um casal, as coisas continuarão funcionando na 12th. Por que eles aprenderam, ainda que inconscientemente, a separar as coisas. E isso é lindo.

Finalizando, vocês notaram que esse é o 2° caso de Kate que fica sem resolução. O 1°? O assassinato de sua mãe. Podemos supor que essa “coincidência” indique que as mesmas pessoas estão por trás de ambos? Penso que sim. Resta descobrirmos quem são os mais poderosos que o prefeito. Mais uma vez será alguém que conhecemos? Ou alguém do passado de algum dos personagens. Eu, pessoalmente, aposto que a introdução do pai de Castle na trama vai se dar de forma “bombástica”. Quem sabe Castle-pai não está no grupo de poderosos? Quem sabe ele não é o homem misterioso que mantem contato com Castle. Ou, pior, será que ele não é o assassinato de Johanna? Muitas perguntas oriundas do meu brainstorm semanal.

Semana que vem vai ao ar Embarrassment of Bitchiness. Não sei do que se trata, não faço ideia do que irá acontecer. Mas, em se tratando de Castle, aposto que vem coisa boa por aí! Alguém que apostar comigo?

P.S.1: impagável a cena do ensaio de Martha. Totalmente diva louca. Me diverti demais. Mas ainda estou com a sensação que Martha, e também Alexis, estão sendo subaproveitadas na temporada. Compreendo que é difícil gerenciar tantos personagens e dosar seu espaço, mas não deixo de ter uma esperançazinha que elas apareçam mais e melhor.

P.S.2: adoro xadrez, e fiquei empolgada com a analogia do caso Beckett-mãe com um jogo de xadrez. Especialmente com a menção aos peões. Quem seria o peão da vez, aquele ser aparentemente impotente que pode colocar o Rei em xeque-mate, ou derrubar a rainha? Estou louca pra saber!

P.S.3: que momento tenso o final do interrogatório do assistente do prefeito. Quando ele ia revelar o nome dos poderosos, eis que surge o advogado. Desconsiderando o fato que isso não aconteceria na realidade – advogados não tem livre acesso às salas de interrogatório -, achei essa cena perfeita.

P.S.4: e não é que o advogado do interrogado bate com a descrição do assassino? Coincidências…

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

18 Comments

  1. Gabrielle Oliveira

    Teorias, teorias, teorias… Parece que até chegarmos no Cheque-mate vamos ter uma trama com muitas pontas soltas para atar.

    Concordo com o que falou, mostrou-se que caskett estão em um novo nível. E o que são os olhares e sorrisos que de vez em quando flagramos a Becks dar quando fala ou olha para o Castle? Meu pobre coração não aguenta isso…

    O que são as musicas tensas que colocam nessa série? Em Knockout, Rise, nesse… Meu Deus!

  2. Keila

     Gostei do episódio. O caso da moça morta no carro do prefeito me lembrou a série The Killing. Para quem não conhece a série a (Rosie Larsen) é encontrada morta no carro de um vereador que está concorrendo a prefeitura, e a história da série gira em torno de quem matou e por que matou ela. Recomendo, passa no canal A&E.

  3. Jenifer Souza

    Nosssaaa senhora! Adorei ver o epi e logo cair aqui na review. 

    Concordo que Alexis e Martha estão sendo mal aproveitadas, gostava de vê-las ajudando Castle a desvendar os assassinatos.

    Catle e Kate estão em outro nível sim, mas até quando???

  4. Carol Pallos

    Gente, esse ep foi maravilhoso, adoro qdo trazem o caso da mae da Beckett a tona…fico aqui imaginando todas as possibilidas pra descobrir quem é o mandante do assassinato dela…
    Outra coisa que eu achei, é que Gates tbm sabe de alguma coisa, a dica dela pra Beckett resolver o caso peça por peça, me soou bem suspeito…nao que ela esteja envolvida de uma má forma, mas que ela sabe de alguma coisa, sabe.

    Adorei a review, castle surpreende a cada ep!!

  5. Raquel

    Minha conclusão: Castle precisa urgentemente conquistar a confiança e simpatia de Iron Gates, pra não precisar da boa vontade de mais ninguém pra estar lá.

  6. Therezinha Tucci Therê

    Seu  review  chegou antes  mesmo  de  eu  ter  assistido  ao  capítulo.  e  ambos  estiveram  ótimos  .(tanto  o  capítulo  como  seu  review), Parabéns.   
    Vc,  conseguiu  capitar  nas  entrelinhas  dessa  intrincada  estória  e  tirar  conclusões interessantes.
    Sua  alusão  ao  pai  de  Castle  é  uma    ideia  plausível,  pois  ficou  provado  que  tem  alguém amparando  nosso  querido  escritor .  Afinal  esse  personagem   existe  (mas  nunca  foi  citado)  e  estamos  vendo  que  Castle  está  sendo  protegido  por  alguém  com  muito  poder  e  que  se  preocupa  muito  com  ele,  portanto se  não  for  o  seu   pai,  quem  poderia  ser?  A  Marta  é  pouco  provável.
    Como  sempre,  o  capítulo  esteve  fantástico. A  luta  íntima  de  Kate  em  não  implicar  Castle  foi  muito  bem  explorada,  Stana  esteve  perfeita,  demonstrando  o  quanto tem  valorizado   suá  personagem.
    Gosto  muito  quando  é  abordada  a  trama  do  assassinato  de  Joanna  Becket,  pois  essa  é a  estória  central  da  série.  
    Gosto  mais  ainda  quando  Kate  demonstra  o  quanto  se  preocupa  com  seu  parceiro  e  ela  não  consegue  mais  esconder  o  quanto  está  apaixonada  por  ele. 

      

  7. Mônica Almeida

    Mariela, show, sua review. E, incrível, pensei inicialmente no pai do Castle como sendo um poderoso novaiorquino e possível assassino da Johanna, mas depois pensei melhor. Se o cara fosse poderoso em Nova York, a Martha já teria contado ao filho quem seria o pai dele.A não ser que ele seja um poderoso anônimo, o que é pouco provável. O assassino da mãe da Beckett deve ser um juíz, daqueles bem antigos e respeitados. Especulações, especulações…
    O fato é que adorei o episódio. Também acho que a Martha e a Alexis estão subaproveitadas, mas o pouco que elas aparecem (principalmente a Martha) elas arrasam.Esperando ansiosamente o próximo episódio…e a próxima review.

  8. Mariela Assmann

    Garotas, obrigado pelos comentários! Legal saber que eu não teorizo sozinha! Quem sabe, trocando ideia, a gente não chega perto da “verdade”? =)

  9. Claudia Temporal

    Gostaria de saber quando começa a 4 temporada no Brasil?

  10. Denise Horst

    Fiquei tão feliz agora de ver que não sou a unica achando que a Gates sabe mais do que aparenta. Em todas as cenas dela com a Beckett nesse episodio, eu tive a leve impressão de que ela trabalha para Big Bosses desconhecidos…

  11. Bianca Mafra

    Gente, monica cheia de teorias! sentindo muita falta da alexis e da mãe do castle, um pouco menos hoje porque ela ainda meio que aparece. episódio excelente. e nem daria para desconfiar do prefeito, ele tem aquela cara toda gente boa mesmo. e olha o Wendell fazendo vilão, meia boca, mas vilão. e Mariella, excelente review

  12. Therezinha Tucci Therê

    Gostaria  de  ter  seu  e-mail  para  comentarmos  mais  demoradamente  sobre  Castle,  meu  seriado  preferido.
    Therê

  13. Gabi

    mais um bom episódio e mais uma boa review! vejo o episódio e já fico esperando pelo texto da semana!
    como a Keila disse, lembrou mt a série The Killing. também recomendo pq é muito boa. 

    fui procurar em lojas online os dvds de Castle e ai percebi que não tem p/ vender aqui no Brasil. como assim, gente?! alguém já viu alguma informação se há previsão p/ lançar por aqui? 

  14. Mariela Assmann

    Não tem previsão de lançamento, infelizmente. Tem até algumas campanhas dos fãs, mas nada concreto.

  15. Karen Ann

    Mari!!! Só agora li seu comment desse epi! E posso dizer q fiquei imensamente satisfeita com o enredo e com a surpresa por ver o assassinato de Johanna Beckett abordado de outro ângulo. Algumas coisas que vc abordou como o fato desse caso ser o 2o sem solução (o 1o é o da mãe dela) não foi mesmo coincidência! Escrevo uma fic paralela a temporada e Beckett ate pensa rapidamente sobre isso kkkk anyway, há muito mais envolvimento de poderosos nessa história do q podemos supor.
    E novamente concordo c vc que a maturidade entre os dois (aliás já abordada em Kill shot tb)  mostra que eles serão sempre a policial e o escritor resolvendo casos msm estando juntos como um casal. É por isso q torço pelo envolvimento deles, pq sabem separar tudo.
    E tiro meu chapéu pro tio Andrew! Para mim, Castle se supera a cada temporada e essa 4a está fantástica! (mesmo c alguns escorregões).

    PS: sobre o peão, eu entendi q Castle é esse peão capaz de ser mais importante que o rei, pois o peão consegue frear a policial e mante-la em segurança. estou curiosa msm é pra conhecer o rei kkk será que entendi errado?!

    Ótima review, as always Mari! LOL 

  16. Karen Ann

    Aiii esqueci de uma coisa básica!!!! Gates foi ótima nesse epi e tem alguma coisa por ai que não me deixa confiar nela, incluindo esse desconforto e raiva que ela tem do Castle… só nos resta juntar as peças pq Gates parece para mim ser mais um peão nesse imenso tabuleiro de xadrez, onde btw Beckett é a rainha! Stana esteve perfeita!

  17. Mariela Assmann

    Ainda não tem data de estreia, eu acho. Vou procurar saber.

  18. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 13 a 19/8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account