Log In

Reviews

Castle – Cops & Robbers

Pin it

Série: Castle
Episódio: Cops & Robbers
Temporada:
Número do Episódio: 4×07
Data de Exibição nos EUA: 31/10/2011

Estávamos todos ansiosos por Cops & Robbers, 7° episódio da temporada de Castle. Àqueles “aficionados” por spoilers, os vídeos promocionais ficaram com o coração na mão – e com um sorriso no rosto. E até mesmo aqueles que preferiram não se arriscar, em busca de dias tranqüilos e menos surtantes, certamente tinham altas expectativas em relação ao episódio. E, como vocês sabem, episódios que envolvem grandes expectativas, geram ou amor ou ódio. Em qual lado do muro estaria Cops & Robbers?

Do lado do amor, obviamente. Foi amor puro. Muito amor. Amor em demasia. E não estou me referindo apenas ao amor entre Castle e Beckett não. Estou me referindo ao amor que todos nós, fãs, estamos sentindo por Marlowe e companhia. Dos sete episódios já exibidos nessa 4ª temporada, achei cinco ótimos. Dos dois restantes, desgostei apenas de um (Head Case). E sei que boa parte dos fãs gostou de todos. Então, repetindo os elogios que fiz na temporada passada, preciso ressaltar a regularidade de Castle. Uma série que se nivela por cima.

E por que digo isso? A promo e os sneeks de Cops & Robbers já haviam entregado o plot do episódio: Castle e Martha seriam feitos reféns em um assalto a banco, e a missão de Kate seria libertá-los. Mas, ainda assim, o episódio foi bastante surpreendente. E que série consegue “entregar o ouro” antecipadamente e ainda assim manter os espectadores sem piscar durante mais de 40 minutos? Poucas, certamente.

O caso não foi de um simples assalto a banco. Foi um ataque orquestrado por um pai criminoso e abusivo, que queria acesso ao cofre de sua sogra, para localizar a esposa e o filho. O mentor do assalto fez, inclusive, o papel de refém epilético. E o fez muito bem, já que o seu comportamento descontrolado deu um toque de suspense, deixando no ar que em qualquer momento ele poderia surtar e causar a morte de algum dos reféns. Na cena do “ataque epilético”, inclusive, eu tive certeza que Castle seria baleado. Em outros momentos, a minha certeza é que o alvo dos disparos seria a refém grávida. Mas, no final das contas, contrariando meus piores prognósticos, todos os reféns “de verdade” saíram sãos e salvos.

Também foram surpreendentes, de certa forma, os momentos de comédia. Quem imaginou que Martha seria paquerada pelo antes sisudo gerente do banco? Inclusive, eles trocaram contatos no final do episódio. Será que veremos, em breve, Martha de namorado novo?

Mas sabe o que me surpreendeu, de verdade? A ausência completa de abraços e/ou beijos. Tá, ok. Sei que a expectativa por um beijo era produto da minha mente shipper descontrolada. Inclusive quando eu alardeava “vai ter beijos em Cops & Robbers”, uma amiga prontamente repelia a ideia. Mas um abraço era até mesmo previsível. E não aconteceu. Isso significa que o episódio não teve momentos shipper, ou deixou menos evidente o enorme amor entre Castle e Beckett? De forma alguma.

Isso por que o episódio foi recheado de momentos fofos. Já no início do episódio, quando Castle liga para Beckett, pedindo que ela diga que precisa dele, e a detetive fica com aquela cara de “fui descoberta”, ficou evidente que o episódio seria um episódio de amor. E um episódio do amor de Beckett. Um episódio no qual teríamos noção da intensidade do sentimento dela por ele. Sei que ninguém esperava que Beckett fizesse menos que o impossível para salvar o escritor. Mas o comportamento de Kate foi bem marcante. Ela temeu fazer a negociação com os ladrões, por falta de conhecimentos técnicos. Mas quando teve que aceitar o papel, submeteu-se às ordens do responsável pela operação, para não prejudicar as negociações. Quando viu que a estratégia estava falhando, deu o recado para o líder dos “médicos”: caso algo acontecesse, ela mesma meteria uma bala na cabeça dele (em tempo: Stana kick ass! A atriz esteve perfeita no episódio). Kate aceitou os riscos e se ofereceu para, passando-se por paramédica, entrar no banco. Tudo para ter contato com Castle, e tentar ter um panorama mais real da situação. E os olhares entre ambos, nessa cena, foram um show a parte.

Kate ainda enfrentou uma certa “birra” de Alexis, que estava um pouco resistente à detetive no começo do episódio. E passou pelo pânico da explosão da bomba, sem saber se os reféns haviam morrido. No final do episódio, Beckett foi “aceita” pela família de Castle, em uma cena que indica como pode ser a tônica do relacionamento de Beckett com Martha e Alexis quando ela e Castle finalmente estiverem juntos. O abraço de Martha na detetive foi lindo, demonstrou afeto verdadeiro. E todas essas foram cenas ótimas, é claro. Mas pra mim (e creio que pra praticamente topo mundo) o ápice de Cops & Robbers foi a cena do “resgate”. O olhar de Castle indicava o “eu já sabia”. Foi como se em nenhum momento da tensa situação ele tivesse deixado de acreditar que sua “parceira” o salvaria. E o olhar de Beckett, de profundo sentimento, indicava o alívio por não ter falhado, por não ter perdido o homem objeto de todo o seu amor. Acho que prendi a respiração enquanto eles estavam um de frente para o outro. Se eu fechasse os olhos, poderia ver o beijo acontecendo naquele momento. Mas, Martha, agindo contra o casal, e contra todos os fãs, clama pela atenção da detetive. Poxa, Martha? Por quê? Não fosse ela uma personagem tão querida, teria entrado para a minha listinha negra.

Mas, embora não tenhamos visto beijo, nem sequer abraços, vimos sentimento de sobra. Pra dar e vender. E isso é suficiente, por enquanto.

Castle também foi um espetáculo a parte. Mesmo em situações de risco ele consegue ser perspicaz e engraçado. Ele assumiu a liderança do grupo de reféns, acalmou as pessoas, enfrentou os assaltantes, fez piada com a situação (as piadinhas com médico foram super divertidas). Percebeu que algo não estava normal, e, mesmo sob a mira de armas, conseguiu se comunicar com Kate e auxiliar nas investigações. Por isso, sua brincadeira no final do episódio não foi mais que uma constatação.

De Esposito e Ryan vimos pouco. Mas, mesmo assim, uma das melhores cenas foi entre eles. É, definitivamente Ryan está cada dia mais Castle Jr.

Outra que não teve tanto destaque foi Alexis. No entanto, ela mostrou a que veio. Interpretou o papel de filha e neta angustiada muito bem. Assim como fez com o papel de namorada desesperada, desamparada e, finalmente, desiludida. Achei ótimo ver Alexis sendo a menina de fibra que conhecemos. O namoro com Ashley já acabou tarde. E sim, nós acreditamos que ela ficará bem, e que sua trajetória dentro do seriado será bem mais interessante a partir de agora, como já foi um dia.

Finalizando, preciso dizer que o brilhantismo de Castle foi agraciado pela audiência. Segundo o TV by the Numbers, em uma segunda-feira de Halloween, o único seriado a não perder audiência foi Castle. Mais que isso. O seriado ganhou mais dois milhões de espectadores. Um presente àqueles que nos agraciaram com um ótimo episódio.

Semana que vem, vai ao ar Heartbreak Hotel. E, para a infelicidade da galera dos comentários, Iron Gates estará de volta. Mas tenho certeza que, ainda assim, todos estão ansiosos pela próxima segunda-feira. Por que será?  

Séries citadas:

Editora Chefe do TeleSéries, gasta boa parte da sua semana com séries. Sua estréia foi com ER, e atualmente assiste - entre várias outras - Grey's Anatomy, Game of Thrones, Suits, Castle e Rookie Blue. Ainda assim, arrumou um tempinho para maratonar Friends, The X Files e Chuck - pela qual se apaixonou, recente e irremediavelmente. Está saindo da crise de abstinência de Fringe graças à Orphan Black.

5 Comments

  1. Alis Mariane

    Esse episódiooo FOIII SENSACIONALL!!!! Tears of joyy!!!! *.*

  2. Gabriela

    espero pelos episódios de Castle e também pelos textos aqui no telesérie!
    essa temporada está mt boa, a cada semana um episódio emocionante (tirando o Head Case, concordo com vc, Mariela, não foi mt bom). e engraçado que comecei a rever a série do início e o começo nãoe ra tão bom assim. os casos eram interessantes, mas a química de beckett e castle não eram grandes coisas. castle queria ser o garanhão, o que não combina muito com ele, na verdade.
    a cena do resgate  foi  o momento “ouuun” de beckett e castle. agora é esperar pelo próximo episódio!

  3. Deborapdemelo

    Devo dizer que foi o melhor episódio da série. O MELHOR. Nem Knockout barra!!

  4. Therê

    Concordo  que  este  foi  um  dos  melhores  capítulos  da  série  toda.  Ele  se  equiparou  com  o  último  episódio  da  terceira  temporada  e o  primeiro da  quarta  que  tb  foram  fantásticos.
    E  eu  como  vc.  Mariela,  esperava   (até  com  alguma  certeza)  que  Kate  ao  adentrar  o  banco  e  encontrar  Castle  são  e  salvo,   iria  se  atirar  nos  braços  dele e  o  beijo  aconteceria.  
    Mas,  tivemos  que  nos  contentar  com  um  sorriso  (por  sinal  lindo  demais)  de  Kate  e  os  olhares pra  lá  de  apaixonados  dos  dois.  O  Marta,  vc.  precisava  interromper  um  momento  tão  lindo  como aquele?
    Concluindo  quero  dizer,  que  os  produtores,  não  vão  conseguir  segurar por  muito  tempo  mais  o  desenlace  da  união  dos  dois,  pois  se  ele  não  acontecer  o  público  poderá se  cansar  de esperar  e  se  afastar  da  série.
     

  5. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 9 a 15/7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account