Log In

Especiais Opinião Reviews

As primeiras impressões de ‘Apartment 23’

Pin it

“Don’t trust the B—- in Apartment 23′ (não confie da vadia do apartamento 23) era o nome original. Mas acabou ficando só “Apartment 23”, onde acontecem coisas que até Deus duvida.

A série conta a história de June, uma garota simples de Indiana que se muda para Nova York depois de conseguir um ótimo emprego. Quando ela chega à “melhor cidade do mundo” seu próprio mundo  “meio que” vai abaixo. A empresa onde ela ia trabalhar é fechada por causa de falcatruas de seu chefe e o apartamento onde ela ia morar é interditado (por fazer parte dos bens da empresa). Sozinha, desempregada e sem muito dinheiro, June procura uma pessoa para dividir um apartamento. Aí conhecemos Chloe.

Mas era melhor nem ter conhecido.

Chloe se apresenta extremamente agradável e “normal”. Mas ela tem um plano maligno por trás desta máscara. Chloe está sempre mudando de colega de apartamento, pois sua  “missão” no mundo é expulsar mocinhas do interior de Nova York. Ela sempre dá um jeito de infernizar a vida de quem vai morar com ela para que a pessoa perceba que Nova York não é um lugar decente para pessoas normais viverem. E como Chloe não é lá muito normal, ela está no lugar certo.

June é quieta, caseira, simples e dedicada. Chloe é porra louca, vive alcoolizada, andando nua pela casa e usando as coisas da colega. Ah! E ela é amiga de James Van Der Beek; sim, o Dawson de Dawson’s Creek. O personagem de James é peculiar.

De início a gente sente vergonha alheia do sujeito por estar fazendo papel dele mesmo mostrando que não há mais espaço para ele no universo artísticos. Vemos ele tentando voltar à ativa, pegando papéis em filmes ruins, tentando dar aulas de atuação, mas ele sempre acaba como Dawson. A verdade é que ele não faria falta nenhuma à série; mas ele está ali, então a gente se diverte um pouco com a desgraça alheia.

James não faria falta porque a série está repleta de personagens fantásticos para “apoiar” as duas protagonistas. Robin, a vizinha obcecada das duas, já foi colega de apartamento de Chloe, mas esta infernizou sua vida assim que pôde. Mas Robin ainda é apaixonada por ela e vive fazendo de tudo para conquistá-la. Foi ela quem disse “Não confie na vadia do apartamento 23” para June assim que ela foi ver o local.

Quando June chegou em seu “novo emprego” e viu tudo invadido pela polícia e os funcionários saindo correndo e levando o que podiam, um sujeito muito bacana explicou a ela o que havia acontecendo e, mais tarde, no mesmo dia, ao vê-la abandonada na calçada, ofereceu-lhe um emprego de garçonete em uma cafeteria. Este sujeito, chamado Mark, acaba se tornando amigo dela e é um personagem muito interessante.

Um terceiro personagem de apoio que também nos chama a atenção e que nos faz rir um bocado é o vizinho pervertido Eli. Eli passa um bocado de tempo na janela de sua cozinha, porque é quase colada na janela da cozinha do apartamento de June e Chloe. Às vezes ele se masturba com a visão que ele tem delas, às vezes só se mete no assunto delas mesmo, e algumas vezes até ajuda a resolver algum problema.

Apesar de tudo o que Chloe faz para infernizar sua vida, June acaba encontrando bons e justificáveis motivos para algumas coisas (MAS NÃO TODAS). A verdade é que Chloe é uma mistura de sociopata com psicopata que não consegue expressar nenhuma emoção, seja facial ou íntima, e que realmente não POSSUI nenhuma emoção.

A série é divertida e surpreendente. Você nunca sabe o que esperar de Chloe…. e ela SEMPRE surpreende. Vale a pena acompanhar a luta de June para permanecer sã morando com Chloe. Vale a pena acompanhar James Van Der Beek se esforçando para não parecer mais lame do que ele está. E vale a pena acompanhar as histórias que, a cada episódio, nos mostram um pouquinho mais da “sem-noçãozice” de Chloe.

Séries citadas:

9 Comments

  1. Beto Carlomagno

    Já amo. Viciei desde o começo. Achei engraçada demais e só discordo de você na parte que você diz que James não faria falta. Eu acho que Apartment 23 só ganha com ele e, para mim, ele teve alguns dos melhores momentos da série.

  2. Thiago FLS

    Para mim, “The Beek” vale a série, mas o resto do elenco também está muito bem. Assim como Happy Endings, o piloto tem seus problemas, mas nos episódios seguintes os roteiristas encontraram o tom certo para fazer a gente rir sem odiar os personagens. Que bom que a segunda temproada já está garantida.

  3. Dierli M Santos

    Eu também gosto do dawson como ele mesmo. rende muitas piadas, tanto para quem gosta quanto para quem não gostava de dawsons creek.

  4. Paullo Kidmann

    Só assisti o piloto estou esperando alguma emissora comprar para passar aqui no Brasil, Já tem previsão por falar nisso? O que está aconteçendo com a ABC hein? ela ta essa já é a 2° série a trocar de nome dpois da estreia!

  5. marifreica

    Curti a ideia de colocarem um personagem que é um ator de um personagem só tentando voltar ao mercado, e que ele seja meio … aleatório(?) mesmo. Mas o fato de este personagem ser um ator fazendo o papel dele mesmo foi que eu não curti. Senti uma coisa meio Episodes.

  6. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 6 a 12/8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account