Log In

Reviews

Aprendiz 3: O retorno das demissões semanais

Pin it

Roberto Justus e Viviane VenturaFoi exatamente na terceira edição que a versão norte-americana de O Aprendiz começou a se desgastar. Donald Trump ficou um tantinho desinteressante, houve escassez de participantes envolventes e as provas não primavam exatamente pela criatividade. Aconteceu o inevitável: telespectadores abandonaram o programa. Para Roberto Justus, não há a pressão de manter a audiência, porque está é declaradamente sua última temporada no reality. Mas fica difícil crer que por isso ele vá relaxar. Prova maior é que o primeiro episódio desta terceira edição de O Aprendiz brasileiro foi muito bom. Inclusive ele.

Teve uma apresentação interessante sobre Nova York, cidade de trabalho do futuro contratado, com um Justus relaxado e seguro. Teve uma abertura diferente, imersa num grotesco (mas aceitável) mundo digital. Teve uma edição competente, apesar de pouco identificar os participantes e ainda cometer clichês sonoros. Aparentemente, até a demissão inicial, algo complicado, foi justa. Porque a prova (adaptada da versão de Trump) é relativamente fácil e grande teste do grau organizacional dos participantes. A demitida fez muita coisa errada e quase admitiu ter merecido a demissão.

Não houve, porém, grandes novidades. A abertura, o salário e o novo emprego não são partes ativas em O Aprendiz. Roberto Justus fez aquilo que devia e, pelo menos superficialmente, parece ter aumentado a rigidez na análise dos participantes (“É bom que meu aprendiz tenha um sono leve”, disse ele em determinado momento). Seus comentários foram todos pertinentes e só o ato de calar os candidatos com uma simples frase mostra que soube direitinho como construir, ao longo de duas temporadas, uma imagem de durão extremamente crível. Mas, excluindo Justus, quase nada mais mudou. Nem piorou nem melhorou. O que antes era muito bom continuou muito bom.

Só que isso acaba dando ao apresentador uma importância grande demais. O programa precisa saber viver sem Justus como importante alicerce. E se, de uma hora para outra, o coração dele amolecer e ele se tornar um jurado de Ídolos no comando de Aprendiz, ou uma Martha Stewart? Tem também o principal: essa é a última temporada de Justus no comando, mas alguém pode sucedê-lo na tarefa. E se esse alguém tiver características completamente opostas das do atual apresentador?

É bacana constatar que Justus não piorou, não amoleceu, não cansou. Que até chegou a melhorar. Ele carrega com competência boa parte do programa nas costas. Mas Trump também carregava a terceira temporada do Aprendiz americano em suas costas quando tudo começou a dar errado. E ele deixou a peteca cair. Importante é não acomodar e não tornar do óbvio clímax que é o “você está demitido!” a única coisa realmente interessante do programa. Ainda não é. Ainda. Posso estar enganado, mas os participantes interessantes dessa terceira edição podem ser uma futura saída. Os (ainda mornos) jurados é que dificilmente serão.

Já pensou se o possível sucessor de Justus (se houver, claro) demitir os outros usando um simples “tchau”, como fazia Martha Stewart? Ninguém merecerá. Nem nós, nem os aprendizes.

Séries citadas:

25 Comments

  1. Eric

    Nossa que rápido!!!!!!!!Adorei a estréia. Sempre gostei de O Aprendiz. Tem td pra ser um susesso. O Justus não amoleceu nem piorou, tomará que isso não aconteça pois a essência do programa depende dele.

  2. Paulo Antunes

    Gustavo, o melhor reality show brasileiro está de volta e lá vão as minhas opiniões sobre ele:

    1) Você está certo, o Justus está melhor do que nunca.

    2) Achei a nova abertura horrenda, negócio bizarro mesmo. Na boa, quem não tem grana pra fazer computação gráfica de qualidade que não o faça. Não é só no Brasil não, tenho visto tanta coisa ruim em seriado americano (os últimos episódios de Invasion e Surface foram tenebrosos, a vista aérea de Metropolis na season finale de Smallville também).

    3) Tem um negócio que eu achei muito legal no Aprendiz 3, que infelizmente ainda não utilizaram aqui, que foi a competição entre os diplomados e os “descolados”. Creio que eles não puderam usar aqui este ano porque a seleção deve ter exigido candidatos com fluência em inglês para trabalhar em NY, e deve ser complicado achar pessoas sem curso superior que falem inglês.

    4) O fim da imunidade é legal, quanto menos regras tiver é melhor.

    5) O que realmente me incomoda na versão brasileira de O Aprendiz é que há sempre a possibilidade de resolverem as coisas com jeitinho. E aconteceu já na primeira prova: ganhou quem descolou o maior patrocínio, não quem ralou mais. Ganhar dinheiro no programa é tudo questão de achar alguém que pague para ter sua marca exposta lá (e na verdade a marca não vai ser exposta só em uma van, ela vai é aparecer em cadeia nacional, na Record e no P+A). Os produtores tem que se dar conta que as provas estão irreais, porque na vida real os aprendizes não são seguidos por câmeras, que irão expor a marca dos patrocinados. Tem que ser proibido isto, os caras tem que fazer dinheiro vendendo mesmo, sem parcerias.

  3. Juliano Cavalca

    Review “The Flash”, hehe.

    Gostei muito do primeiro episódio. O Justus é bom, mas ele não me convence muito como “durão”.

  4. Lourdes

    Realmente o programa é muito bom, mas ainda prefiro o Trump, acho ele mais agressivo que o Justus.
    O que me irrita é q sempre qdo o programa separa o grupo homens contra mulheres, elas só fazem besteira e demonstram logo de primeira todos os pontos fracos. É tão triste e irritante isso!!

  5. Cristiano Vieira

    O melhor REALITY SHOW disparado!

    Começou muito bem ao meu ver. Bem organizado e editado. O problema que eu não boto fé nesses participantes. Galera com um currículo invejável, gabaritado e cometem gafes infantis. Hummmm sei não. Mas o Justus está bem. Esse programa já é sucesso, vcs viram a quantidade de produtos que permeia o programa? Tem patrocínio saindo pelo ladrão.

    Melhor que fantástico.

  6. Victor Regis

    Alguem pode me dizer qual é o horário q o Aprendiz passa??

  7. Cristiano Vieira

    Passa as 20:30 no Domingo na Record. No People + Arts passa depois, não sei em que horário.

    Faltou sim algo em O APRENDIZ.
    “O INFELIZ” do Tom Cavalcanti logo em seguida.

  8. Victor Regis

    velu pela informação Cristiano.E o Infeliz era mesmo hilário!!!

  9. Eric

    Errado. O People + Arts exibe antes que a Record, ás 19:30, falo pq vi.

  10. Lourdes

    Obrigada Thiago, não querendo ser muito folgada, mas vc tb poderia informar se será o mesmo horário para o People+Arts?

  11. Tata

    Estou adorando o Aprendiz 3, o Justus esta com uma postura apropriada. Os candidatos ainda se encontram nervosos e ainda nao mostraram a sua personalidade.

  12. Anderson C. Simão

    Gosto muito do programa, gostei desde o primeiro. Acredito que a televisão brasileira deveria colocar mais programas de cunho cultural (como o aprendiz) e não programas sensacionalistas. Deveriam colocar os programas desde o primeiro à venda em DVD.

  13. Marcelo

    Gosto muito do programa o Aprendiz, porem nesse terceiro algumas coisas deveriam mudar um pouquinho. Deveria mostrar mais os candidatos no hotel, se interagindo. O programa esta muito o Justus e muito pouco das provas.

  14. Hudson

    PUXA,QUE LOUCURA QUE DEU NO PETER,MEU DEUS,NUNCA VI COUSA IGUAL,SE DEMITIR E AINDA BATER BOCA COM O JUSTUS!!!!!!
    SEM COMENTS!!!!!!!!!

  15. nislãyne

    É uma lição de vida!!!
    gosto de observar e absorver todas as informções que ali são contruidas.

  16. Cleir Estevam

    Algumans vezes que acompabheie gostei, gostaria de
    comprar DVD das três idições, como fasso isso!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account