Log In

Reviews

Bates Motel – Midnight

Pin it
Série: Bates Motel
Episódio: Midnight
Número do episódio: 1×10
Exibição nos EUA: 20/05/2013
85.823529411765
4.2
17

Tudo o que é bom dura pouco. Esse velho ditado poderia, muito bem, ser o slogan de Bates Motel, série com ar vintage que estreou há alguns meses na TV americana e foi, em disparado, uma das melhores estreias do ano. As doses de psicose, romantismo e fortes emoções, no entanto, vieram moderadas – em apenas 10 episódios.

Ontem, foi ao ar o último capítulo da primeira temporada da série e a história manteve a qualidade da estreia. No entanto, por se tratar de Bates Motel, aquela história que, já no primeiro episódio, tinha cara de season finale, de tantos bons suspenses e cenas que faziam o coração disparar, esperava um pouco mais dessa final.

Para começar, a Norma foi pedir a ajuda do xerife Romero em relação ao homem que a chantageava pelos 150 mil dólares. Ele disse que iria resolver a situação e Norma não se conteve com a resposta sucinta que recebeu. Ela conseguiu uma arma com o Dylan, que a ensinou a usar o objeto. Parecia um cenário de caos. A história, no entanto, se resolveu de maneira bem simples. Romero, inexplicavelmente, detinha a mala com os dólares e foi ao encontro do “Albernathy” (ou seja lá o codinome que ele usava) e simplesmente forjou que iria entregá-la ao homem – e atirou quando ele abaixou para alcançar a maleta. Pior: depois, Romero ainda  jogou o dinheiro no mar (ou será que a mala estava vazia?). A Norma, que estava escondida no píer (chovia forte na cidade inteirinha, menos lá), observando tudo com o revólver em mira, pôde, então, ir para a casa sem sujar as mãos.

Eu pensei que teríamos cenas de tiroteio, perseguição, daquelas que fazem a gente quase atirar o computador longe, de tanto nervosismo. E tendo uma mulher desequilibrada como a Norma com uma arma, sinceramente, esperava um estrago maior. Foi tudo muito simples. Claro que os acontecimentos criaram um novo cenário instigante para a próxima temporada, o xerife Romero é mais poderoso e cheio de obscuridades do que aparentava no início da série. Ainda assim, podiam ter investido em mais lutas corporais, tiros e, quem sabe, sangue.

O Norman convidou a Emma para o baile, mas isso não foi significativo para a relação dois dois – nem sugeria que ele tivesse superado a Bradley. Pelo contrário, ele estava irritado com a proximidade entre ela e o irmão, Dylan. Para deixar o garoto ainda mais perturbado, a Norma contou a ele a origem daquela cicatriz na perna (que havia aparecido nos primeiros episódios). Não sei se ela fez isso de propósito, para estragar o encontro, ou simplesmente pela ameaça de morte que a afligia naquela noite. Talvez, os dois. O fato dela ter sido estuprada pelo irmão quando adolescente foi bastante forte e sombrio, mas, às vezes, acho que Bates Motel exagera na conotação sexual.

O sangue no episódio ficou por conta do próprio Norman que, tendo ido para a casa da professora fazer um curativo, assassinou a moça – que deixou a porta aberta enquanto se trocava, indignando o psicopata moralista que adormece dentro dele. Essa passagem me lembrou um pouco a morte clássica da Marion em Psicose. A professora, aliás, estava especialmente estranha nesse episódio e parecia mesmo querer seduzir o aluno. Não acho que a culpa recairá sobre o Norman quando a série retornar. Ninguém sabia que ele estava lá e ela estava claramente sendo chantageada por um ex-namorado, pela cena em que o Norman a ouviu falar no celular. Portanto, é o “homem do telefone” quem deve ser condenado pelo crime.

A morte da professora foi o cliffhanger dessa season finale, algo que achei bem fraco. Em episódios anteriores, Bates Motel teve cliffhangers mais interessantes, de deixar o cabelo em pé. Claro que o fato do Norman ter degolado a professora é importante, mas não foi a primeira vez que ele matou alguém – ele já havia assassinado o próprio pai. Então, não houve algo de verdadeiramente novo nisso. Para a season finale, Bates Motel poderia ter sido mais violenta, mais obscura e mais misteriosa! Tinha potencial.

A Vera Farmiga esteve incrível nesse último episódio e a cena em que ela narrou que era abusada pelo irmão aos 13 anos foi um show! O Freddie Highmore, apesar da pouca idade – embora tenha um currículo de fazer inveja a muito ator veterano -, não ficou para trás.

Bates Motel começou a temporada eletrizante e, depois da morte do Shelby, deu uma caída no quesito “fortes emoções”. Nada que fizesse a série descer de seu patamar de “brilhante”. Ainda assim, não sei se a morte do delegado foi uma decisão acertada.

Se houve um ponto certeiro na história eles foram dados no figurino da Norma! Quanto charme e classe! As cores eram sóbrias, porém vivas, e tinham um ar clássico, de décadas passadas, mas sempre com estampas ou tecidos modernos. Vera Farmiga estava mais linda do que nunca! A fotografia também foi um encanto à parte e, na penúltima cena exibida, quando Norma abraçou o filho mais novo para subirem as escadas rumo à casa principal, tivemos um planos mais aberto, em que era possível ver o motel, a casa grande ao fundo e placa indicando “Bates Motel”, com uma trilha sonora instrumental, dando ar de filme antigo. Muito lindo!

Estou ansiosa para a segunda temporada, que estreia só em 2014. Vou fazer reserva antecipada… Está com cara de lotação garantida!

p.s.: o que era aquela irmã do Keith? Que medo! Personagem de filme de terror mesmo.

Séries citadas:

É jornalista formada pela Unesp e pós-graduanda em Gestão Cultural. No TeleSéries, escreve mensalmente a coluna Estilo. Aficionada pelas histórias de terror, sobrenaturais e de mistério, também não dispensa aquela comediazinha romântica... Pushing Daisies, Jeannie é um Gênio, A Feiticeira, Riget, Lost in Austen, Wonderfalls, Samantha Who?, Copper, Harper's Island e Hannibal estão entre suas séries preferidas de todos os tempos! :)

18 Comments

  1. Diego

    Também esperava mais dessa season finale. As minhas expectativas duplicaram em relação a este episódio quando o penúltimo não apresentou nada de interessante a história, só nos momentos finais, por isso pensei que os produtores e redatores da série tinham deixado algo magistral nos últimos 40 minutos…Mas fico ansioso pra ver a segunda temporada por ter certeza que a próxima vitima de Norman pode ser a Bradley ou o seu namorado (que sejam os dois de uma vez só)

  2. janaína

    Tenho lá minhas dúvidas se foi mesmo Norman que matou a professora. O pingente de letra B que aparece na corrente da professora quando ela está morta, dá a entender que ela seria a tal amante do pai da Bradley, tornando um alvo para a própria, mas agora só resta aguardar as novas emoções :P

  3. Guest

    É uma ótima teoria! (= Não tinha pensando nisso. Pode até não ser que a Bradley tenha matado (porque a professora recebeu um telefonema suspeito, que provavelmente, era de alguém mais velho), mas que pode ter a ver com o pai da menina, pode, sim! Meu Deus, falta muito para chegar 2014? haha :o)

  4. Gabriela Pagano

    É uma ótima teoria! (= Não tinha pensando nisso. Pode até não ser que a Bradley tenha matado (porque a professora recebeu um telefonema suspeito, que provavelmente, era de alguém mais velho), mas que pode ter a ver com o pai da menina, pode, sim! Meu Deus, falta muito para chegar 2014? haha :o)

  5. Palloma

    É complicado fazer a review de uma série ser entender do que ela se trata, isso me pareceu o seu caso. O episódio podia ter tido um pouco mais de ação mas invalidar e classificar a cena em que Norman entra em transe para ameaçar matar a professora como algo menos interessante só porque ele já tinha matado o pai é não conhecer o contexto do filme e da série. Por isso vou te explicar: a Norma exerce um grande poder sobre o filho e impõe suas vontades e moralidades a ele, essa cena é completamente diferente, pq se ele realmente matou a professora mostra o início dos assassinatos por acreditar no que sua mãe dizia sobre as mulheres (o q o filme demonstra tb)…

  6. Gabriela Pagano

    Bom, eu respeito sua opinião, mas não concordo com você. O fato da Norma exercer uma grande influência sobre o Norman não é nenhuma novidade. Quando ele invadiu a casa do Shelby, por exemplo, ele também “imaginou” que a Norma o tinha mandado lá, por questões morais (o abuso/chantagem do Shelby em relação à mãe). Nem o assassinato, nem o poder da Norma sobre o filho são novidades. O início dos assassinatos foi quando ele matou o pai. E não desmereci o ocorrido, apenas acredito que a série apresentou cliffhangers melhores em outras ocasiões – e essa era a season finale!

    Acho super válido você discordar de mim, é saudável haver discussão sobre interpretações diferentes diante de uma série que a gente gosta! :-) Mas dizer que eu não entendo a série sobre a qual faço resenha simplesmente porque não concordamos em um ponto, sei lá, soa bastante drástico. Obrigada pelo comentário e por expor seu ponto de vista para a gente! De verdade =]

  7. Lucas

    Apesar de que depois da morte do Shelby as emoções não foram mais as mesmas , continuo amando a série, tanto pelos atores como pela história. Também achei que aquela professora estava querendo algo a mais com o Norman. Enfim , tbm to ansioso para a segunda temporada! Gosto muito de suas reviews, parabens Gaby, e ja reservei o meu quarto para a próxima temporada! ;-)

  8. Gabriela Pagano

    Também senti a morte do Shelby, viu? Num primeiro momento, quando mataram um dos protagonistas, pensei “Uau! Que ousados! Demais!”, mas, depois, vi que poderiam ter deixado a morte dele para um pouco mais adiante. E aquela professora, realmente, não parecia bem intencionada, né? Deixou a porta aberta para se trocar, fala sério! haha Obrigada pelas palavras simpáticas, Lucas, significam muito! Então, conto com sua companhia na próxima temporada, hein? ;-D

  9. Carlos

    Acredito que eles tenham evitado de fazer algo mais nessa SF visando a próxima temporada. O foco da série é Norman e Norma, e tudo que levou ele a se transformar em um serial killer, portanto é justo que o cliffhanger tenha sido a morte da professora, porque se fosse algo fora da vida de Norman, como o lance do tráfico por exemplo, tiraria o foco do mote da série. Nada tira de Bates Motel o titulo de melhor estréia da temporada. Muita coisa ficou em aberto nessa SF, tal como o fato da professora ter um ex-namorado que a perseguia, então ninguém garante que não aconteça um flashback mostrando uma luta entre Norman,a professora e o ex dela. Tem ainda o xerife que esconde segredos, sem dúvidas. O trabalho de Dylan. O envolvimento de Dylan com Bradley. Essa história do irmão da Norma, que ele pode aparecer na vida dela de novo. Bates Motel tem infinitas coisas pra explorar. Pena que vai demorar tanto pra 2ª temporada. Dá vontade de assistir mais e mais episódios sem intervalo de tão boa que a série é.

  10. Bianca Cavani

    Hahahahahha, foi fazer um curativo e acabou com a professora assassinada…
    Bem apontado, Gabi: Vera Formiga atuou de modo deslumbrante, tanto mais – pelo contraste chocante da cena anterior dela com o psicanalista, quando Norma contou aquelas passagens adoráveis da infância…
    Esta série me surpreendeu de muitos modos; eu esperava algo bem plasmado do filme Psicose, e nos presentearam com suspenses completamente inesperados, histórias (sórdidas) da cidade, esse xerife que, no fundo, parece ser El Jefe dos negócios escusos da cidade, aquele irmão que eu comecei odiando e acabei amando e, finalmente, o próprio roteiro que não está entregando tudo de cara, tem muita coisa para ser revelada.
    Sobre esse último ponto, eu estava certa de que o assassinato da professora havia sido o primeiro dos a la Psicose, mas agora nem disso mais tenho certeza – como foi muito bem lembrado, e aquela cena em que ela está brigando com um cara (a respeito de quem nada sabemos) e ficou megatranstornada?
    Foi uma sacada maravilhosa: eu e muitos outros ficamos com a ideia mais simples de que foi Norman o assassino, mas os roteiristas, genialmente, deram um toque sutil na história, em razão do qual não temos certeza de nada. Parabéns a eles por isso! E também a você, pelas reviews tão divertidas, bem escritas, penetrantes e entusiasmadas. Grand merci, sua linda!

  11. Gabriela Pagano

    Não poderia concordar mais com você, Bianca! É exatamente isso :) Eu esperava muito dessa série antes dela estrear e, mesmo assim, superou todas as minhas expectativas!
    Como você disse, o roteiro não entrega tudo de cara, achei genial eles terem deixado tantos “assuntos inacabados” para a próxima temporada – porque, geralmente, as séries resolvem todos os conflitos na season finale, para começar a nova temporada quase do “zero” (não raramente, enrolam a temporada inteira e, aí, nos 40 minutos finais, jogam tudo em cima da gente de uma só vez). Não é o caso aqui, até nisso, Bates Motel inova!

    E quero agradecer profundamente suas palavras sempre tão simpáticas e sua companhia agradabilíssima! Você é demais! ;-)

  12. Bianca Cavani

    Como eu já disse outras vezes, somos nós quem devemos ficar gratos a vocês do Teleséries, que nos oferecem este espaço de informação, reviews, etc., com a maior honestidade intelectual e amor pela arte – vocês é que são demais!

  13. Pingback: ‘Bates Motel’ retorna no início de 2014 com personagens novos

  14. Julia Beatriz

    eu não acho que a culpa seja do Norman ou da professora realmente reconheço que ela cometeu um erro ao deixar a porta aberta más a culpada disse tudo é a Norma a mãe dele por que ela é muito controladora e isso o deixou totalmente insano e também é necessário aqui citar que a Norma não é louca e o Norman também não era essas mortes e as atitudes da Norma deixaram o Norman louco e isso não vai acabar bem eu acho que a próxima vítima dele será a Bradley ou o namorado dela ou até o Dylan o irmão dele vlw por deixar eu me espressar nesse comentário longo más porém interessante beijão eu amo esse site me mantenhão enformada sobre a série Bates Motel

  15. Julia

    nossa que ótimo ponto de vista vc pensou exatamente igual a mim eu passei horas olhando a imagem por que eu sabia que tinha algo de incomum más era isso

  16. Fernando

    O que mais gosto em Bates Motel é essa atmosfera meio dark, acinzentada que volta e meia invade os episódios. Acho que na temporada que vem isso irá se itensificar, pois o processo de transformação do Norman garoto em Norman psicopata vai ser desenvido com mais afinco. Escrevi um pouco mais aqui… http://cabinecultural.com/2013/07/01/bates-motel/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account