Log In

Opinião Preview

As Primeiras Impressões de ‘Alcatraz’

Pin it

Bem-vindos à Alcatraz!

Como todos sabem, Alcatraz é aquela prisão americana superfamosa, localizada na Baía de São Francisco (EUA), para onde eram enviados os criminosos mais perigosos do país. Desde o seu fechamento, em maio de 1963, Hollywood se rendeu à qualidade mística da ilha e produziu alguns filmes com a penitenciária como tema central (quem nunca assistiu a A Rocha que atire a primeira pedra!). A mais recente produção, porém, foi feita para as telinhas e assinada por JJ Abrams (de Alias, Lost e Fringe), que sabe melhor do que ninguém misturar mistério, fantasia e conspiração em suas séries.

Alcatraz começa em 1963, quando dois guardas vão fazer uma ronda de rotina e descobrem que nenhum dos presos está em suas celas e que todos os guardas desapareceram. O voice over nos conta a história oficial do presídio: “ele foi fechado em 21 de março de 1963 e todos os detentos, transferidos” e adiciona “Mas não foi bem assim que aconteceu.”. Enquanto os guardas vasculham as celas, a trilha sonora e os relâmpagos e trovões, apesar de clichês, são muito efetivos para dar o tom de suspense à cena.

Ao voltarmos ao presente somos apresentados à detetive Rebecca Madsen (Sarah Jones, em seu primeiro papel principal na TV) que, ao investigar o assassinato de um antigo diretor de Alcatraz, encontra digitais de um ex-presidiário da “Rocha” que supostamente está morto. Apesar de ter se interessado pelo caso, ela é obrigada a abandoná-lo oficialmente quando o agente do FBI Emerson Hauser (Sam Neil, de Jurassic Park) assume as investigações. Inconformada, a jovem procura a ajuda do especialista em Alcatraz, Diego ‘Doc’ Soto (Jorge Garcia, de Lost), para desvendar o que realmente aconteceu. No meio de uma de suas buscas clandestinas no presídio, os dois são descobertos pelo agente, que acaba por permitindo que participem da investigação.

Ao longo do episódio, a detetive Madsen e o Doc descobrem o q o agente Hauser já sabia: que o assassino é Jack Sylvane, um dos presidiários que estavam em Alcatraz na época de seu fechamento, e que teria sido transferido para outro local com os seus colegas. A questão é que ele não é o velhinho de oitenta e poucos anos que todos esperavam, ele tem a mesma idade que tinha em 1963. Descobrem também a verdade sobre a “transferência” dos presos e do fechamento de Alcatraz.

No segundo episódio, somos apresentados a Ernest Cobb, um assassino com TOC que foi abandonado pela mãe quando criança e que tinha como principais vítimas meninas de 16 anos, idade da irmã que a mãe não abandonou. Pouco é falado da conspiração nesse episódio e tenho certeza que todos ficaram surpresos quando nos foi mostrado que a assistente do agente Hauser, Lucy Banerjee (Parminder Negra, de ER), era uma médica em Alcatraz na década de 60. No primeiro episódio ela é pouco explorada, o que torna difícil entender sua motivação. Será que ela está infiltrada no FBI? Jack Sylvane não sabia como ele fez para voltar, será que ela sabe? Hauser sabe muito mais do que ele conta para a Madsen e para o Doc, mas qual será o papel de Lucy nisso tudo?

Os dois primeiros episódios, exibidos nos Estados Unidos na última segunda-feira, deixaram muitas perguntas a serem respondidas, o que deve garantir que boa parte de seus 10 milhões de espectadores volte para conferir o que acontecerá. A história, contada por meio de flashbacks, dá um ritmo interessante à série e mostra um pouco mais da vida do “presidiário da semana”, que reaparece no futuro por dois motivos: vingança e cumprir a tarefa designada pela “conspiração”. Eu havia lido que Alcatraz é uma série episódica, mas depois de assistir, sou obrigada a discordar. Tudo bem que eles têm um caso específico por semana, mas o maior mistério de todos só será desvendado (e entendido) por aqueles que assistirem a todos os episódios. O telespectador eventual se sentirá perdido.

Apesar de ter feito um bom trabalho em apresentar os personagens, tenho certeza de ainda vamos descobrir muitas coisas, principalmente sobre Doc e Hauser. Como Hauser descobriu que os criminosos do passado estavam voltando? Como ele e Lucy se conheceram? Se todos os guardas de Alcatraz também sumiram, como o tio de Madsen está vivendo normalmente? Qual a história do avô dela? Será que teremos alguma dessas respostas ainda na primeira temporada? Eu pretendo assistir para descobrir, e vocês?

* * *

Alcatraz estreia no Brasil na próxima segunda-feira, dia 23 de fevereiro, às 22h, na Warner Channel.

Séries citadas:

9 Comments

  1. Anônimo

    Pretendo, sim! Pelo piloto, vimos que esses prisioneiros que sumiram estavam sendo objeto de experiências (macabras) pelos megamaus da direção do presídio. Um já foi excecutado, no piloto. 
    Nós, que já vimos muitas séries, ficamos pensando que o mistério seria X ou Y. Tomara que seja bem surpreendente e que nossas suposições estejam todas furadas. 

  2. Fernando dos Santos

    Ainda não assisti ao piloto, mas espero que eles tenham uma boa explicação para o fato dos parentes e amigos dessas pessoas desaparecidas nos anos 60 em Alcatraz nunca terem feito perguntas sobre esses desaparecimentos.
    Além disso, o sumiço repentino e sem explicação de cerca de trezentas pessoas deveria ter causado um estardalhaço na mídia e render debates e discussões até os dias de hoje.
    Espero que o roteiro traga uma explicação convincente para o fato desse sumiço ter sido acobertado de forma tão bem sucedida.
    Todos sabem que o governo americano tem um poder quase sem limites mas acho que até mesmo ele dificuldade para encobrir um evento tão grande e ainda por cima ocorrido em solo americano.

  3. Fernando dos Santos

    Corrigindo: “mas acho que até mesmo ele TERIA dificuldade para encobrir um evento tão grande”

  4. Mariela Assmann

    Eu também pretendo acompanhar. A série, e as reviews aqui no site. Ótimo texto! =D

  5. Pingback: Destaques da Semana – Brasil – 23/1 a 28/1

  6. Cleide Pereira

    Cynthia assisti ontem ao pilot e gostei, continuarei assistindo pela warner e lendo os seus reviews

    e já deu pra sentir que a série será recheada de porques o/
    está até parecendo meu sobrinho de 12 anos que só abre a boca pra …. porque ???

    gostei das participações pequenas do sobrinho e da esposa do Jack, o primeiro o eterno Dr. Beckett de SG Atlatis e a segunda a detetive de Rookie Blue e Shattered

    se continuar para cada episódio a captura de um dos desaparecidos então temos muitos episódios vindo por ai …. pois foram 302 que desapareceram em 63

  7. Bruno

    Qualquer semelhança com os “re-aparecidos” de THE 4400 é mera coincidência?

    Juntou “produtores de Lost” com outra ilha, partes em Flash Back e perguntas sem resposta é suficiente para ativar todas as minhas defesas. Eu NÃO VOU acompanhar essa série. Já me bastam os 6 anos perdidos com Lost…

  8. paullo kidmann

    Sim, heheh o engraçado é que o pessoal da Warner faz a série pareçer “A Série” , a série é boa sim, vou acompanhar, mais é sempre bom assistir os novos projetos de JJ com o pé no chão pq vc acaba esperando muito e nem é lá essas coisas, gostei muito de Alcatraz mais posso dizer que a série não é Lost e nem Fringe pelo menos não em seus episódios iniciais…!

  9. Cristiano

    Esta é uma daquelas séies que não permite que você perca um episódio sequer, por correr o risco  de perder uma grande revelação do enredo. estou gostando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account