Log In

Reviews

Arrow – Burned e Trust But Verify

Pin it
Série: Arrow
Episódios: Burned e Trust But Verify
Número dos Episódios: 1x10 e 1x11
Exibição nos EUA: 16/01/2013 e 23/01/2013
87.8
4.3
5

Seis semanas é muito tempo para Oliver Queen ficar sem uma boa luta.

No episódio Burned, foi uma ideia inteligente dos roteiristas em espelhar os desafios que Oliver tem passado com a dor de Moira. Quando Oliver e seu pai desapareceram, Moira foi resgatado por Walter, que insistiu para que ela saisse de casa e voltasse a viver. Agora, Oliver é resgatado por seu amor por Laurel – ou melhor, a sua vontade para consegui-la de volta- o que o obriga a voltar para o jogo. Mas Thea sempre se sente ameaçada dentro da própria casa, mesmo que ela saiba que a pessoa tem motivos para estar assim. Todo episódio é a mesma coisa, infelizmente se tornou um plot recorrente e que não faz com que a personagem se torne mais agradável.

Thea, porém, expressou suas preocupações para sua mãe pela primeira vez em um longo tempo e isso, com certeza foi um momento agradável e sutil para sua personagem, só esperava que ela não se sentisse na necessidade de entregar uma lavação de roupa suja por episódio.

Porém, o episódio mostrou Ollie com uma autoestima muito baixa, para conseguir dar a volta nos últimos momentos e conseguir seu momento de glória. Ollie não estava no seu melhor no começo do episódio, mas principalmente por meio do flashback, ele conseguiu voltar à programação normal e para isso, Ollie precisou de Diggle para ver as coisas mais claras – O segurança não funciona somente para colocar algum senso em Oliver, mas também para inspirá-lo e confortá-lo quando necessário. Foi bom, pois mostra o tanto que a relação e parceria entre os dois têm crescido.

O ‘caso da semana’, porém, não foi muito interessante. Foi a primeira vez que deram um plot para a amiga de Laurel, mas perceba que os roteiristas nem gostaram do que escreveram e já mandaram a personagem para longe. Porém, sempre é legal quando Laurel conversa com o Arqueiro, e obviamente veremos mais sobre isso nos próximos episódios, uma vez que Laurel se tornou a mula de espionagem do próprio pai.

P.S: Tommy já foi mais interessante. Ele deveria voltar a casos de uma noite só com modelos.

Cuidado com quem você confia. Não há forma melhor de descrever qual foi a moral da história do episódio 11 de Arrow, voltando sua atenção para a listinha de vingança, só que com um plot twist: Diggle conhece muito bem a próxima vítima.

Todos os plots do episódio podem ser assim descritos: não confie em ninguém. Diggle defende seu amigo, então ele obviamente é o vilão do episódio – o vilão que Ollie e o livrinho acham que é, Thea acredita que sua mãe não está planejando algo, e mesmo que ela não tenha de fato traído Walter, o que for que ela esteja fazendo com Tommy Pai com certeza não é algo para se vangloriar. A pior traição, porém, foi no flashback da semana, com Ollie descobrindo que Japa Hood é malvadão. Ou seja, em quem você pode confiar? Aparentemente, ninguém.

Toda a moral seria extremamente interessante, se o episódio não tivesse sido completamente didático, previsível, sonífero. Semana passada foi a mesma coisa e dessa vez não foi diferente. Claro que Thea ia tomar umas boas drogas e bateria o carro, que era algo que ela queria faz bastante tempo, caso contrário, ela não iria dirigir perto de um precipício depois de testemunhar o que ela acha que foi um encontro entre sua mãe e Tommy Pai. E claro que isso acontece bem depois de Ollie fazer uma piada sobre sua incapacidade de dirigir sem bater, no início do episódio. Não podia ter sido mais previsível.

O problema é que a história aqui não é envolvente. Nós não aprendemos nada de novo sobre Diggle além do fato de que ele é muito gentil e disposto a acreditar na bondade das pessoas – o que só faz dele uma variação de Laurel. Nós já sabíamos que Tommy Pai era um canalha, então com certeza NINGUÉM suspeitaria que o jantar entre ele, Tommy e Laurel fosse por algum motivo interesseiro. E graças a Deus, confirmaram que Thea gosta de festa e problemas, porque com certeza não teríamos descoberto isso até hoje.

Chato e previsível é uma coisa, mas chato e previsível e sem nada a acrescentar já diz que devíamos rever a possibilidade de cancelar Arrow de vez da watchlist.

P.S: É provável que o único fator revigorante da série anda sendo Felicity. Nem os shirtless de Ollie andam agrandando… É sempre do mesmo jeito, com a mesma calça!

Séries citadas:

Cinéfilo e viciado em séries. É também um podcaster, blogueiro e estudante de Letras e Jornalismo. Acompanha mais de 60 séries, sem contar as milhares que já passaram. Gosta de todo tipo de série, não discrimina. Usa o sarcasmo, a ironia e a acidez para lidar com as situações ordinárias. Pode ser encontrado no twitter pelo user @marcoacpontes.

Website: http://www.mundodaseries.com

1 Comment

  1. Anderson Narciso

    Você esquece de mencionar que o caso da semana do 1×10 foi simplesmente uma puta homenagem a Batman… Usaram um dos vilões do Homem-Morcego, o Vagalume, e o introduziram muito bem na história… Gostei bastante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account