Log In

Reviews

Alcatraz – Guy Hastings

Pin it
Série: Alcatraz
Episódio: Guy Hastings
Número do episódio: 1×05
Exibição nos EUA: 06/02/2012

Nesse episódio de Alcatraz temos nosso primeiro guarda retornando após 50 anos do fechamento do presídio. Com ele algumas respostas e, como não poderia deixar de ser, muitos mistérios. Guy Hastings era oficial de treinamento em Alcatraz, chegou em 1957 ao presídio com a esposa e a filha Annie, então com seus sete ou oito anos. Segundo a história “oficial”, ele morreu em um vazamento químico junto com outros oito guardas em 1963. Mas quem acompanha a série já sabe que… “não foi isso que aconteceu.”

Na sua primeira aparição nos flashbacks de 50 anos atrás, Hastings recepciona guardas novatos, entre eles Ray Archer o “tio” de Rebecca Madsen. Na primeira inserção do grupo no presídio, o avô de Madsen, Tommy, vê Ray e o agride no refeitório. Segundo Hastings, “a sala mais perigosa do presídio mais perigoso do mundo”. Ray fica sob suspeita, todos acham que já conhecia Tommy e isso motivou a briga. E estão certos, afinal é Ray quem acabou criando Rebecca, depois que o avô “morreu” em Alcatraz. Além disso, no início do episódio, o Ray de 50 anos depois mostra à “Becca” uma foto dele com Tommy no lugar onde nasceram. A “sobrinha” se surpreende ao saber que, além de serem amigos, seu “tio” e seu avô cresceram juntos. Tem mistério se desvendando aí.

Quando Hastings volta para a época atual ele vai até seu antigo apartamento na ilha de Alcatraz e acaba atacando um guarda florestal que o abordou. O agente do FBI mais desconfiado de todas as séries da história, Emerson Hauser, acredita que Hastings fez isso a mando de “alguém”, provavelmente o responsável pelo que aconteceu 50 anos atrás. No entanto, quando Rebecca é avisada que seu “tio” sumiu do bar onde trabalha Hauser suspeita do envolvimento de Hastings. Então descobrimos o objetivo verdadeiro do ex-guarda de Alcatraz, ao contrário dos prisioneiros que voltaram atrás de misteriosas chaves, ele procura Tommy Madsen. Assim, Hastings vai atrás de Ray na esperança de achar Tommy. Aí temos alguns pontos se esclarecendo. Na investigação de Rebecca, ela descobre que Ray não é só seu “tio” de coração, mas de sangue também, ele trocou de nome para poder entrar em Alcatraz e ajudar o irmão.

Outra passagem que ajuda a entender o mistério de Alcatraz é quando Hastings sequestra Ray e o leva em uma busca atrás de Tommy, os dois conversam sobre o que aconteceu e Hastings acredita que Ray saiu do presídio antes do dia 21 de março de 1963 avisado pelo irmão de que algo aconteceria. O ex-guarda cita a grande quantidade de sangue que era retirada de Tommy na enfermaria do presídio como algo que pode ter ligação com o que aconteceu em Alcatraz. Hastings abre o coraçãozinho para Ray e conta o que sabe sobre o que aconteceu no presídio. Segundo ele, na noite anterior ao dia 21 de março de 1963  uma estranha névoa foi vista no céu e na manhã seguinte Hastings foi avisado que um incidente matou toda a sua família. A maioria dos guardas também tinha ficado doente, se contaminado, e eles não poderiam sair do presídio. Segundo Hastings, depois disso quando ele viu “já não era mais 1963”. É mais um relato que nos leva a crer que nenhum 63’s sabe o que aconteceu, pelo menos nenhum que voltou até agora. Mas, percebemos que Ray não se surpreende ao ver Hastings da mesma forma em que era 50 anos antes e logo percebemos o porquê. Ray sabe que Tommy voltou e sabia que ele estava hospedado na antiga casa da família.

No final do episódio ainda temos a aparição de Tommy no bar de Ray, da onde é expulso pelo irmão. Fica no ar um mistério: porque Ray se arriscaria a entrar em Alcatraz para ficar junto de seu irmão e depois vemos toda essa raiva 50 anos depois? No início do episódio, Rebecca pergunta ao tio (agora sem aspas, já que sabemos que ele é realmente tio de Becca) se Tommy tinha realmente assassinado a avó dela. Ray responde que primeiro achava que não, mas depois acreditava que sim. Então, acho que temos muito a descobrir ainda sobre essa família, mas já deu para perceber que Tommy não é santo, afinal, foi responsável pela morte do parceiro de sua neta.

Outro enigma é o próprio Hauser, ele usa um “bat-fone vermelho”, como disse Dr. Diego Soto, para falar com os profissionais da sua sala secreta que investigam a origem de todo o acontecido. Nesse episódio vimos que Hauser já começou a trabalhar em uma ligação dos 63’s que apareceram para tentar achar uma conexão. O agente do FBI começa a crer que o mistério tem a ver com Tommy Madsen, atividades sísmicas percebidas na hora que os 63’s aparecem e as chaves que os prisioneiros voltam para procurar.

Um ponto diferente é que no final Hastings não aparece sendo aprisionado em Alcatraz, apesar de ter sido preso pelo sequestro de Ray. Ele é levado por Hauser para ver a casa da sua filha Annie e de longe Hastings conhece sua filha, seus netos e bisnetos, mas Hauser diz que ele nunca mais poderá vê-los. Como explicar para toda a família que o pai de Annie, que deveria estar morto há 50 anos atrás, apareceu de novo, vivinho em folha e com a mesma carinha que Annie lembrava quando tinha sete anos? Com certeza colocaria toda a investigação em risco.

A volta do primeiro ex-guarda de Alcatraz dá um bom ritmo a série e desvenda várias dúvidas. Esse episódio também é marcado por uma vitória pessoal de Rebecca, com todos esses acontecimentos envolvendo a família dela, Madsen descobre que ela é mais importante para a investigação do que a investigação de Hauser é importante para ela.

De Guy Hastings era só pessoal. Podem fechar as celas, Alcatraz de novo só semana que vem.

PS: Ah, penso que se a história oficial diz que outros oito guardas morreram em um “vazamento químico” junto com Hastings, ainda temos mais oito guarda na conta para aparecer ainda, além dos 302 prisioneiros (já voltaram 4).

Séries citadas:

é Jornalista, Publicitária, Gaúcha, Capricorniana de 84. Além de escrever no TeleSéries, trabalha como coordenadora de imprensa na Prefeitura de Taquari e assessora de imprensa no Campeonato Gaúcho de Rally 4x4. Fã de cinema, esportes, literatura, música e séries de televisão. Começou a assistir seriados com E.R. e Arquivo. X. Gostaria de ter estudado em Hogwarts, jogado quadribol e tomado cerveja amanteigada, mas se contenta com um gol do Grêmio e uma Heineken. Nunca ganhou um prêmio importante, mas já levou pra casa um Kikito de chocolate de Gramado/RS.

Website: http://www.alineben.blogspot.com

1 Comment

  1. Mariela Assmann

    Gostei do episódio, deixou as coisas um pouco mais emocionantes. To achando o ritmo de Alcatraz meio lento, mas tá melhorando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account