Log In

Programação EUA TeleRatings

Audiência nos EUA na segunda, dia 25 de janeiro

Pin it

HouseNessa segunda-feira (26), a CBS tirou uma folga e resolveu não exibir nenhum seriado inédito no primetime. Quem se beneficiou foram os outros canais, livres do bloco de comédias e de CSI:Miami da emissora do olho (que apesar das reprises, foram muito bem).

Com isso, quem mais se destacou na noite foi House. Com as ditas dificuldades criativas por parte da produção, esgotamento da fórmula e a saída de uma das mais populares de seu elenco, não é que a série do Hugh Laurie segue forte em na audiência? É duro ser anti-House

Vamos falar ainda do andamento da oitava temporada de 24 Horas, do segundo episódio de Life Unexpected e do capítulo mais emocionante da história de Heroes: a batalha pela audiência! Isso sem contar Damages, na TV a cabo.

Ranking por horário da segunda-feira, 25 de janeiro

[table id=12 /]

Com reprises de How I Met Your Mother e Accidentally on Purpose, que semana a semana batiam seus próprios recordes, os outros canais tiveram a chance de engordar seus números. Mas não foi o que aconteceu: o reality porre The Bachelor manteve os números da semana passada e Chuck, na verdade, só cresceu um pouco, quase empatando com HIMYM.

O único a aproveitar a ausência de competição foi House, que (num episódio bem fraco, diga-se de passagem) abocanhou mais de 14 milhões de telespectadores, feito que não se repetia desde o episódio que seguiu a excelente premiere do sexto ano.

Na CW, a veterana One Tree Hill repetiu os mesmos números da última segunda-feira.

Às 21h, a Fox exibiu 24 Horas (cacofonia não intencional) e o quinto episódio acabou não sendo o melhor da temporada. O público geral acima de 10 milhões é algo respeitável para uma série de oito anos nos dias de hoje, mas Jack Bauer, CTU e companhia perderam na audiência entre 18 e 49 anos.

O público favorito do anunciantes ficou dividido entre a segunda hora de The Bachelor (que cresceu depois de House) e as reprises de Two and a Half Men e The Big Bang Theory. E a série de Charlie Sheen venceu na audiência geral o reality da ABC – embora os nerds de TBBT tenham se saído um pouco melhor na demo.

Já na NBC, Heroes cresceu: a audiência da demo aumentou 0.1 e a geral teve 350 mil pessoas a mais assistindo! Ehr… Eu tô sendo irônico aqui, caso não tenham percebido. A coisa tá feia e nem com a CBS fora da disputa o panorama mudou.

Na CW foi ao ar o segundo episódio de Life Unexpected. E infelizmente, os números recordistas da semana passada não se repetiram: a audiência caiu 22%. Ao menos a demo se saiu bem. Apesar da queda de 17% em relação à semana passada, os números do público feminino entre 18 e 34 anos (o alvo da CW) venceram os de Heroes por 1.9 a 1.2.

Mas que Life Unexpected caiu, caiu.

Encerrando a noite, CSI:Miami provou mais uma vez que os procedurais da CBS (e vá lá, qualquer série do canal) se dão bem até em reprise. Mesmo assim, Castle segue crescendo e assim como na semana passada, bateu seu recorde pessoal. Já o Leno, na NBC, foi o de sempre.

Ah, claro, como prometido, os números de Damages: a premiere da 3ª temporada do drama jurídico de Gleen Close gerou 1,43 milhões de telespectadores, com um demo de 0.3, nesta segunda no canal a cabo FX.

Houve uma redução, se compararmos a premiere da segunda temporada, responsável por 1,71 milhões, mas um acrescimo desde seu último season finale, visto por 1,05 milhões.

Com isso, a premiada série do FX ficou atrás da concorrência às 22h. Bom pra TNT, que com a já renovada Men of a Certain Age, de Ray Romano, alcançou 2,34 milhões. Melhor ainda pra Pawn Stars, do History Channel, 4,28 milhões. Três vezes melhor que a Patty Hewes de Gleen Close…

Séries citadas:

23 Comments

  1. Daniele

    Novamente estou gostando de uma série com baixa audiência – life Unexpected, incrível…rs

  2. Jorge

    Misturando sem vergonha informação de opinião…pena dos leitores desse site

    Resposta do Paulo: Jornalismo opinativo, já ouviu falar?

  3. Fernando dos Santos

    Eu gosto muito de Damages mas achei esses núemros preocupantes.Espero que a série melhore os seus índices mas acho difícil que isso aconteça.
    A trama de Damages é bastante complexa,intrincada e a narrativa é não-linear.Esse tipo de narrativa acaba criando obstáculos para que novos telespectadores comecem a acompanhar a série.É aquele tipo de história onde o espectador não pode perder nem um minuto de episódio.

  4. Marcelo

    Uma curiosidade: Quando (na demo) Old Chrstine dava no time slot de TBBT?

    Já tô vendo Heroes indo p/ as sextas…

  5. Luiz Milagres

    “Já tô vendo Heroes indo p/ as sextas…” [2]

    @(5)Jorge: Essa é uma característica da coluna! E que continue assim…!
    Opiniões diferentes sobre as séries podem ser expressas nos comentários…

  6. Pedro Paulo

    M-E-D-O da FX cancelar Damages… audiência muito ruim… esperava 2 mi e meio pelo menos.

    Só que se cancelarem , naõ terá série de prestígio no canal, então, pode ser que a FX dê uma de NBC com 30 ROCK.

  7. anderson

    1-Com as ditas dificuldades criativas por parte da produção,
    2-esgotamento da fórmula
    3-e a saída de uma das mais populares de seu elenco,

    olha, pra mim ao elencar essas coisas é dificil ser pró-House, ser anti-house é muito facil eheheheh

  8. Patrícia Amaral

    “a saída de uma das mais populares de seu elenco”

    A 13 saiu? Ou foi a Cuddy? Não, foi aquela chata que casou com o bonitão.

    1-Com as ditas dificuldades criativas por parte da produção,
    2-esgotamento da fórmula

    Isso vale para qualquer série, mas é mais gritante em 24 Horas (pelamordedeus, essa série já deu o que tinha de dar há mais de 5 anos!!!) e Lost (cujo nome da série se refere a situação dos responsáveis por manter centenas de mistérios sem pé nem cabeça, que não se encaixam uns com os outros quando são revelados).

  9. Thiago Sampaio

    Só pra constar: EU não sou anti-House =P

    Jorge, se no Teleratings só tivesse a informação fria e sem nenhum comentário, seria bem maçante, não? No texto, só testou tentando colocar um pouco de minha opinião pra deixar a leitura menos cansativa.. Se eu colocasse apenas os números seria matemática.

    E pois é, Pedro huahuahauah CBS é a The Eye, a NBC é o pavão (peacock), ABC é a do alfabeto (ou canal da disney) e acho que a CW fica como caçula mesmo. Já a Fox, aqui nas nossas bandas, chamamos de raposa, rá!

    Uma última coisa: a audiência de Damages foi o de menos. Excelente episódio!

  10. hageimaster

    olha, pra mim ao elencar essas coisas é dificil ser pró-House, ser anti-house é muito facil eheheheh (2)

    ótima anderson, impagável kakakakaakakakakaka

  11. Paullo kidmann

    noosa que bom q Accidentally ta indo bem msmo na reprise, ouvi dizer que tava correndo risco de ser cancelada.
    tipo e life Unexpected msmo caindo na minha opnião ainda ta bem se comparar com o fracaso de TBL, a audiencia da (minha hehehh) favorita gossip girl e a fraca audiencia de Melrose place. to adoorando a série mais achei esse segundo epi meio fraco.
    xoxo

  12. Danilo

    Essa audiência de Damages é baixa comparada com as outras duas temporadas? Ou é o que a série normalmente dá mesmo?
    De qualquer forma o episódio foi muuuuuuito bom. Damages vai entrar pro “Lá Fora”? Espero que sim, adoro a série.

  13. Rubens

    Pois eu me divirto muito mais com HOUSE (uma das series que continuo acompanhando) do que com 30 Rock, Modern Family (e aquela coisa chatissima dos atores agirem como se estivessem em um reality show), Mad Men e outras series queridinhas dos criticos.

  14. Jorge

    Resposta do Paulo: Jornalismo opinativo, já ouviu falar?

    Acho que sim, mas pelo jeito você nunca ouviu falar em gêneros jornalísticos e como defini-los em um espaço. Não digo que se pode ser neutro, pois esse conceito já foi derrubado por vários estudiosos. Mas os veículos que se preocupam com a qualidade da informação separam muito bem entre seu espaços (jornais impressos em páginas iniciais, por exemplo) as categorias majoritariamente informativas e/ou opinativas. Nesse caso, o mais importante é a informação, não acha? Misturar opinião (dizer que episódio x foi fraco) é extremamente nocivo para o leitor, e diversos estudos já provaram o impacto de opinião em categorias que são eminentemente informativas na formação inteleco/cultural de leitores.

    Resposta do Paulo: Jorge, a TeleRatings, entre idas e vindas, e entre colunistas e colunistas, já tem uns quatro anos. Sempre foi opinativa. A pessoa que quer números pode ir pro FutonCritic, pro TV by Numbers, pro Mediaweek, pro Zap2it e outros sites gringos. Aqui é um blog, um espaço de discussão e se for pro Tiago dar copiar e colar os números sem comentar eu aposto que ele não fará a coluna.

    Outra coisa, a base da TeleRatings é a interpretação. Todo texto baseado em informação estatística tem interpretação. Isto acontece diariamente no noticiário e as pessoas não se dão por conta. Às vezes você vê num jornal coisas como “aumenta o desemprego (em relação ao ano anterior)” e em outro “diminui o desemprego (em relação ao mês anterior)” e a verdade é que as duas coisas estão certas. Mas foram interpretadas e parecem completamente diferentes e transmitem mensagens completamente diferentes! Quando o Tiago (ou eu, que fazia muito mais do que ele) vai buscar uma informação que não está na tabela, como “o episódio foi ruim”, nós estamos é balizando o dado, enriquecendo a compreensão do número. Isto é uma coisa boa. E o mais bacana é que o site tem os comments que permitem ao leitor dizer quando pensa o contrário. E fica registrado isto!

  15. Ana

    Bom, de todos os episódios dessa nova temporada de House, esse não foi o pior episódio (oi, episódio pós saída da Cameron).
    Então, eu fico feliz porque a audiência aumentou e blablablá.

    Rubens
    Concordo com a parte que fala de 30 Rock e Mad Men. Mas Modern Family? A série é genial.

  16. Thiago Sampaio

    Jorge, quando avalio o episódio como ‘fraco’ nessa coluna, estou apenas acrescentando as informações sobre o seriado House: criticado pelo público, fórmula esgotada, saída de atriz e mesmo assim boa audiência (em um episódio fraco).

    Acho que fui relativamente pertinente no comentário: a audiência de House foi boa, apesar da qualidade do episódio, devido a fidelidade do público e as reprises da CBS. Isso é informação. E, claro, com um pouco de opinião também (não existe informação livre de viés ou que seja 100% parcial, isso é utopia, mas também não estamos induzido verdades goela abaixo de ninguém)

    Insisto, se tivéssemos que fazer a coluna sem expressar um mínimo de opinião, ela seria irrelevante. Quem quer ver apenas números e porcentagens? Além do mais, o legal do TeleRatings é sua democracia, com espaço aberto para que qualquer programa seja comentado por todos.

  17. Fernando dos Santos

    Matheus Lins, obrigado pela informação.Espero então que os produtores façam um ótima temporada final para a trama, um fim que esteja a altura do que a série apresentou nos dois primeiros anos.

  18. Bruno A.

    “Misturando sem vergonha informação de opinião…pena dos leitores desse site”

    Triste é pegar uma VEJA e ver eles criticando o Lula (ou, atualmente, a Dilma Rousseff) numa matéria sobre Avatar.

    Essa coluna do site, pelo menos, deixa esse intuito claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account