Log In

Reviews

Bones – The Future in the Past

Pin it
92.470588235294
4.6
17
Série: Bones
Episódio: The Future in the Past
Número do Episódio: 8x01
Exibição nos EUA: 17/09/2012

Ao menos uma vez na vida, alguém aparece e muda todo o sentido da sua existência. Se você tiver sorte de encontrar essa pessoa, você talvez amadureça, mude para melhor. Mais de oito anos se passaram desde que Booth e Brennan se encontraram pela primeira vez. Ambos tão diferentes, tão distantes um do outro, que a única coisa que os atraia era essa química totalmente oposta. Mal sabiam eles que aquele encontro era um ponto de virada na vida dos dois.

Quando Temperance conheceu Seeley, ela era uma substância impermeável, mas não era uma substância forte. Sem traquejo algum, dizia o que bem pensava, preferia o sexo ao amor, tinha muito pouca empatia com as urgências dos outros e quebrava-se fácil. Era engraçado vê-la falar que ela não sabia o significado das coisas. Não sabia mesmo. Por oito temporadas, torcemos a cada segundo para que B&B ficassem juntos. Nesse meio tempo, para que os dois pudessem ser um casal de verdade, foi preciso muita mudança, foi preciso primeiro fazer a Bones acreditar no amor, e Seeley perceber que vale a pena ser um pouco mais paciente.

Assistindo The Future in the Past, lembrei do primeiro encontro, do diálogo sobre o destino, dos amores que os dois tiveram, das decepções e da luta pela vida um do outro, lembrei de como eles passaram de inimigos para colegas, e depois amigos. Lembrei dos olhares de luxúria e devaneios, da conversa no elevador, da compatibilidade mas da falta de afinidade, lembrei dos corações partidos, e lembrei que a estrada foi longa, mas a mudança foi substancial. Ali, na minha frente, estava um casal que se amava. Bones e Booth juntos, uma vez por todas.

Agora, Temperance sabe muito mais do que sabia antes. Aprendeu a olhar nos olhos, a ser mais terna, aprendeu que rir dos sentimentos dos outros não é bacana, e que precisa ter mais cuidado ao ser sincera,  aprendeu um monte de outras coisas que a tornaram uma pessoa forte. Se um dia você encontrar alguém que mude o sentido da sua existência, com sorte, com o passar do tempo, você será um ser humano bem melhor. Sempre que penso nisso, acalmo meu coração. Esqueço de alguns detalhes. A história de amor dos dois é sólida, é adulta.

Temperance agora é forte, e Seeley mais compreensível. Ver os dois juntos nesse episódio me fez quase esquecer de que ainda não tivemos uma cena de sexo na série depois de que B&B resolveram juntar os trapos. Sexo não é difícil. A cumplicidade sim.

Começo essa review falando disto, da cumplicidade e companheirismo entre todos os personagens da série, entre o elenco, o Criador e os produtores. O que faz essa série valer a pena, mesmo depois de quase um década desde sua estreia, e o que fez de The Future in the Past um excelente retorno, talvez um prenúncio de que essa temporada será inesquecível.

Hart Hanson sempre disse que Bones era uma série sobre casos. O que discordo, não só eu, como a maioria dos fãs e até o próprio David Boreanaz, que disse em uma entrevista recente que a série não é sobre assassinatos e sim sobre os personagens. Acredito que para um bom drama de investigação dar certo, é preciso de uma boa dose de entrosamento na equipe, bons personagens e boas histórias são essenciais.

O que talvez falte a série é encontrar a balança que faça com que os casos sejam tão interessantes quanto o relacionamento, sem essa de que Bones é um procedural, apenas. O primeiro episódio dessa temporada mostrou exatamente isso.  E o que fez tudo ficar no lugar certo? Aquela tal cumplicidade que eu falei antes. Se Angela não fosse tão boa amiga, se Hodgins não fosse tão paciente (ao menos agora), se a Cam não fosse tão profissional, a Caroline confiante, o Clark trabalhador, o Sweets esperaçoso e o Booth persistente, se não fosse por eles, Bones não teria voltado e, muito menos, o Pelant teria sido detido. Tudo ali se encaixava, cada movimento dos squints e do FBI, do Max, e da própria Brennan.

Isso só existe agora porque o tempo passou. Hodgins e Angela, quem poderia imaginar que esses dois seriam capazes de trabalhar separados (pelo bem da Brennan) e em segredo, e mesmo assim se sentirem completos e satisfeitos. O Sweets de agente me deixou confusa e um pouco orgulhosa. Como uma mãe que vê o filho de graduar. Há um tempo, Booth chamava ele de garoto, agora é mais do que um parceiro. Cam não decepcionou um só segundo. Sempre de punho firme e extremamente justa. Uma das melhores cenas desse episódio trouxe ela reconhecendo o trabalho honesto do Clark.

Mas nada transpira mais cumplicidade do que Bones e Booth. E é aqui que muitos vão discordar, mas tenho que admitir que a dinâmica deles tem sido um pouco menos do que esperávamos, mas é o mais próximo da realidade que podemos ter. E isso me deixa feliz. Convenhamos, às vezes, um olhar, um carinho no ombro, é muito mais do que um beijo molhado. Há momentos para tudo (só não vemos os momentos mais quentes), mas dá para saber que eles acontecem. Sinto tanto amor, tanto carinho quando os dois estão juntos. E é aqui que a mudança é mais visível.

Muita gente reclama que os dois não brigam mais, não há rixa e que a Brennan está muito “mole”. Bom, quem já amou alguém sabe muito bem que amor não é tempestade, é terno, vai bem mais além da paixão. Eles foram apaixonados por tanto tempo, nunca puderam se amar, e agora que estão juntos… “nós estamos melhor agora”, disse Brennan entre um sorriso e um olhar de conforto. “Tudo mudou agora que Booth está aqui”, afirmou Max. Sim, tudo mudou. Christine, Booth e Brennan estão juntos. Ficarei muito feliz em ver conversas mais francas entre os dois. Percebi as tentativas da Bones em querer se desculpar pela fuga. E o ressentimento do Booth pela mulher que ele ama – palavras dele – ter fugido com sua filha. Isso deve ser explorado no resto da temporada.

Ah, sim. Todo casal deve se divertir também, considerando o amor entre os dois, acredito que uma cena ou outra mais quente, deve acontecer em breve. Afinal, parece que estão nos “ouvindo” agora, pessoas que falam alto demais. Cena da máquina de lavar? Mmm já virou um clássico. E é por isso que eu me sinto feliz com Bones. Na alegria e na tristeza, é uma série que sabe evoluir. Que se reinventou em formato, em história, e soube passar pelo tempo como se fosse uma jornada necessária. Começo, meio, e o começo do fim.

Altos

Devo pontuar que o Pelant me lembra muito os vilões das temporadas mais velhas. Daqueles que merece muito cuidado, ou como disse o Max; “merece ser morto”. Ainda não sei que tipo de vingança ele tem com Brennan e com o Booth, porque ele a quer presa? Talvez até morta? Quem mais está na mira do Pelant? E  porque ele teve aquela atitude suicida? Não tinha sentido firmeza no hacker, quando ele apareceu na sétima temporada, agora, estou segura de que ele chegou para apavorar.

Aprovo o Agente Flynn, ainda mais quando não sabemos o que esperar dele. Lembro ano passado de ter ouvindo o Hanson falar que Pelant tinha um ajudante de dentro do FBI, mas acabou não acontecendo muito coisa na sétima temporada. Qual seria a ligação de Flynn e Pelant? Aquela cena da flor quis dizer o quê? Oremos.

Angela Montenegro é sempre muito querida. Adorei o jeito como as duas se comunicaram durante esses meses. Adorei o exagero super protetor dela com a Brennan e da lealdade com a amiga. Hodgins é um homem de sangue quente. Nós sabemos disso.

Christine é tão adorável que ela ganha fácil o prêmio de bebê mais fofo da televisão e do submundo dos crimes americanos. Viva a área de serviço!

Baixos

Não entendi porque a famosa frase “because you love me”, que aparecia nos vídeos das promos para a nova temporada, foi deletada. Se foi uma escolha de edição, que cortasse alguma outra cena. Ficou feio, ainda mais depois de mostrar a cena no vídeo promocional. Esperava mais do reencontro de B&B. Afinal, três meses. Foram três longos meses.

The Future in the Past 

Em um episódio (quase) perfeito, ficou difícil conter a empolgação para essa temporada. O “quase” é por causa da falta de diálogos entre Booth e Bones, o que só se justifica pelo tempo apertado do episódio. E claro, um pouco mais de romance também não faria mal para ninguém. Mas o que mais me impressionou foi o final, foi o Pelant, foi a ameaça constante que vai ser tê-lo por perto.

O caso foi o fio que teceu a história desse episódio. Mostrou quem é o Pelant e o que o time de squints é capaz de fazer. Mostrou que a Bones, mesmo fugindo, trabalhou duro para voltar. O caso foi apenas um caso, um bom caso que pediu o esforço de todos.

The Future in the Past lembrou muito os velhos tempos e mostrou, com maestria, que OITO anos é o tempo necessário para evoluir.

Estava ouvindo uma música hoje cedo. Chama-se For Good e faz parte da trilha do musical Wicked. Fala de destino, e de como somos limitados quando estamos sozinhos, fala também de como mudamos quando aquela pessoa especial aparece em nossas vidas.

Eu ouvi dizer
Que as pessoas entram em nossa vida por uma razão
Trazendo algo que devemos aprender
E somos levados
Àqueles que nos ajudam mais a crescer
Se os permitimos
E os ajudarmos também.
Bem, eu não sei se eu acredito nisso,
Mas eu sei que eu sou quem eu sou hoje
Porque eu te conheci.

Exatamente isso que penso sobre Bones.

Ah, já estou me acostumando com a ‘nova’ abertura! Curti bastante a música, só falta eu me acostumar com a edição.

Para quem não consegue esperar sem um bom spoiler, olha só que delícia é o vídeo promocional do segundo episódio da temporada.  Parece que Bones está mesmo de volta!

Até semana que vem!

Séries citadas:

30 anos, é formada em jornalismo pela Unesp e em Letras Inglês e Literaturas pela UFRN. No "TeleSéries", já foi colaboradora e editora de Notícias, agora é Editora de Conteúdo e escreve a coluna mensal "Sintonia". Já passou pelo Vírgula e pela Rede BomDia, do DIário de S. Paulo. No tempo livre, vê Bones, Hot in Cleveland, It's Always Sunny in Philadelphia, entre muitas outras séries. Fã do Clark Kent e música country.

Website: http://naliteral.blogspot.com.br/

26 Comments

  1. Alis

    Aquela cena da flor quis dizer o quê? Oremos. ²³²³²³²³

    Minha série favorita voltou, e em grande estilo!!!! Mt amor !!!

  2. Manuella Vieira

    É isso ai!!! Essa 8ª temporada já está com aroma de romance e velhos tempos no ar o/ VAI SER 10!

  3. Glenda

    Nossa amei, falou tudo o que eu pensei, demais. Parabéns ;), saiu ate lagrimaszinhas aqui haha

  4. Cynthia Vital

    Foi exatamente o que eu pensei do episodio! Para mim, ele só não foi perfeito porque o Booth e a Brennan não conversaram sobre os seus sentimentos. Pela promo do próximo episodio, parece que o tom será cômico, mas realmente espero que os 5 minutos finais sejam sérios e que eles conversem sobre o que está acontecendo.

    PS: Boreanaz e Deschanel precisam aprender a beijar! xD

    AMO BONES!!!!!!!!!

  5. Cinthia Quadrado

    Eu fiquei emocionada também. Ver os dois juntos não tem comparação. E nem se comenta a presença da Christine, né? Super fofa. Agora é aproveitar essa temporada. ;)

  6. Nathalia Cruz

    O TeleSéries sempre com as melhores review!

    Mesmo sabendo desse
    fato, quando cliquei no link, vim ler uma review “qualquer”, mas me deparei com
    esse texto da Maria Clara. Há muito tempo não lia uma crítica assim: brilhante!
    Parecia que meus próprios sentimentos sobre a série estivessem sendo lido para
    mim e, alguns, sendo traduzido. Sinto-me até incomodada de concordar totalmente
    com o que está escrito, isso é quase inédito.

    Minha opinião é que
    todos os fãs de Bones deveriam ler essa review. E digo isso não por ter chorado
    com a ‘retrospectiva’ do início do texto (super me indentifiquei), mas porque ajudaria
    muitos deles a entender coisas incomuns, sutis e extremamente importante em
    relação a vários núcleos do show.

    Vender sexo é fácil,
    difícil é vender amor, o tipo de amor real, sem as fantasias do mundo encantado,
    do beijo de amor verdadeiro. A história dos personagens principais é coerente e
    é isso que eu compro em Bones.

    “Que se reinventou em formato, em história, e soube
    passar pelo tempo como se fosse uma jornada necessária.”

    E fico assim, toda orgulhosa pela série e por está perto de
    escritoras como você, Maria Clara.

    Obrigada pela literatura refinada.

  7. Maria Clara Lima

    Obrigada pelas palavras, Nathália. É muito difícil ter que elogiar algo que sabemos que tem muitas falhas. Mas é muito mais fácil se aborrecer e apontar essas falhas, do que reconhecer o verdadeiro valor das coisas. Não estou apenas encantada com Bones, sou esperançosa de que tudo dê muito certo.

  8. Maria Clara Lima

    HAHAHAHAHHAHA vocês viajam Cy. A cena da máquina era dificil. Qdo eles se beijaram, ele tinha que levantar a Emily ao mesmo tempo. Nível hard até para o Boreanaz!

  9. Mariela Assmann

    Fico feliz que as pessoas tenham gostado tanto do episódio. São pessoas mais felizes com Bones do que eu, certamente. Teu texto está ótimo, Clara, como te disse ontem. Ficou poético, muito belo, embora eu discorde de boa parte dos teus argumentos. Congrats =]

  10. Denise

    Também adorei o episódio e, quando o Agente Finn pegou a flor e fez aquele discurso entusiasta em homenagem a Booth e Bones, falei um Xiiiiiiiiii! bem alto e sozinha. o que será que os próximos episódios reservam. Haja paciência para esperar.

  11. kelly

    As flores significaram o que nesse episodio? Não entendi o porque de Hodgins ir ao cemiterio levar flores…
    Adorei o texto. Muito lindo! Parabéns.

  12. Maria Clara Lima

    Obrigada, Kelly. As flores eram mensagens entre Bones e Angela. Elas usavam flores para se comunicar. Na cena final. Pelant usou uma flor para dar o seu próprio recado para Brennan. “Dor e sofrimento”.

  13. Márcia Pires Santana

    Bones voltando a ser Bones. Gostei do episódio, acho que o ponto mais alto dele foi, como você disse, a “cumplicidade e companheirismo entre todos os personagens da série”, amo este elenco. Ver Bones e Booth juntos é muito bom e melhor ainda é voltarmos a ter aqueles minutos preciosos onde o diálogo, a sensibilidade, o falar com os olhos, sem a necessidade de palavras faz você entender e decifrar o relacionamento humano. Amo muito isto em Bones e espero muito da 8ª temporada. Vou tentar ficar longe dos spoilers pois acho que fiquei esperando ainda um pouco mais deste 1º episódio. Como sempre parabéns pelo belo texto pois Bones e review de Clara são imperdíveis. Encarar a 2ª feira vai voltar a ser bom pois Bones is back!

  14. Fada Do Açucar

    Amo ler um review que eu sinto que a pessoa que escreveu é realmente fã da serie, que ela sente o que eu sinto quando vejo.
    Bones muito mais que uma serie policial , é uma serie sobre o mais real tipo de amor e amizade, aquele que não é perfeito, nem igual, que evolui, cresce.
    E o texto da Maria Clara passou isso perfeitamente.

    Chorei com o episodio, porque tenho um amor por cada personagem da serie, e chorei com o review porque me identifiquei demais com a Ana.

    Parabéns pelo texto menina.

  15. Maria Clara Lima

    Olá, Fadinha. Obrigada só por dizer que sou fã da série. Sou uma fã nova, comecei a ver a série em 2010, mas vi todas as temporadas. Ainda é paixão nova.

  16. siu

    Oi Maria Clara!
    Parabéns pela review! Está ótima! Aprecio muito os seus comentários e comungo das mesmas sensações.
    Adorei o episódio e estou cheia de expectativas para esta temporada.

    Fiquei realmente tocada vendo a bones expressar seus sentimentos pelo Booth em vários momentos do episódio, como por exemplo a preocupação dela em manter a lembrança do pai para Christine, a observação que ela faz dizendo que “queria ver o Booth com a sua caneta e o seu bloco de anotações” junto com os colegas de trabalho, dizer que “nós estamos melhor agora” depois de reencontrá-lo, as tentativas de pedir desculpas, enfim as ações dela me sensibilizaram.

    O que dizer da equipe? Nesse episódio foram perfeitos. Sintonia total. Tomara que possamos ter outros episódios com tamanha cumplicidade.
    Sempre torci para que todos pudessem ser mais que bons colegas de trabalho. Penso que nesses anos todos o HH conseguiu fazer isso!

    Realmente o episódio foi curto para tantas coisas que precisavam ser ditas e tratadas! Aguardemos os próximos…

    Christine? maravilhosa…. uma fofura….
    Max e Caroline? Adoro…
    Agente Flyn? Suspense…
    Pellant? Odeio, mas admiro, pois vai fazer e acontecer rendendo bons episódios…

    Booth… quero levar para casa rsrsrs…..

    Maria Clara já vi você fazendo referência ao belo trabalho musical feito na sétima temporada. Quero dizer aqui que gostei muito da música de uma das promos “Hold on” – Sad Robot, e da música “Ho Hey” – The Lumineers tocada nesse primeiro episódio. Tomara que belas canções venham embalar toda essa temporada.

    Enfim, Bones está de volta! Que nossos corações estejam preparados para enfrentar tanto as coisas boas quanto as ruins que podem acontecer daqui para frente. Como você já disse sabemos que nosso seriado predileto tem lá seus defeitos, mas tem nos trazido muitas alegrias e esperanças também.
    Boa 8ª temporada para você.
    Aguardo ansiosamente suas próximas reviews.
    Abraços
    Siu

  17. Maria Clara Lima

    Oi, Sil. Obrigada pelo comentário. É muito bom poder trocar ideias com quem realmente presta atenção aos detalhes da série. Celebremos os detalhes.

    Falhei em não mencionar a música. Foi um dos pontos altos da premiere. O que mais gosto é que as escolhas musicais não são aleatórias. Isso é muito bom.

    Aguardo ansiosamente pelos seus comentários! Um beijão!

  18. Camila Nere

    Maria Clara parabéns pelo o texto acho que você consegui
    demostrar tudo que os fãs da serie sentiram ao ver este episódio. Como
    sentíamos falta de ter os seis unidos para resolver um caso. Este episódio
    demostrou que será os seis que irão derrotar o Pelant. Que voltou ainda mais
    louco e genial esse Pelant vai dá trabalho. A facilidade que ele vira o jogo é
    impressionante adoro ele com certeza vai ser o meu vilão de Bones favorito ele
    me lembra do Epps talvez por isso acho que o Pelant vai fazer agente voltar um
    pouco no inicio da serie onde os casos
    eram muito interessantes.

    O que chamou a atenção deste episódio foi como a Brennan
    evoluiu e que ela consegue demostrar os seus sentimentos ao Booth.

    Acho que o HH está guardando episódios memoráveis com o
    Pelant.

  19. Maria Clara Lima

    VOcê não sabe o medo que eu tenho do Epps até hoje!! Gostaria muito de saber porque o Pelant é tão complicado. Tão louco! Vamos ver no que vai dar né! Oremos!

  20. Beatriz

    Gostei da estréia, embora esperava um pouquinho mais. O episódio me passou a impressão de que resolveram tudo às pressas, de uma hora para a outra tudo voltou ao normal, foi meio jogado. Também achei meio cafona a resolução do vídeo de Brennan com aqueles números, sem padrão nenhum, tirados de uma parede escrita por um louco.. Angie jogou no pc e pronto! Eu quero mais ciência em Bones, todo episódio eu sempre aprendia algo novo com Hodgins, Brennan, Vincent e nas antigas com Zack, mas ultimamente os casos estão muito corridos e superficiais.

    Ps: Que review perfeita! O texto grande passa e eu nem sinto, é tão bom poder ler críticas assim. o/

  21. Pingback: Destaques na TV – Quinta, 7/3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account