Log In

Opinião Spoilers

Bones – balanço de temporada

Pin it
Sexto ano da série está desapontado fãs de Booth e Brennan. Você concorda? Leia a resenha e opine

Hoje começa nos EUA a segunda metade da sexta temporada de Bones e tem muita gente abandonando o barco. Podemos dizer que os que assistem Bones por causa de Booth e Brennan estão decepcionados, os que assistem por causa dos fabulosos casos também não estão encontrando muitas razões para se ligar na série, e os que assistem por causa dos dois elementos estão querendo no mínimo chorar. Ah, mas se você gosta de Bones por causa dos estagiários, Hodgins & Angela, Camille… bom, você também não deu muita sorte.

O final da temporada passada sinalizou algo bom, que poderia ter acontecido, mas não aconteceu. E continuidade nunca foi o forte de Bones mesmo, mas isso nos supreendeu. E qual é o balanço dessa temporada? Bones não agradou em nada, e eu resumiria esses 9 episódios em 1, e aproveitaria o o tempo precioso para não tornar a série medíocre.

Casos

Não sou uma antropologista forense, mas posso jurar que o primeiro caso do ano eu poderia desvendar sozinha. O menino que morreu mas não morreu em The Mastodon in The Room não era motivo para afundar a carreira de Camile nem mesmo para trazer toda a trupe de volta. A série já começou com o pé esquerdo e a tão esperada cena da fonte, onde Seeley e Temperance iam finalmente por os pontos nos is não passou de um belo balde de água fria.

O casal morto em The Couple in The Cave foi lamentável, o motivo foi forçado e o mistério envolvendo o assassino foi difícil de engolir. Pobre casal improvável, não precisam morrer.

Mas nada pior do que o caso Jersey Shore. O homem matou o “cabeça-de-vento” só por causa das humilhações? Cuidado América, algo terrível está para acontecer, se as pessoas começarem a matar umas as outras por coisas assim. Não chegou nem a ser engraçado tanta caricatura.

E se eu pensava que o episódio das larvas voadoras tinha sido ruim, eis que surgiu The Body and the Bounty. O que era… identificar e ter sorte para que alguém use a arma do crime na minha frente, porque eu sou uma gênia e eu sou muito bom em meu trabalho e assim chegaremos até o assassino. Ora, vamos!

Talvez o problema esteja em eu querer que todos os casos sejam dignos de um Sherlock! O que dizer de um caso simples e chato como o da doutora em The Doctor in the Photo? Esse é um episódio que eu tenho que dedicar um paragrafo só, mas logo adianto: chato!

Dentre todos assassinatos e ossos analisados, o que eu mais gostei foi o caso do episódio The Shallow in the Deep. Não pelo assassinato do ‘michê’, mas pelo belo trabalho de identificação da escrava Amelia Rose. É isso mesmo, tirar do superficial, algo mais profundo.

Casais

Hodgins e Angela são na verdade o único casal da sexta temporada. Mas a história deles não está envolvendo. Nem a gravidez tornou os dois mais visíveis. Não sou daquelas pessoas que acham que casal bom é casal separado, mas por favor, deem a eles uma história!

Sweets e Daisy, vocês não são engraçados, nem ao menos atrativos. Não desperdicem meu tempo.

Booth e Hannah. Vou citar o saudoso monstrinho da Mutant Enemy: Grr Argh!

Booth e Brennan é o que podemos chamar de casal fadado a Síndrome da Gata e o Rato. Para quem não conhecesse essa Síndrome, vou explicar. Nos anos 80, havia uma série chamada Moonlighting – conhecida aqui no Brasil como A Gata e o Rato. A essência da série é o casal Maddie e David. Detetives, amigos, e futuros amantes. O que aconteceu com eles? Ficaram juntos, e a série morreu. Desde então, criadores e roteiristas de séries sentem que se o casal principal de suas séries ficarem juntos, o cancelamento está próximo. Por isso, a maioria deixa o final feliz apenas para o último episódio, ausentando qualquer culpa de fracasso os pombinhos. E se o casal tem o FBI envolvido na história, não precisa nem relembrar da Síndrome Arquivo X. Em resumo, fãs de B&B, vocês estão encrencados.

Sinceramente, acho que uma série perde muito quando o principal atrativo é um casal que não funciona. Disso nós temos um monte. Então para tornar Bones diferente que tal fazer esse casal funcionar? Sem enrolações ou beijinhos no episódio final. Posso dá uma ideia ao Hart Hanson? Jogue! Seja um jogador! Ignore as estatísticas e Síndromes! Mate a Hannah! Há tantas minas terrestres por ai. Tantas.

Estagiários

Desde que o Zac foi embora, os estagiários dão um toque diferente à série. Sei que os Bonemaníacos são loucos pelos Zac Addy, mas eu não. Eu odeio aquela cara de peixe dele. Para mim, os estagiários são um show a parte. Mesmo assim, esse ano eles ficaram muito apagadinhos, e quem robou e cena foi o Mister Science Dude. Incrível!

The Doctor in the Photo

O grande episódio não foi grande, mas foi bom. Bom o bastante pata ver a Emily Deschanel atuar. Não, não estou dizendo que ela não faça isso, já que Temperance é uma construção perfeita. Mas em todos esses anos, Emily teve poucas oportunidades de mostrar seu potencial, e ao vermos a centrada Dra. Brennan seguir seu coração, foi uma ótima maneira de terminar a primeira parte do sexto ano.

Eu gostei e não gostei. Gostei, claro, de finalmente ver a Brennan seguindo seu instinto e deixando a obsessão pela racionalidade um pouco de lado. Mas não quero que desconstruam o personagem, e essa racinalidade e falta de impessoalidade que a torna não legal. Mas se foi preciso o mundo virar de cabeça para baixo para que ela finalmente admitisse seus sentimentos, eu aceito.

O legal foi ver as pequenas pistas ao longo da temporada. O que me incomodou foi ela não verbalizar o que estava sentindo. Isso foi feito nesse episódio. Toda a angustia e o link perdido com a humanidade foi recuperado como um soco no estômago. De surpresa e bastante doloroso.

O que não gostei foi do caso em si, e da completa imbecilidade do Booth. Espero que cresça um pouco de juízo na cabeça desse agente do FBI.

Expectativas

Quando a quinta temporada terminou, as possibilidades eram muitas. Agora, só resta uma: fazer com que as pessoas não deixem de ver Bones. Apesar de não ter sido uma das melhores, Bones é Bones, e isso significa muito. Significa que é uma série boa, com uma ótima equipe, roteiristas decentes e de quebra tem o David Boreanaz e a Emily Deschanel. Então as espectativas são boas. Franco-atirador, a corveira, elevadores parados no meio de um tempestade… tire tudo da manga, senhor Hanson. Porque agora é tudo ou nada!

Séries citadas:

30 anos, é formada em jornalismo pela Unesp e em Letras Inglês e Literaturas pela UFRN. No "TeleSéries", já foi colaboradora e editora de Notícias, agora é Editora de Conteúdo e escreve a coluna mensal "Sintonia". Já passou pelo Vírgula e pela Rede BomDia, do DIário de S. Paulo. No tempo livre, vê Bones, Hot in Cleveland, It's Always Sunny in Philadelphia, entre muitas outras séries. Fã do Clark Kent e música country.

Website: http://naliteral.blogspot.com.br/

13 Comments

  1. Anaisa

    Ahh, é uma alegria ver no teleséries alguma coisa relacionada a Bones.
    Quanto aos 9 primeiros episódios, preciso confessar que tem alguns que eu nem lembro direito (percebi que eu só lembrava do cara que morreu e ficou dentro de um chocolate gigante – absolutamente nojento).
    Concordo com você. Bones podia ter seguido QUALQUER caminho. Podia ter tido uma cena linda de reencontro entre Booth e Brennan, mas não. Foi tão… frio. E bizarro demais.

    “Jogue! Seja um jogador! Ignore as estatísticas e Síndromes! Mate a Hannah! Há tantas minas terrestres por ai. Tantas.” = acho que todo fã de Bones deseja isso. Qualquer coisa a ficar olhando Booth e Hannah na cama ou Hannah sendo a namorada perfeita (ela com o Parker foi forçado demais também).

    Quanto a The Doctor In The Photo… Booth é um idiota. E a cena da Brennan chorando no carro foi triste demais.

  2. Pingback: Tweets that mention Bones – balanço de temporada -- Topsy.com

  3. Fernando dos Santos

    Ainda não comecei a assistir a sexta temporada pois acompanho a série pela FOX aqui do Brasil.
    Observando as comentários negativos que a série tem recebido, eu arrisco dizer que Bones começa a entrar em curva de declinio, algo que costuma acontecer com a maioria das séries após a quinta temporada.
    O grande chamariz da série sempre foi a dupla central Brennan e Booth, uma dobradinha que possui carisma e excelente química atuando juntos.Portanto se eles não estão mais conseguindo segurar o show, é porque talvez seja hora de encerrar antes que afunde mais ainda.

    O restante da equipe do laboratório sempre foi desinteressante e descartável e sendo assim não são eles que vão salvar a série.Em meio a tudo isso salva-se sem duvida o rodizio de estagiários que vem ajudando a dar um gás à série nestes ultimos dois anos, amenizando um pouco o desgaste que o tempo causa nas séries.

  4. Lara Lima

    Belo texto Clara! Concordo que essa sexta temporada tem me feito chorar. A premiere foi de longe o pior episódio na minha opinião, não deu pra engolir o pessoal voltar pra salvar a carreira de Camile.

    Apesar do destaque de Emily Deschanel eu não gostei de The Doctor in the Photo. Pra mim foi a saída mais fácil pra acordar Brennan pra vida que estava levando. E foi o mesmo que fizeram quando na sessão de Sweets os dois revelaram o primeiro caso e que já tinham se beijado. Foi muito fácil a forma como eles resolverem pelo menos cogitar a idéia e foi muito fácil escancarar para Brennan que ela ama Booth.

    Angela e Hodgins é o casal, mas não está envolvendo meeeesmo. Não sei, perdeu o carisma.
    Eu esperava que Daisy não voltasse, ela é muito muito chata e Sweets rende muito mais sozinho acho.
    Agora, sobre os protagonistas eu me decepcionei bem antes, e mais ainda com o choro de Brennan no carro, quase implorando por Booth. Mas hoje a minha impressão quanto ao casal é bem diferente. Li uma entrevista com o criador S-P-O-I-L-E-R-S NÃO SIGA SE NÃO QUISER SABER
    *
    *
    *
    *
    …que os dois não vão ficar juntos quando a série terminar. Então aí eu já fiquei desiludida. Pensando bem é até melhor porque já foram seis temporadas e nada, vai que eles estragam tudo né?? Mas é realmente uma pena, os dois são lindos juntos e eu torcia muito por eles.

  5. Márcia

    Mate a Hannah! Há tantas minas terrestres por ai. Tantas… adorei o texto e a sugestão. Sinto falta dos episódios
    épicos(pra mim ) dos dois no circo, do vodu quando Brennan vir suspeita nem sei quais as temporadas. Sinto falta do pai dela de todo arco envolvendo ele.
    Vamos esperar que melhore tudo.

  6. Fernando dos Santos

    Eu acho que o criador da série está dando uma informação falsa para surpreender o publico no final da série fazendo com que os dois fiquem juntos.

    Até hoje nunca vi produtor entregar de bandeja antecipadamente o final de uma série.Desconfie do que o sujeito disse na entrevista.

  7. Maria Clara lima

    O Hart Hanson não disse bem isso. Ele falou que não gostaria que B&B ficassem juntos ‘apenas’ no final. Pelo o que eu entendi, ele deseja juntá-los antes do final da série para que o publico possa vê-los como casal.

  8. Tatiana Da Silva Siqueira

    Esperamos tanto tempo após a final em que chorei muito com a despedida de Booth e Bones e no fim não valeu de nada a volta….sem graça, sem quimica….A Bones gosta do Booth mas tem medo, e com isso acaba perdendo para tal da Hanna que até o filho do Booth está conquistando…..sério????? Vamos ver se a segunda metade da temporada melhore e esse dois se resolvem….
    PS – Nossa a muito tempo eu assistia essa série A Gata e o Rato….amava por demais……..

  9. Anônimo

    Com o perdão do lugar-comum, tudo que começa tem seu fim. O namorado, a faculdade, e, como não poderia deixar de ser, as séries e o entusiasmo por alguma de longa duração. Eu assisti às três primeiras temporadas; cansei (principalmente daquela história do ex-marido da Angela Montenegro, fala sério); parei. Daí, certo dia, li uns comentários aqui no Teleséries. Resolvi ver o tal epi (da 6a. temp.), acendeu o desejo de saber o que vinha antes. Conclusão: baixei a 4a., 5a. e a 6a.., aceitei certas chatices, e estou achando ok.
    Uau, a Emily Deschanel compôs uma Temperence excelente. Nunca vi (nem antes nem depois) essa atriz em outro filme/série.

  10. Maria Clara Lima

    Oi, Bianca.

    Entendo que tudo acaba, mas que acabe no final, né? É muito chato quando algo que você gosta se desfaz antes do tempo. Estamos todos na torcida por Bones.

    Eu também fiz uma maratona de Bones em dezembro. Assisti todas as temporadas em um mês. Achei muito boa a quarta e a quinta. Quando sinto que preciso de um ‘gás’, reassisto aos episódios cçássicos. Eu tenho um bom sentimento quanto a sexta temporada.

    Sim, A Emily é perfeita em sua personagem.

  11. Anônimo

    Maria Clara,
    Bom saber que a quinta é muito boa (pois ainda tenho esta temp. inteira para ver).
    É, sem dúvida, mais que a duração, o importante é a qualidade. Gostei muitíssimo de Rubicon, Caprica e Firefly. Só duraram uma temporada, mas tiveram um final satisfatório. A grande desgraça é quando a série dura demais e você vai assistindo, constrangida, morrerem de tédio os atores, os roteiristas, os diretores de arte, e, por fim, a gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account