Log In

Reviews

Bones – The Fact in the Fiction e The Survivor in the Soap

Pin it
Série: Bones
Episódios: The Fact in the Fiction e The Survivor in the Soap
Número dos Episódios: 8x17 e 8x18
Exibições nos EUA: 25/02/2013 E 04/03/2013
94.4
4.7
5

Bones ficou em hiato por duas longas semanas, eu fiquei sem escrever reviews por quase um mês. Essa review dupla não é metade do que os fãs realmente merecem, simplesmente porque é comprovado por fatos e números que os fãs de Bones merecem o céu. Mas se você não é fã da série e mesmo assim está por aqui, não desanime, há sempre um tempo para as coisas acontecerem.

Esta review, por exemplo.

Há duas semanas, andava um pouco incomodada com a série. Calma, sem pânico, não é um incomodo digno de deixar tudo para trás e começar a desdenhar, dizendo que é ruim, e questionando em voz alto “por que diabos um dia perdi tempo com esse lixo?”. Nada disso. O incômodo vinha da sensação de que você tem um ótimo material em mãos, mas mesmo assim resolver fazer muito pouco com isso. Há duas semanas, achava que Bones estava desperdiçando o seu potencial. Se pudesse, traria Pellant, ressuscitaria Taffet e colocaria o Zac o grande vilão de todos só para mexer um pouco mais na série. Mas aí duas semanas se passaram, e comecei a achar que Bones não precisa desses grandes vilões para ser uma série completa. A crimédia, mais uma vez, conquistou meu coração com toda a força.

Altos

Foram dois episódios bem diferentes. Mas aí que percebo. Diversidade é a cara de Bones.

Uma das coisas que mais gosto na série é essa capacidade de ir do 8 ao 80 sem perder o ritmo. De falar de tudo e de nada ao mesmo tempo, e ainda ser boa. Dizem que a oitava temporada lembra muito os primeiros anos da série, eu não concordo. O que temos agora é a evolução de tudo o que aconteceu nos últimos anos, com acertos e erros.

Em The Fact in the Fiction, o ponto alto ficou para o jeito que a série envolve o caso e a vida pessoal de todos do laboratório. Pensar além da caixa, esse foi o tema da história que apresentou o novo squint, o “mano” do Hodgins, Dr. Wells. Particularmente não gosto da ideia de fazerem a Brennan de boba, mas tenho que admitir, é sempre bom ter um pouco mais de humildade. Mesmo ela sendo tudo o que ela diz que é.

O ir além, abrir para novas possibilidades, é o que tem feito a série o que ela é hoje. Talvez a Brennan seja mente fechada, mas o que é bacana é que quando ela se abre, se joga com tudo na nova experiência. Mesmo que antropologicamente falando…

Outra coisa legal desse episódio foi a chuva de confissões sobre a tal viagem no tempo. Angie e Cam dividindo o Berimbau. Mmmm… Não posso falar mais do que isso. Mas claro que o momento fofo saber da escolha da Brennan. Ela nunca esteve tão feliz e em paz na vida. (Podemos todos morrer com essa).

Não posso deixar de mencionar as experiências no lab como um momento “alto”. “Fire in the hole” é um momento clássico. Principalmente se alguém sai todo lambuzado do processo.

Já em The Survivor in the Soap, o destaque mesmo foi sobre o tema escolhido para o episódio. Parte da razão por eu ter atrasado tanto a review, é que a temporada tem sido mais longa, e por isso, os fillers começam a cansar um pouco. Aí aparece um episódio assim, e pego-me pensando: espera só um minuto, episódios normais podem ser maravilhosos.

Li uma resenha que criticava esse lado mais social da série. Mas acho que dessa vez, a causa não foi forçada na história, mesmo com algumas reações exageradas, mas isso eu comentarei depois. Adoro poder dizer que a série que mais amo no momento recebe prêmios e menções honrosas por desenvolver esse tipo de história. Lembrei um pouco do Kony 2012 e como logo surgiram várias coisas difamatórias sobre o organizador da campanha. Querer fazer algo bom, além do normal, realmente incomoda aqueles que estão acostumados com o mais do mesmo. Se milhares de pessoas sabem sobre os soldados infantis, devem isso a Bones.

Mas a série não é apenas uma grande escola, há também muita diversão. Gostei de Camastoo saindo do armário e assumindo o amor um pelo outro.

Baixos

Continuando com The Survivor in the Soap, o episódio conseguiu mesclar bem realidade e ficção, mas achei exagerada a reação de Arastoo envolvendo os refugiados. Mesmo ele tendo sido um. E a reação da Bones, dela se questionar sobre suas ações na América Latina sobre os meninos que eram soldados foi meio forçada. Ela sabe que era o trabalho dela.

Acho que foi só isso.

Casos

Viagem no tempo e soldados crianças? A criatividade de Bones nem me surpreende mais. Os dois casos foram muito bons, e com motivos bastante distintos. O cientista amador que queria voltar no tempo deu aos squints a possibilidade de testar as impossibilidades. E a ideia de que a vítima tinha voltado no tempo e morto duas vezes levou Brennan a reconhecer que sua mente não é lá tão fértil. Mas o que me impressionou nesse caso, na verdade, foi a desenvoltura do Dr. Wells. (Clara referência ao romanticista futurista H. G. Wells? Talvez?).  Sinto que esse squint dará trabalho.

O segundo caso foi mais denso. A vítima, um refugiado de guerra, encontrou nas mãos de quem o acolheu a morte. Acho que o fato de terem sido presos o assassino e o tal general fez do caso algo um pouco mais complexo do que o óbvio (que alguns casos são). Nota dez.

The Fact in the Fiction e The Survivor in the Soap

Foram dois episódios bem diferentes.  Vou tomar um tempo para falar do primeiro, e da entrada do “mano” do Hodgins. Não sou de spoilers por aqui, então fiquem calmos, isso é apenas uma teoria. Mas vamos lá. Alguém mais achou estranho a semelhança física entre Jack e Oliver? Bem, e SE eles forem realmente “maninhos de outra mãe”? Fiquei pensando nisso por causa do modo como o novo squint falou essa frase. Como o episódio era sobre abrir a mente, confesso que a minha foi um pouco mais além. E se o Oliver for o contato do Pelant dentro do Jeffersonian e não o agente Flynn? Cheguei a pensar que o contato dele no “lab” era a agente Shaw. Alguém deve estar se perguntando: que contato é esse que essa louca está falando? Bem, há muito tempo, o Hart Hanson disse que Pelant teria a ajuda de alguém do laboratório, mas isso não foi explorado na série ainda, e o rumor rola desde o início da sétima temporada. Ou ele esqueceu disso, ou tem algo aí.

A minha teoria é que Oliver juntou-se a Pellant recentemente, e por isso, a última investida do monstro da tecnologia foi em cima do doutor Jack. O Oliver falou algo sobre não ter fortuna porque alguém roubou dele, uma alusão ao caso, mas e SE isso aconteceu com ele. E se Hodgins herdou toda a fortuna de sua família sem saber que ele tinha um irmão bastardo, e agora  Oliver está tentando se vingar do irmão mais velho? Bom, sabe-se que inteligência está no DNA, então não me admira que o fisicista seja quase tão inteligente quanto a Brennan.

Para mim, a vingança do Pellant, que claramente tem alvo Booth e Brennan (vide fotinhos na parede), encontrou na vingança de Oliver um ponto de aliança. Como o hacker está com um probleminha na aparência, Oliver entra em cena para ganhar terreno.

Minha louca teoria torna-se um pouco mais forte pois também foi prometido um irmão para o Jack, sendo que esse irmão ainda não apareceu (será?), e no passado, Jack havia dito que era o único herdeiro de sua fortuna. Então…

Isso foi o que mais me chamou atenção no episódio The Fact in the Fiction.

Agora no The Survivor in the Soap, o tom pesado foi a cereja no bolo. Por quê? Porque Bones não é um dramalhão, e mesmo com um tema sério, faz com que a história possa ser digerida por qualquer um. Fiquei pensando em como isso tem tornado-se frequente na série. Só nesta temporada tivemos episódios que trataram da neurofibromatosis, violência contra mulheres, reintegração de soldados veteranos de guerra na sociedade, todos episódios muito bons. Sem contar nos tantos outros das antigas temporadas.

Bones não se tornou uma série de bandeiras, é que esses assuntos estão no nosso dia a dia, só precisamos de um pouco mais de tempo para prestar atenção.  As histórias são introduzidas assim, como algo natural e sério. Isso é Bones com um passo a frente do resto das crimédias.

No geral, foram dois bons episódios, e nem foi preciso um serial killer para isso.

Bones volta hoje, dia 18 de março, nos EUA.  O episódio promete ser uma loucura!

Falando em loucura… se você pudesse voltar no tempo em Bones para qual momento você iria?

Séries citadas:

30 anos, é formada em jornalismo pela Unesp e em Letras Inglês e Literaturas pela UFRN. No "TeleSéries", já foi colaboradora e editora de Notícias, agora é Editora de Conteúdo e escreve a coluna mensal "Sintonia". Já passou pelo Vírgula e pela Rede BomDia, do DIário de S. Paulo. No tempo livre, vê Bones, Hot in Cleveland, It's Always Sunny in Philadelphia, entre muitas outras séries. Fã do Clark Kent e música country.

Website: http://naliteral.blogspot.com.br/

3 Comments

  1. mebones

    Sabe que fiquei pensando o mesmo em relação ao Dr. Wells. Porém, além do tom de voz, não gostei do sr. nem um pouco.

  2. Pingback: Destaques na TV – Quinta, 27/6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account