Log In

Reviews

Alphas – Cause and Effect

Pin it

Série: Alphas
Episódio: Cause and Effect
Temporada:
Número do Episódio: 1×02
Data de exibição nos EUA: 18/07/2011

A aventura continua…

O mundo das séries é curioso. Enquanto algumas produções fazem pilotos ruins e capricham na sequência, outras fazem episódios iniciais magníficos e nos entregam mediocridades ao longo da temporada.  Ainda não é exatamente o caso de Alphas, mas devo admitir que esse segundo episódio esfriou todo o clima gerado no piloto. É possível até compreender por quais motivos isso aconteceu, afinal séries de humanos com superpoderes tendem a cair no clichê de um novo poder a cada capítulo. Alphas não deveria ter lançado mão de tal artifício, mas tirando o péssimo Marcus Ayres, elemento para intensificar a trama, tivemos um roteiro que diz pouco a respeito do que estar por vir.

A trama central do episódio envolveu intensamente o Dr. Rosen e um de seus ex-pacientes problemáticos, o já citado Marcus Ayres. E não demorou para descobrirmos que o responsável pelas atitudes malucas e psicóticas de Marcus era o próprio doutor, depois de alguns flashbacks reveladores. Claro que a culpa não é completa do Rosen, mas ele indiretamente contribuiu para a situação ao mandar o tal do Alpha para a cadeia especial, que no fim das contas está servindo para experimentos ilegais nessas pessoas com poderes extraordinários. É outro clichê absurdo colocar humanos contra a minoria superpoderosa, mas caso a série consiga abordar o assunto de forma diferente, o que é bem difícil, teremos um bom plot ao desenrolar dessa temporada e até das futuras. Governo e humanidade contra os Alphas, quem ganha essa batalha?

Apesar dos clichês, a originalidade dos poderes e seus elementos é o grande diferencial até aqui. Marcus é capaz de prever ações e manipulá-las ao seu bel-prazer, gerando situações geniais e absurdas, como foi a cena da fuga. Envolvida nesse poder também está a habilidade de enxergar o mundo de forma objetiva, como se cada ação fosse premeditada por cada um de seus autores. Sem dúvida não há melhor nome para o episódio do que causa e efeito, inclusive para pensar se Marcus voltará em outros momentos da temporada. Confesso que acho completamente desnecessário, mas tudo indica que o maluco ainda está vivo e planejando alguma coisa maior do que as mortes dos responsáveis por seu confinamento e tortura.

Enquanto isso tudo rolava, os outros pupilos de Rosen não receberam o destaque que mereciam e trabalharam como coadjuvantes durante todo o episódio, fazendo suas pequenas tarefas com o escritório novo e as ações para impedir o ‘freak’. Destaque para a história de Nina e seu medo de ser enviada para a mesma prisão onde estava Marcus. É possível que os dois ainda tenham alguma coisa a revelar para a série, mas por enquanto é só especulação minha.

Por fim, foi um episódio de transição, para introduzir dúvidas, mistérios e conflitos, mas poderia ter sido melhor, principalmente no quesito atuação e originalidade dos diálogos, que mais pareciam colagens de frases de efeito a cada segundo e tirando a naturalidade da história ao dar tudo mastigado ao espectador. Nesse aspecto,  Alphas precisa melhorar, aprender com Fringe e surpreender, ou estaremos diante de mais um fiasco envolvendo super-heróis.

P.S. David Strathairn não me convence com sua atuação.

 

Séries citadas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account