Log In

Notícias

Campanha para salvar Fringe do cancelamento já começou

Pin it
Hashtag #SaveFringe virou trending topic do Twitter no Brasil e petição pra salvar a série já começou.

Quem quer salvar Fringe? Aparentemente muitos brasileiros estão dispostos a isso. Ontem, a hashtag #SaveFringe se tornou um dos tópicos mais comentados no Twitter no Brasil, e as campanhas para impedir que o canal Fox cancele a série nos EUA já começaram. Além de manifestações nas mídias sociais, os fãs podem assinar uma petição online endereçada à Fox Television.

O rumor de que a emissora americana estaria prestes a tirar Fringe de sua programação é reforçado pelo fraco desempenho da série  na terceira temporada, que estreou nos Estados Unidos no dia 23 de setembro. O episódio da semana passada, 6955 kHz, registrou 5,7 milhões de telespectadores, bem abaixo da média da média de 7,34 milhões na temporada anterior.

A série produzida por J.J. Abrams, criador de Lost, Alias e Felicity conta a história de um grupo de investigadores do FBI que tentam solucionar casos misteriosos através da fringe science, a ciência marginal.

Ano passado, o setor de marketing da Fox lançou uma campanha para aumentar a audiência da série. A ideia era espalhar “observadores” pelas principais cidades americanas e também em programas da emissora. Será que esse ano a Fox estará empenhada em ‘salvar’ Fringe ou essa será uma tarefa só para os fãs?

Fringe vai ao ar no Brasil nas noites de terça-feira, às 22h, na Warner Channel, e nas madrugadas de quarta para quinta-feira, no SBT.

#SaveFringe!

Séries citadas:

30 anos, é formada em jornalismo pela Unesp e em Letras Inglês e Literaturas pela UFRN. No "TeleSéries", já foi colaboradora e editora de Notícias, agora é Editora de Conteúdo e escreve a coluna mensal "Sintonia". Já passou pelo Vírgula e pela Rede BomDia, do DIário de S. Paulo. No tempo livre, vê Bones, Hot in Cleveland, It's Always Sunny in Philadelphia, entre muitas outras séries. Fã do Clark Kent e música country.

Website: http://naliteral.blogspot.com.br/

31 Comments

  1. MicaRM

    Eu sei que para os canais importa mais o retorno financeiro do que a qualidade de seus programas e os poucos fãs fieis, mas eu sinceramente espero que Fringe permaneça no ar. Pelo menos o suficiente para contarem a história que se propôs a contar. A série está melhor do que nunca e precisa ter um final à altura.

  2. Pingback: Tweets that mention Campanha para salvar Fringe do cancelamento já começou -- Topsy.com

  3. Flávia Ribeiro Varsano

    Concordo, Mica. Não tenho twitter, mas já assinei a petição. Só espero que eles renovem, nem que seja para uma temporada curta, de 13 episódios, para que dê tempo para amarrarem a trama e fazerem um fim digno. A série é ótima e merece.

  4. Rafael de Souza

    Gus Van Sant e Kelsey Grammer em nova série do canal Starz
    Sem passar pela encomenda de roteiros para avaliação ou ter sequer um episódio piloto para análise, a série “Boss” ganhou do canal Starz a encomenda de oito episódios para a primeira temporada.

    O projeto foi oferecido a diversos canais a cabo há cerca de duas semanas. Com uma oferta irrecusável, o Starz ganhou a disputa.

    Criada por Farhad Safinia (Apocalypto) e estrelada por Kelsey Grammer (Frasier), a série terá o piloto dirigido por Gus Van Sant, que também atuará como produtor executivo, ao lado de Grammer, Brian Sher e Stella Stolper. Esta é a primeira empreitada de Van Sant em séries de TV. Duas vezes indicado ao Oscar, o diretor é conhecido pelos filmes “Milk, a Voz da Liberdade”, “Elefante”, “Paris, Te Amo” e “Gênio Indomável”, entre outros.

    Ao verem o nome de Kelsey Grammer no elenco muitos poderão pensar que se trata de uma série cômica. Afinal, o ator fez sua carreira atuando em sitcoms históricas como “Cheers” e “Frasier”, bem como as fracassadas “Back to You” e “Hank”. Mas “Boss” deverá marcar a primeira série dramática estrelada pelo ator, que também estreia na TV a cabo.

    “Boss” é um drama que acompanha a vida do prefeito de Chicago (Grammer) recém diagnosticado com uma condição mental degenerativa. Sua situação é mantida em segredo, conhecida apenas por ele e seu médico. Segundo o site Deadline, a história é inspirada em “Rei Lear”, de William Shakespeare, na qual será tratada a luta pelo poder da máquina política de Chicago.

    Apaixonado pela obra de Shakespeare, esta será a terceira vez que Grammer atua em uma versão profissional de uma história do autor inglês. O ator já interpretou MacBeth em uma montagem da Broadway, bem como Othello.

    A série foi criada especialmente para Grammer, que tinha interesse de adaptar “Rei Lear” para os tempos modernos. A trama sobre a luta pelo poder através da bajulação, traição e loucura atravessou os sérculos, sendo levada aos cinemas em várias ocasiões. Na TV, uma minissérie foi produzida na Inglaterra em 1976.

    A produção de “Boss” será da Lionsgate Television em parceria com a Grammet Productions, empresa formada por Kelsey Grammer, que já co-produziu as séries “Frasier”, “Medium”, “Girlfriends”, “Back to You”, “Hank” e “The Game”, entre outras.
    Link com a Informação:http://veja.abril.com.br/blog/temporadas/series-anos-2010-2019/gus-van-sant-e-kelsey-grammer-em-nova-serie-do-starz/

  5. Bia mafra

    Por mais que o que conte seja o retorno financeiro, acho que terminar as suas historias deveriam ser prioridades, algo para manter a imagem. deveria haver algum tipo de boicote que possamos fazer a essas emissoras que cancelassem series sem ter um final para a historia. ja eh ruim quando uma serie acaba, sem um final fica uma coisa tenebrosa.

  6. Fernando dos Santos

    Eu gosto de Fringe mas penso que talvez três temporadas estejam de bom tamanho.É melhor fazer uma série com poucas temporadas mas que sejam boas do que produzir uma série que vai se arrastando por oito,nove ,dez ou até doze anos.
    Depois de ver a FOX levar Arquivo X até o fundo do poço esticando a série por nove anos eu fico com certo receio quanto a esse negócio de alongar muito uma série.
    Eu considero importante mesmo, é que os produtores de Fringe sejam avisados antecipadamente do cancelamento para que possam providenciar um fecho para a trama.

  7. Rafael de Souza

    Claire Daines estrela novo projeto do Showtime
    Hoje, uma reconhecida atriz de cinema. Mas antes desse sucesso, Claire Danes fez seu nome na televisão ao estrelar a série “Minha Vida de Cão/My So-Called Life”, também conhecida como “Meus 15 Anos”, entre 1994 e 1995. O drama adolescente foi uma das melhores produções americanas a retratar com sensibilidade e realismo a intimidade dos jovens e seus problemas existenciais.

    Mas a série foi cancelada com apenas uma temporada produzida. O principal motivo foi a decisão da atriz em deixar o elenco para investir em sua carreira cinematográfica. Ao longo dos anos, Claire atuou no teatro, em peças como “Os Monólogos da Vagina” (2000) e “Pigmaleão” (2007), e no cinema, podendo ser vista em alguns filmes de sucesso como “Romeo e Julieta” (1996) e “As Horas” (2002).

    No ano passado, Claire voltou ao veículo com o telefilme “Temple Grandin”, da HBO, interpretando uma autista funcional que se forma em medicina. A atriz ganhou o Emmy por esse trabalho. Mas parece que o telefilme foi apenas o início do retorno de Claire.

    Essa semana a atriz foi contratada para estrelar o piloto da série “Homeland”, projeto que está em desenvolvimento para o canal Showtime, com produção da Fox 21. Trata-se de uma versão americana da série israelense “Hatufim”, criada por Gideon Raff (Train), que teve 10 episódios produzidos. O projeto está a cargo de Howard Gordon e Alex Gansa, ambos de “24 Horas”. A direção do piloto será de Michael Cuesta, de “Dexter”.

    A história da versão americana acompanha a vida de um soldado que participa da invasão do Iraque em 2003. Dado como morto, ele milagrosamente retorna aos EUA após passar anos como prisioneiro. Considerado um herói nacional, o soldado não consegue convencer uma agente da CIA (Claire Danes), que o considera um agente enviado pela Al Qaeda. Enquanto lida com seus próprios problemas psicológicos, ela passa a vigiá-lo.

    Originalmente batizado com o título de “Patriots”, o projeto foi anunciado em março desse ano, quando o destino de “24 Horas” ainda não tinha sido definido. Na época, a série original estava recém estreado em Israel. Segundo a imprensa local, a produção causou muita polêmica, visto que o tema de prisioneiros de guerra era considerado tabu para o veículo, que sequer o abordava de forma superficial.

    Concebida para ser um filme, foi transformada em série de TV quando perceberam que o conteúdo precisaria de mais tempo para ser desenvolvido. A história original acompanha a vida de três soldados libertados após 17 anos. Agora eles precisam resgatar os relacionamentos que tinham com suas respectivas famílias e a confiança da sociedade, enquanto mantém em segredo o período em que foram prisioneiros.

    Enquanto que o orginal parece ser um drama psicológico focado na relação familiar e social, as primeiras informações divulgadas sobre o enredo da versão americana levam a crer que a série, se produzida, dará continuidade ao legado de “24 Horas”, desta vez estrelada por uma mulher. Lembrando que a série de Jack Bauer surgiu do sucesso de “Nikita”, que também inspirou “Alias”.

    A maioria das séries israelenses que são adaptadas para a TV americana tem como base seu nível de audiência e receptividade da crítica, a exemplo de “In Treatment”. Mas “Hatufim” foi comprada com base em seu roteiro, visto que o acordo foi feito antes de sua estreia.

    A produção do episódio piloto, que serve para avaliar seu potencial, terá início em janeiro de 2011. Se aprovado, o projeto poderá ser transformado em série com a encomenda de novos episódios.
    Link com a Informação:
    http://veja.abril.com.br/blog/temporadas/remake…jeto-do-showtime/

  8. Bia mafra

    Concordo Fernando, mas acho que no caso de Fringe ainda eh bem prematuro, a temporada tá boa. e tambem concordo, o mais importante eh por um ponto final na trama decente e nao corrido e mal feito.

  9. Anônimo

    Hum, então Fringe deve ser o próximo cancelamento para completar a trinca de desgraças (desgraças vem sempre de três em três: Caprica, Rubicon… e Fringe). Que Santa Claus (meu santo de devoção) me console…

    => Mica, você já viu a série nova – Accused – com o Chris Eccleston? Guardei para ver hoje à noite, que é meu dia especial, minha recompensa pela semana cercada de vampiros…

  10. Fernando dos Santos

    Bia, eu não vejo problema em Fringe ser cancelada nesta temporada mesmo, devido ao fato da série apresentar uma mitologia bastante simples e enxuta(o que considero um de seus pontos fortes).
    Não há grande complexidade na trama e portanto acho que ela pode ser resolvida em três temporadas.

  11. Fernando dos Santos

    Essa tal de Accused pelo que andei lendo é formato antologia.Cada episódio vai trazer elenco e tramas totalmente diferentes.O Christopher Eccleston, parece que protagoniza apenas o primeiro episódio.

  12. Regina Monteiro

    E eu que estava curiosa sobre o desempenho de Fringe. Aff !!!

  13. Flávia Ribeiro Varsano

    Também acho o fim prematuro, como a Bia. Seria bom ter uma quarta temporada, mesmo que curta, dedicada a dar um final bacana à história. Claro que eles podem dar um fim bacana mesmo na terceira, mas acho que haveria uma correria que não combina com o ritmo de Fringe.

  14. Cleide Pereira

    eu baixei o episódio pelo orkut, tem uma comuna pra série
    fiquei curiosa e lá tem até rmvb pra baixar mas baixei mesmo em avi pra ver na tela grande

    pois é serão 6 episódios cada um com um personagem novo e o que me chamou atenção é o fato da narrativa ser sobre o olhar do réu
    qualquer coisa é só ir no orkut e procurar a comuna

  15. Cleide Pereira

    que desgraça se isso acontecer AFFFFFFFFFFFF :/

    a Fox já anunciou que Fringe vai pra sexta

    eu soube que a série foi feita pra ter 4 temporadas …. então EU QUERO que NÂO cancelem e deixem terminar direito a série pooooxa

  16. Yasmin_and

    Eu nunca assisti nenhum episodio da 1° e 2°, sempre vi as propagandas e ficava, agora que eu assisti o 1° episodio da 3/ e to baixando, tao querendo cancelar, pô, me ajuda né????

    quero terminar vendo com um final bem mais que bacana, que seja super digno, da series e pra mostrar p esses americanos como eles vao perder, se nao continuarem com FRINGE!!!!!

  17. Hermim10

    brincadeira !!!!!!! podem fazer isso nao fringe é muito interessante sem falar que os personagens são muito envolventes, alias todo seriado fringe é. digo ate que fringe pra ficar melhor só tendo um final com os efeitos especiais daqueles de arrazar e com os personagens originais diretamente em um filme

    eles esquecem que tem muita gente que acompanha pela internet bando de americanos idiotas

  18. Fernando dos Santos

    Eu estou curioso pra ver essa série pelo fato de usar formato antologia,esse modelo eu semprei achei interessante.
    O unico problema vai ser segurar o riso nas cenas de tribunal.As cortes britânicas deveriam se modernizar e parar de obrigar os advogados a usarem aquelas peruquinhas ridículas.

  19. Anônimo

    Os americanos, assim como os brasileiros, são bem diversos entre si. Há os idiotas, os eruditos, o zé-povinho, os sofisticados, os de mau gosto, os de gosto apurado, etc. Mas é bom lembrar que nos Estados Unidos foram feitas inumeráveis séries de altíssimo nível (e Fringe, que foi concebida e realizada lá, pelo menos teve três temporadas). No Brasil a produção de filmes e séries, comparando com a deles, é constrangedora. Então, é mais lógico inferir que a maior quantidade de idiotas não é de americanos…

  20. Bruno

    #killFringe JJ perdeu a linha depois de Lost. Fringe prometeu muita coisa, mas não trouxe nada de interessante…

  21. Fernando dos Santos

    Eu acho que a maior culpada nessa históia é a própria FOX.A emissora não soube como fazer com que Fringe chegasse ao publico da maneira correta.
    No ínicio a emissora fez grande e equivocada divulgação anunciando a série como “o novo Arquivo X” e depois atirou Fringe para o complicado horário das quintas as 21 horas.

  22. drixcavani

    Acho Fringe uma ótima série. Essa atual temporada tem histórias muito bem boladas, criativas. Se for para finalizar, no minimo, deveriam caprichar em respeito aos tantos espectadores que acompanharam até agora.
    De qqualquer forma é uma pena.

  23. Fernando dos Santos

    Na internet circulam boatos e rumores dizendo que o JJ Abrahns está preparando uma nova série de mistério,conspiração e ficção científica sobre a ilha de Alcatraz.
    Alguns meses atrás assisti no canal History um episódio da série documental Mysteryquest no qual falava-se que a famosa ilha sempre foi um local de lendas,maldições,superstições,fantasmas,demonios,etc, desde os tempos em que apenas os índios viviam lá.A fama de amaldiçoada por forças ocultas continuou no período em que funcionou lá o presídio, hoje desativado e transformado em atração turistica.
    Acredito que a série vai explorar esse lado folclórico da ilha, essa fama de mal-assombrada.

  24. Thiago FLS

    Se colocar Fringe nas noites de quinta foi o mesmo que jogar a série aos leões, as noites de sexta são praticamente um tiro na cabeça. Espero que os produtores já comecem a preparar um series finale decente.

  25. Pingback: Tweets that mention Campanha para salvar Fringe do cancelamento já começou -- Topsy.com

  26. Natlinha

    Ultimmamente as séries boas nao sobrevivem muito……..
    vide Legend of the seeker, teve 2 temporadas ótimas, mas nao foi pra frente.

  27. Fernandaportosousa

    Fringe é uma ótima serie, se ela não continuar e permanecer trazendo temos tão diferentes não veremos nunca series desse nivel se multiplicarem, o q é terrivel!! Devemos ser contra a essa cultura pop de series chatas q duram uma eternidade!

  28. LV426

    A 3 temporada de Fringe não vi, mas até a 2 tava espetacular, universo paralelo muito bem apresentado e uma conspiração bem amarrada.

    Eu sou da opinião que se for bem feito, pode ter até 15 temp como ER. Arquivo X foi esticado, mas adoro até a 7 temp e a 8 e 9 tem episódios interessantes.

    Stargate SG1 teve 10 temporadas e gosto de todas, alias as duas últimas foram ótimas, com aquela mitologia de cutucar discretamente as religiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account