Log In

Spoilers

A Semana Lá Fora: a estreia de Castle, morte em 24 Horas, uma exterminadora em Big Bang Theory e mais

Pin it

Castle - Flowers For Your Grave

Está no ar mais uma edição da coluna A Semana lá Fora, que reúne comentários sobre os episódios que foram ao ar na semana que passou nos Estados Unidos e mais chamaram a nossa atenção. Antes, um aviso: ER não entrou na coluna porque ganhou um texto especial só para ele – Old Times, o episódio-reunião histórico de ER.

Esta semana trazemos a estreia de Castle, a nova temporada de South Park, uma morte em 24 Horas e um esperado episódio de Criminal Minds.

Nas comédias, os destaques são as participações especiais: Summer Glau em Big Bang Theory, Laura Prepon em How I Met Your Mother e Kristen Johnston em New Adventures of Old Christine.

Os dramas de destaque da semana são Brothers & Sisters e Grey’s Anatomy. Em sci fi, os retornos do hiato de Smallville e Supernatural, Heroes e Terminator e o penúltimo episódio de Battlestar Galactica. O fim se aproxima! Boa leitura.

Castle: Flowers For Your Grave (1×01)
Exibição: 9/3/2009
MVP: n/a

A tendência das séries policiais agora é ter um consultor carismático que soluciona crimes. Em Castle, a tarefa fica a cargo de Rick Castle, um renomado escritor do gênero policial e que começa a ver um assassino utilizando os seus métodos descritivos nas vítimas em que mata. Seria uma premissa interessante, se não fosse os clichês. Por que será que sempre o escritor está com um bloqueio intelectual e precisa de algo novo para escrever? Ou, ainda, a detetive durona e exigente que está sempre tentando proteger o consultor das encrencas em que ele se mete? E isso me leva a uma outra pergunta: por que o escritor precisa ser sempre encrenqueiro e desobediente?

Além disso, a série começa com uma premissa, mas irá terminar em outra, uma vez que eles não teriam estória suficiente para completar uma temporada de episódios apenas com um assassino, fã dos livros do Castle, e que tem como perfil matar e utilizar os metódos descritivos do autor. A partir do momento em que Rick se tornou consultor, o seu “bloqueio intelectual” foi para os ares e agora ele trabalhará em conjunto com a polícia de Nova York com o objetivo de escrever o seu próximo livro. Isso só fez com que a própria trama deste episódio se tornasse bastante óbvia, além de simplória quanto à resolução. De antemão, já digo que Castle é a típica série que parece não durar muito.

Afinal, será que os roteiristas se esqueceram de algum clichê? (Vinicius Silva)

24 Horas - Day 7: 08:00 P.M. - 09:00 P.M.

24 Horas: Day 7: 08:00 P.M. – 09:00 P.M. (7×13)
Exibição: 9/3/2009
MVP: Kiefer Sutherland

Na coluna passada, critiquei a decisão de estenderem a invasão da Casa Branca numa ação que, levando em conta a estrutura de tempo real da série, ficou completamente sem sentido. Pois bem, vou me redimir no episódio dessa semana e já pontear que tivemos um dos melhores momentos de toda série.

Eu tinha o receio de que a situação de reféns fosse se estender e que a humilhação da presidente fosse mais prolongada, mas a idéia de Bauer liberar o gás do quarto seguro e… Bill resolver ele mesmo detonar a explosão, pôs fim de vez ao dramalhão.

O Senador mala fora salvo por Jack, Juma e seus homens eliminados… E Buchanan ficou estatelado no chão. Foram poucas as vezes que lacrimejei assistindo 24 Horas. A morte do ex-diretor da CTU foi uma delas. Vida que segue. Ou melhor, dia que segue. Apesar de visivelmente abalado, e contra a vontade do Diretor dos Escoteir… Diretor do FBI, Bauer é mandado pra terminar o interrogatório com o assessor traidor. Mas Jon Voight mexeu os pauzinhos e fez de Jack um foragido do governo pela enésima vez.

O excesso de ameaças criadas de última hora e a filha da presidente caindo de pára-quedas na temporada podem ser questionáveis, mas é notável que no geral o sétimo dia se mantem muito acima da média. (Thiago Sampaio)

Criminal Minds: Demonology (4×17)
Exibição: 11/3/2009
MVP: Paget Brewster

Demonology é o episódio de Criminal Minds sobre o qual mais se especulou nessa temporada. Fãs de Prentiss esperavam ansiosamente pelo primeiro episódio totalmente centrado na agente e muito se especulava em torno do segredo de Emily. Como alguém que se encaixa em ambas as situações, eu não me decepcionaei. Gravidez na adolescência e aborto podem até ser algo clichê, mas a maneira como se encaixou perfeitamente na trama e deu um relevo todo diferenciado a Emily e a vítima Matthew Benton torna a escolha dos roteiristas brilhante.

O aborto de Emily foi ligado de maneira muito interessante à morte de seu melhor amigo, e ficou claro que assim como os pais deles, ela se culpava. O quê lhe doía mais não era o aborto, mas ter estragado a vida de Matthew. E Paget Brewster interpretou de forma fenomenal o estado de espírito devastado de Emily.

Algumas coisas não ficaram claras. As quatro vítimas de fato assassinaram o Padre Del Toro enquanto na Espanha, e se sim, por quê? O pai do filho de Emily era de fato John, como ficou subentendido? O quê causou o misterioso sangramento nasal de Prentiss (eu aposto na água benta contaminada)? Porém, ainda que tenha falhas, Demology é um dos melhores episódios de série que eu vi nos últimos tempos. (Thais Afonso)

Grey's Anatomy - I Will Follow You Into the Dark

Grey’s Anatomy: I Will Follow You Into the Dark (5×17)
Exibição: 12/3/2009
MVP: Justin Chambers e Patrick Dempsey

Antes de An Honest Mistake ir ao ar, eu ouvi muita gente dizer que aquela seria a grande oportunidade de Dempsey para mostrar que é mais que um cabelo. Com o pouco em quê apareceu nesse episódio, acho que Dempsey esteve ainda melhor que na segunda parte do crossover. Mas ainda assim o melhor ator desse episódio é Justin Chambers. Karev é um dos meus personagens favoritos de Grey’s e eu adoro vê-lo voando solo e mostrando que é bom o suficiente para brigar com Christina pelo posto de residente mais promissor do Seattle Grace.

Falando em Christina, eu continuo não sendo muito fã de seu envolvimento com Owen. Ele está começando a parecer a versão masculina de Meredith. Pelo menos ela terá uma trama mais legal agora que Izzie a escolheu para confidenciar seu segredo: ela de fato tem câncer e suas chances de vida são apenas 5%. Além da trama de sua morte iminente, Izzie também se tornou a professora dos internos. E eu tenho que confessar que finalmente estou voltando a gostar muito dela. Aliás, tirando Owen, a série está em um momento em quê eu gosto de todo mundo e seus espaços na trama, até mesmo Derek e Meredith, e isso é raro. E é provavelmente a razão de eu estar apreciando tanto o show nesse momento. (Thais Afonso)

Brothers & Sisters: Taking Sides (3×18)
Exibição: 8/3/2009
MVP: Rob Lowe e Sally Field

Rebecca pediu a mãe pra tirar a queixa contra Tommy por causa de Justin. Ela briga com Justin, e noves fora Tommy ter dito que odiava a mãe dela (coisa que já era clara, pois ele está nesta situação por tentar tirar Holly da Ojai), ela pede pra mãe ir a fundo contra Tommy. Para ela não basta Justin (e família) perderem a empresa que eles tanto se orgulham, para ferir Justin pouco importa o restante dos Walkers. Principalmente Nora, que sempre a acolheu. Nada contra este rumo para a personagem. Ela só não deve ser vista apenas como vítima. Quanto ao triângulo, prefiro nem comentar por agora.

Achei interessante o defeito de Robert ser justamente o que muitos criticavam na temporada passada: perfeição. Espero que ele e Kitty superem essa. Seria legal uma série mostrar um casal passando por dificuldades, mas superando, sem aquele termina e volta que tanto conhecemos e odiamos (Coff Coff Grey’s Coff Coff).

E Sally Field?! Sensacional. A cena dela com Saul, tento entendê-la mas compreendo-o. De certa forma os filhos dela são filhos dele, e há uma cumplicidade entre ele e os sobrinhos. E estes evitam falar algumas coisas com a mãe, justamente pela dificuldade dela em aceitar certas verdades, apesar de que terminou com ela dizendo que mudou, será? (Paulo Fiaes)

The New Adventures of Old Christine - Too Close for Christine

The New Adventures of Old Christine: Too Close for Christine (4×17)
Exibição: 11/3/2009
MVP: Clark Gregg

Sabe aqueles episódios que a idéia é boa mas que é mal executada? Foi o que senti nesse episódio de Old Christine. Richie arranja um amigo e a mãe desse amigo (Kristen Johnston, 3rd Rock from the Sun) é uma espécie de ‘over Christine’. Com os defeitos da personagem principal numa lente de aumento beirando a patologia. Era pra ser engraçado, mas para mim não foi.

Já Matt morando um tempo com Richard e New Christine foi bem divertido. A dinâmica entre os coadjuvantes foi bem mais divertida e interessante de se acompanhar. O desespero de Richard quando Matt mancha o tapete foi hilário. Eles salvaram o episódio. (Tati Leite)

How I Met Your Mother: Sorry Bro (4×16)
Exibição: 9/3/2009
MVP: Neil Patrick Harris

Laura Prepon (That’s 70’s Show) fez uma participação especial neste episódio. Ela faz uma ex-namorada de Ted dos tempos de faculdade. Lilly a odiava, pois num belo dia enquanto fazia uma pintura de seu marido nu, a garota acabou vendo as “coisas” dele e continuou olhando e olhando por um bom tempo. Além disso, ela e Marshall também não gostavam do jeito metido dela, superior ao resto dos pobres mortais, além dela trair o Ted a torto e direito e ele sempre voltando para ela igual um cachorrinho. Ela reaparece em Nova York e Ted novamente cai a seus pés, para desespero de seus amigos.

Mas o engraçado do episódio mesmo foi à história do Marshall se esquecendo de levar suas calças ao trabalho. Neil Patrick Harris fez tudo funcionar perfeitamente. Desde sua empolgação contagiante enquanto contava tudo, até sua cena cortando as calças que a Lilly havia levado para seu marido, à la Edward Mãos de Tesoura. Foi à coisa mais hilária do capítulo. Nada de Barney e Robin ou sobre a mãe do título, mas foi uma ótima diversão. (Anderson Vidoni)

Smallville - Infamous

Smallville: Infamous (8×15)
Exibição: 15/3/2009
MVP: Erica Durance

Você já teve a sensação de que tudo está tão bom que se melhorar, estraga? Foi exatamente o que acontece com Smallville. A oitava temporada deslanchou ladeira a baixo depois do episódio Legion, e nem a volta da Erica Durance a série levantou o ânimo dos fãs. Depois de mais de um mês de hiato, Smallville não empolgou com Infamous, que deixou a sensação de ter sido mais um episódio ‘tapa-buracos’.

Com uma atuação sofrível de Tori Spelling e falhas no roteiro, pouco se aproveitou do episódio, podendo citar como destaque apenas alguns pontos, como, Clark e a consciência de que é preciso proteger sua identidade, o retorno de Doomsday e o relacionamento mais famoso dos quadrinhos, que está prestes a acontecer.

Apesar do pouco propósito, Infamous teve algumas cenas e falas memoráveis. Lois entrevistando Clark e cobrindo os seios quando ele menciona que tem visão de raio-x (piada velha que funciona), Chloe e Davis no hospital, e claro, a cena final. Lois Lane:

Como um cara com visão de raio-x pode ser tão cego?

Ainda nos resta a esperança de que um dia o nosso alienígena bobo consiga enxergar ao menos duas coisas: que o perigo está perto, assim como o amor. Ah, o amor. (Clara Lima)

Heroes: Shades of Gray (3×19)
Exibição: 9/3/2009
MVP: John Glover

Algum tempo atrás eu disse que Heroes estava consistente mas morna. Odeio ser redundante, mas a coisa é bem por aí. Embora as histórias estejam mais coesas e críveis e os personagens mais tragáveis (sinto realmente que Heroes está se reestruturando), os episódios não nos empolgam. Quero dizer, a verdade é que tanto faz como tanto fez o que acontece com os personagens. Alguém realmente se importa que Danko desmascarou Nathan? Eles perderam outras chances melhores e fazer Tracy gritar da prisão que ele era um deles foi tão pífio. Só não foi pior do que a cena óbvia de Danko jogando Nathan pela janela. E me pergunto se Claire precisava mesmo ir trabalhar em uma loja de quadrinhos. Ficou na cara que aquele diálogo estapafúrdio com o rapaz da loja servia apenas para que a garota tomasse alguma atitude em relação ao Doyle. Sem falar que eu achei frustrante ver todos aqueles garotos babando pela Claire. Eu sou relativamente nerd, mas nunca me achei uma idiota estereotipada como eles insistem em mostrar na TV. (Será que sou e não sei!??)

Não vou comentar Sylar e seu pai, porque eu esperava algo desse encontro e tudo o que senti foi sono. Embora John Glover tenha brilhado em suas cenas monótonas. (Mica)

The Big Bang Theory - The Terminator Decoupling

The Big Bang Theory: The Terminator Decoupling (2×17)
Exibição: 9/3/2009
MVP: Jim Parsons

Acredito que devo dizer que não assisto The Big Bang Theory, mas não porque é comédia e eu odeio comédias. Na verdade assisti o primeiro episódio e adorei, mas infelizmente algumas outras coisas me impediram de continuar assistindo (e eu sempre senti muito por isso). Entretanto, quando soube que a Summer Glau iria participar desse episódio eu tive que assistir. E não me arrependo nem um pouco. Ri horrores. Foi muito interessante ver Raj e Howard (dois personagens que eu achei bem sem sal, por sinal) tentando se aproximar da Summer e metendo os pés pelas mãos. Impagável o Howard tentando tirar fotos com a atriz e ela destruindo seu celular. E muito injusto que Leonard, justamente quem fez a melhor aproximação, tenha sido prejudicado pela falta de tempo. E foi uma pena que Summer tenha falado tão pouco. Seus diálogos eram cheios de sim, não e sorrisos amarelos.

Mas quem brilhou mesmo foi Sheldon, mas pelo que eu leio por aí isso é comum. Adorei sua explicação insana sobre o plano maquiavélico dos Exterminadores ou sua tentativa inútil de fazer Penny prestar atenção em suas orientações absurdas para encontrar o material que havia esquecido em seu computador. Me fez pensar seriamente em dar um jeito de assistir TBBT pra valer. (Mica)

Terminator: The Sarah Connor Chronnicles: Today is the Day (2×18)
Exibição: 13/3/2009
MVP: Thomas Dekker

Um pequeno detalhe do episódio passado: Riley morreu (Yay). Agora falta Jesse e, aí sim, posso assegurar que Terminator teve uma ótima temporada.

Sobre o episódio, ficou claro de uma vez por todas que a relação de John com Cameron afeta a todos. Sarah, creio eu, não gosta do fato de Cameron ser pra John o que ela tanto quis ser, seu porto seguro. Mas o mais interessante foi Cameron mostrando pra Sarah que todos ao redor de John, no final das contas, podem ser, ou causar, algum tipo de perigo para ele. E isso vai ao encontro das cenas que vimos do futuro onde o John nunca é mostrado, e digo mais, até mesmo com o trailer do quarto filme, me passa essa impressão de um John solitário, e cada vez mais sentirei falta de Cameron nesta nova trilogia, e desta ligação entre eles. Mas até sobre isso, queria tirar uma dúvida, os roteiristas da série são os mesmos desta nova trilogia? Li em algum lugar que sim, mas não posso afirmar, mas caso seja, ainda há esperança, so say we all (opa, série errada).

Já Derek não confia em máquinas, porque elas são… máquinas, e este é o mesmo motivo de Jesse não confiar, e não vou mentir, o melhor deste episódio foi a redenção que estão dando para a personagem, mas… Die Jesse, Die.

Por fim, cena sinistra aquela do futuro com os robôs negociando com um dos soldados do grupo de Jesse. E o que havia naquela caixa? (Paulo Fiaes)

Battlestar Galactica - Day Break: Part I

Battlestar Galactica: Day Break: Part I (4×19)
Exibição: 13/3/2009
MVP: Edward James Olmos, Mary McDonnell e James Callis

No dia 17 de março, parte do elenco de Battlestar Galactica (Edward James Olmos, Mary McDonnell e o showrunner Ron Moore), participarão de um painel de discussão na ONU. São temas diversos que incluem fé, diálogos entre civilizações, conflitos armados, terrorismo e direitos humanos. Sério. Não estou brincando.

Essa informação surreal é o argumento final pra confirmar BSG não só como a melhor série sci fi de todos os tempos, mas sim uma das melhores dentre todos os gêneros. Não dá pra negar que no decorrer de quatro temporadas tivemos algumas derrapadas, mas em grande parte do tempo foi atingido algo próximo da perfeição. Exatamente o que tivemos com Day Break, penúltimo episódio da série.

O encouraçado espacial está nos últimos dias, com sua estrutura sendo pilhada pela frota, quando Adamão percebe que depois de tanto tempo, não se pode desistir agora: Hera precisa ser resgatada. O informe da missão suicida já figura entre as melhores cenas da série, por emocionalmente nos colocar dentro da frota; por Lee ignorar o terno e ir à luta; por nossa frustração de não ver Gaius ultrapassar a linha vermelha; por Roslin caminhando enfraquecida ao lado de Bill. Lágrimas não puderam ser contidas…

Às vezes esquecemos, mas essas pessoas tinham uma vida comum antes do conflito Cylon começar. E agora, travarão uma batalha épica procurando acabar de vez com o inferno que virou suas vidas. Batalha que fechará com chave de ouro a trajetória de uma das melhores séries de todos os tempos. So say we all. So say we all! (Thiago Sampaio)

Supernatural: Death Takes a Holiday (4×15)
Exibição: 12/3/2009
MVP: Traci Dinwiddie, Alexander Gould e Christopher Heyerdahl

Supernatural retornou à TV dando seguimento a luta do bem contra o mal. Levando em consideração que os últimos episódios haviam sido histórias isoladas, imagino que Death Takes a Holiday deve ter agradado aos fãs que vinham reclamando da falta de continuação da grande batalha. Eu particularmente gosto muito dos episódios isolados, pois para mim Supernatural é muito mais do que a batalha. Ela só veio bem depois e, é claro, eu adoro, mas se fosse só isso já teria cansado há muito tempo.

E neste episódio tivemos o prazer de rever Tessa (não foi só Dean que só lembrou dela com o beijo, eu também) e Pamela, que volta para ajudar os irmãos Winchester a fazerem projeção astral e, infelizmente, acaba morrendo no final (nem para a Tessa dar um desconto a quem ajudou a salvá-la). Mas o meu maior prazer foi rever Castiel, porque nunca há Castiel demais em tela na minha opinião.

E eu gostei da história em si. Os Reapers foram capturados por Alaistar para quebrar mais um selo. Os irmãos Winchester salvam Tessa, Castiel captura Alaister, Pamela morre, Tessa coleta a alma do garoto e Sam demonstra que desenvolveu ainda mais seu poder. Muito bom, mas o que eu quero mesmo é ver o próximo episódio. (Mica)

South Park - The Ring

South Park: The Ring (13×01)
Exibição: 11/3/2009
MVP: n/a

Eu só tinha ouvido falar de Jonas Brothers duas vezes: uma na premiação do Golden Globe e outra no lançamento do filme 3D deles. Pois bem, graças à South Park pude “conhecer” um pouco mais sobre esse produto Disney (que se não fosse o fim do Etc., eu acabaria toparia com tantas notícias quanto as do lixo-irmão High School Musical).

Kenny está namorando. Seus amigos estão preocupados. Ela é um ano mais velha e uma vadia; dizem que pagou um boquete num amigo dias atrás. Kenny se preocupa? Claro que não. Depois de ela confessar e dizer que se sentiu excitada graças aos Jonas Brothers, Kenny compra camisinhas e ingressos pro show da banda da Disney. Mas há uma reviravolta: várias meninas (inclusive a namorada dele) são chamadas pra conhecer a banda que lhes apresenta o Anel da Pureza – nada de sexo até se casar.

Logo, várias crianças ficam chatas, retardadas e passam a assistir Grey’s Anatomy por causa da abstinência, idéia do diabólico Mickey Mouse. Pra ele, essa é a única solução pra se vender uma boy-band orientada ao público infantil, com conotação sexual, sem ofender “cristões idiotas” que tem as filhas “vaginalmente tocadas” por essa banda que, segundo vi no Wikipedia, realmente usa esse anel.

Mm… Com termina o episódio? Mickey é desmascarado e Kenny morre de sífilis. Touché. (Thiago Sampaio)

Legenda:
MVP é a sigla Most Valuable Player, termo usado pela imprensa americana para indicar o melhor atleta em um evento esportivo. Foi adotada pelos fãs de seriados para indicar os atores que tiveram a melhor performance em um determinado episódio.

Séries citadas:

Os textos assinados pela Redaçao TeleSéries são textos de autoria coletiva ou notícias escritas por um redator anônimo, mas sempre revisadas com a máxima precisão jornalística.

32 Comments

  1. Raruiz

    Castle
    Não obrigado!

    TBBT
    Eu gostei deste episódio com a Summer Glau, porém, concordo com a Mica. Acho que ela poderia ter mais falas, mas no fim das contas eu gostei bastante.

  2. André

    A Erica Durance merece todos os MVPs possíveis, mas a atuação de Allison Mack e Sam Witwer nesse episódio de Smallville também merece aplausos.

    Agora assistir Tori Spelling é sofrível! Oh My God!

  3. Dan Artimos

    Só uma coisa para o Mica, ele deve assistir TBBT, pois tem um conjunto de episódios sensacionais… alguns bons, mas muitos ótimos…

    B&S está em um caminho fantástico e Ugly Betty finalmente deu um pulsar com a verdade sobre Connor…

  4. Paulo Fiaes

    Smallville,

    como falei com Clara, tirando o fato de Tori Spelling não ser atriz, eu gostei da personagem Linda Clarke, porque está falando um vilão assim em smallville, que faz maldade pra se dar bem, sem essa de mal incompreendido, e que principalmente, representa perigo pra clark, e linda clarke representava porque sabia da identidade dele e de Doomsday, e queria se dar bem de qualquer maneira.

    A respeito de Clark e Lois, olha, ele tentar evitar algo com ela é compreensível devido a besteira que fizeram nos ultimos episodios (Lana), agora a desculpa que não vai contar a identidade pra ela, sendo que ela sempre o apoiou quando ele contou, e ela dizendo aquilo tudo pra ele, sei nao. ao mesmo tempo, sabemos que smallville repaginou este universo do superman, sendo que no episodio da legião eles brincam e muit oom isso, mas uma das graças em todas as historias criadas sobre o superman era o fato de Lois se apaixonada pelo superman, e clark apaixonado sempre colocado de lado. nao sei como eles resolverão isso, o que sei é que a série já passou da hora de mudar de nome, apesar de que, creio que não façam isso porque pretendem reinicar a franquia no cinema.

    Battlestar Galactica,

    cara, Ronald D. Moore tem uma coragem enorme ao colocar na pre-finale um episodio tão centrado nos personagens em si, e não na guerra. Acho que todo mundo ficou torcendo para que Gaius ultrapasse a linha vermelha, e nao teve como não se emocionar com Roslyn se juntando a adamão, mas pelo cenario que ficou, tenho algumas teorias:

    starbuck é o arauto da morte, e creio que de alguma forma, isolem ela dos demais, e com isso, creio que finalmente Lee vai escolher ela ao invés de Dualla(defender Baltar, presidência, ou qualquer outra coisa) e sim, esperança é a ultima que morre.

    Creio que esta missao seja suicida, sobrevivendo apenas Lee e Starbuck e Hera, e aí me pergunto, será que Gaius será o lider da nova civilização?

    olha só galera, são apenas chute, infelizmente, não sem nem falar “ingrês” pra poder saber o que irá acontecer na semana que vem.

    24 horas

    ta bom, eu vou falar algo aqui que é puro chute também, mas estou certo que Kim reaparecerá, morrerá, e jack ainda vai ser preso. porque só falta isso para o personagem, e finalmente teremos a oitava temporada com Jack contra os Estados Unidos.

    A quimica entre Jack e agente Walker é visivel, mas não quero que passe disso.

    E gostei do dialogo “tal assassino(esqueci o nome dele) é bom, mas jack Bauer também é bom”

    que temporada sensacional

  5. Mica

    Smallville: HORRÍVEL!!! Foi o pior episódio da temporada. Meu Deus, todo a minha raiva pelo bundão que a Lana transforma o Clark não chega nem aos pés da raiva que eu senti assistindo esse episódio. Nada funcionou ali, nada. Não, minto, duas coisas foram muito boas: Lois e Davis. Todas as cenas deles foram fantásticas. A forma como Lois aceitou bem o segredo do Clark, embora tenha ficado decepcionadíssima por ele não ter confiado nela antes. E o pior, por ter confiado na Chloe e na Lana há anos. Ali ela viu o quanto era insignificante para ele. E foi pior ainda pouco antes dele voltar no tempo, pois ficou claro para ela que de fato não era especial e nenhuma conversinha do Clark de dizer que não contaria justamente por ela ser especial mudaria isso.
    Eu sei que na história ‘real’ do Super, Lois só sabe bem depois quem é ele, mas não há como eles enrolarem desse jeito em Smallville, já que na série ela já conhece o Clark há anos. Se ele esconder por muitos anos essa informação, na hora H ela se sentirá incrivelmente traída e não merecedora da confiança dele.
    Já o Davis foi brilhante. Quer dizer que matando ele consegue controlar Doomsday? Interessante…
    De resto, puro lixo. Se queria fazer uma história dessas deveriam ter usado pelo menos 2 ou 3 episódios para desenvolver. Foi ridículo a forma como todo mundo endeusou Clark no mesmo dia que saiu o jornal…e como o sacrificaram no meio do dia, que foi quando saiu a reportagem da loura na tv. E pior foi ele decidindo abrir sua história para o público sem pensar melhor ou sem mesmo saber se teria como lidar com a mulher lá (esqueci o nome) de outra forma. Enfim, foi tudo patético.

    Terminator: Eu achei incrível a morte da Riley. Embora eu não a amasse, eu senti a morte da personagem. E, confesso, fiquei em duvida durante a briga se quem iria morrer era a riley ou a Jesse. Inclusive gostei da forma como fizeram Jesse sentindo a morte da garota. Era seu plano desde o início (não pelas suas mãos, é claro), mas isso não quer dizer que ela não tenha sentido o sacrifício da garota.
    E muita gente está criticando as cenas no submarino, mas eu adorei. Ali vimos uma Jesse completamente diferente, mais leve, mais animada, e principalmente, mais confiantes nas máquinas. Ela não duvidava de seu capitão, mesmo quando percebeu que ele desviou sei lá eu quanto da rota. Algo grandioso aconteceu pra ela surtar e vir para o passado.
    E cá entre nós, eu tenho quase certeza que dentro daquela máquina quem está é a Cameron (embora seja conflituoso isso, já que Derek a conhece e pelo que eu vi, ao se despedir de Jesse ele foi para o passado).
    Gostei da confiança que o John tem na Cameron, mesmo diante da dubiedade da exterminadora. E o trailer do próximo episódio foi muito bom.
    Ah! E tem as cenas da Savannah com o John Henry. Muito boas! Aquelas musiquinhas totalmente tétricas…uuuuhh…

  6. Eduardo

    Manny Coto e Brannon Braga continuam fazendo um trabalho excepcional com os roteiros de 24 Horas. Não só ajudaram a redimir essa 7ª temporada, como também compensaram pelos diversos episódios fracos de Jornada nas Estrelas produzidos por eles.

  7. Sara P. G.

    Eu gostei do episódio de Smallville. Pode não ter sido o melhor da temporada, mas foi o melhor depois de tantas asneiras dos últimos que passaram e tivemos que engolir (estes sim, de doer e urrar de ódio). A Erica tá se transformando na minha Lois preferida (quase se igualando à Teri de Lois e Clark, as novas aventuras do Superman)

  8. Tati Leite

    24: Fiaes escreveu “…mas estou certo que Kim reaparecerá, morrerá…”. Que os deuses digam amém!! Não me importa como, não me importa quem. Se for para Kim reaparecer que seja para ela morrer. E se puder levar a filha da presidente acho ótimo. Pq ela está com pinta que vai ser mala e por suas convicções que ainda não são muito claras vai fazer besteira.

    Thiago: Quando Bill morreu eu chorei e fiquei com raiva. Mas melhor ele morto que vê-lo torturando alguém.

  9. cavalca

    Dois parágrafos sobre Castle e nem uma linha sobre o Nathan Fillon, Vinicius? Bola fora. Até pq pelo que eu andei lendo, a série foi desenvolvida em torno da persona dele.

  10. Mica

    O Nathan Fillion é o ÚNICO motivo que me faria tentar talvez assistir Castle. Mas só se eu tivesse tv a cabo e pudesse assistir na tv. Baixar, nem sonhando.

  11. Gui Barranco

    Grey’s Anatomy: As cenas da Izzy estão ótimas mesmo, e olha que eu nem gosto tanto dela assim, e o Karev também deu um show. Impossível não se emocionar com a cena dele todo animado contando pra ela que foi elogiado e ela sorrindo mas pensando que ia morrer e não iria chegar a vê-lo como um ótimo médico. Foi muito tocante.

    Brothers & Sisters: Palmas pra Sally Fields! Ela continua comandando a cena. A passagem dela na casa do Saul foi magnífica e a briga dos Walker no jantar, quando a Nora descobre sobre a prisão do Tommy foi muito boa! Deu até vontade de se meter no meio e dizer umas poucas e boas pro Tommy!
    Outro destaque foi a cena do Robert contando aos filhos que tinha tido um ataque cardíaco e depois chorando sozinho. Foi de cortar o coração. Acho que o Rob Lowe cresceu bastante como ator.

    Estas duas séries estão se mostrando melhores do que nunca!!!

  12. Patricia E.

    Battlestar Galactica

    Confesso que logo de cara torci o nariz pra esses flashbacks. O voo panorâmico sobre a Caprica pré-ataques me pareceu uma forma de medir a receptividade da audiência ao spin-off que levará o nome da metrópole. Há quem tenha reclamado dos policiais que bateram à porta da Roslin (assim como quem logo de cara quase teve um treco quando viu gente de terno e gravata na minissérie :P Who cares? Comentário fútil: sempre achei o figurino da série original brega que só… :D). Nunca fui lá muito fã da Roslin, mas esse flashback me deixou com pena da mulher: a vida dela já tinha virado do avesso muito antes do câncer e dos ataques.

    Vendo o apê da Starbuck me fez dar conta de detalhe que tinha me escapado: o Leoben reproduziu a casa dela no cativeiro de Nova Caprica (sinistro). Legal o lance do quadro com a mandala ao fundo quando ela abre a porta pro Lee (que era ainda mais mané, se isso é possível).

    Imagino se a tal oferta de emprego que Adama relutava tanto em aceitar não seria ficar na ponte de uma nave que está prestes a virar museu… uma certa lata-velha… :D

    Se por um lado foi interessante ver como eram as vidas deles, por outro foi me enervando o fato de restar cerca de 90 minutos antes do fim.

    Ver o resto da frota depenando a moribunda battlestar foi um tanto deprimente.

    Momento irritante: nepotismo sucks. De uma hora pra outra é Hot Dog pra lá, Hot Dog pra cá… WTF?! Tá, o carinha é o filho do Olmos, mas já encheu o saco ver esse figurante de luxo com mais espaço na tela que os principais. :|

    Starbuck finalmente aceitou o que aconteceu com ela e parece em paz. Pra quem já morreu, encarar uma missão suicida é bico. :P

    Não resta muita dúvida sobre o destino de Gaius… já esperava que ele não cruzasse a linha — sem Lee, Roslin e Adama, alguém duvida pra quem sobrará a tarefa de liderar os sobreviventes?

    Boomer terá a chance de um último ato de redenção?

    Hera será mesmo a salvação de todos?

    Resta saber se vou querer esganar o Ron D. Moore ou abraçá-lo depois deste final… :D

    24 Horas

    Foi triste ver o Bill morrer. :( Juma não deu nem pro cheiro — como já virou praxe na série, o vilão dá lugar pra outro com mais cacife e com um plano ainda mais mirabolante. Jack com os federais na sua cola mais uma vez… Estão falando na possível volta da Kim? Pra quê? A Kim Bauer desta temporada é a primeira-filha. Se bem que gostei do que ela falou pro cara — que alegou “não saber de nada” (como muita gente no nosso governo costuma se desculpar quando estoura algum escândalo :D ).

  13. Camila Oliveira

    Grey’s Anatomy

    Grey’s voltou a ser Grey’s! Que episódio ótimo. Um dos melhores que já assisti numa série dramática. Eu raramente choro, mas não teve como não derramar uma lágrima pela Izzie. Tomara que ela supere as estatísticas e não morra, afinal é a minha 2° personagem preferida, só perdendo para a Cristina. O Derek se comportou igual um babaca na última cena, mas eu nem gosto muito dele, então whatever. A Adele mandando no Chief também foi muito engraçado.

    The Big Bang Theory

    “It’s hot in here. You must be ‘Summer’.” Pois é, eu também queria que a Summer Glau tivesse tido mais falas. O episódio foi engraçado, mas já assisti melhores. Mesmo assim, The Big Bang Theory é uma das séries que acompanho com maior devoção.

    Pena que não teve review de Chuck essa semana…

  14. Jefferson

    Eu adorei o episodio de Old Christine dessa semana e a trama da Izzie em Grey’s nessa temporada está ótima!

  15. Mica

    Grey’s Anatomy:
    A Izzie está sendo a personagem qeu eu mais gosto nesta temporada. Enquanto todo mundo xingava o fantasma do Denny eu adorava as cenas que ele aparecia (com exceção daquele dia que os dois ficaram só no rala e rola). E foi tão triste ver a Izzie neste episódio. O Karev falando para ela deixar a Paciente X para lá e eu aqui só pensando “seu idiota, a Paciente X é ela!”. E a força com a qual ela aceitou seu destino. Ter que sorrir e fazer de conta que está tudo bem, mesmo sabendo que vai morrer em breve…a Izzie teve um deslize na série na minha opinião, que foi a paixonite pelo George, fora isso ela sempre foi uma excelente personagem.
    Espero de verdade que ela sobreviva.

  16. João Paulo

    Achei ótimo os reviews principalmente de Terminator,Supernatural,TBBT e 24 horas
    tudo do jeito que imaginei e achei dos episodios
    (o unico q naum vi foi TBBT).

  17. Alex

    eu sabia que esse epi de sv seria uma merda,essa tori spelling pra que traze-la de volta?

  18. Denise Moreira - BH

    Resolvi acompanhar BG há pouco tempo… mas como diz o ditado “antes tarde que nunca”. Ótima série!

    Sobre Castle, concordo com os “posts” anteriores: o que segura é Nathan Fillion. A “química” entre os personagens principais funcionam, mas… nada de novo. Mas vou acompanhar a série assim mesmo. É um regular entretenimento.

  19. Cesar Adriano

    Achei fantástico a idéia de depenar a Galactica, acaba sendo um simbolismo da velha sociedade que agora está deixando literalmente de existir e uma nova civilização está chegando.

    Não vi esses 3 ultimos episodios, não sei se o Baltar mudou desde o 4×18, mas não acho interessante um lider com o perfil do Baltar pra liderar uma nova humanidade, o cara está parecendo um pastor????

    Concordo com a redação que BSG já é uma das melhores séries da história, a melhor da década, mas o posto de melhor série scifi ainda vai continuar com Star Trek TOS, essa foi inovadora, pioneira, com uma qualidade que se mantém até hoje, passados 40 anos. BSG, querendo ou não, bebe na fonte de varias séries de FC.

  20. Juninho

    TBBT

    Gosto muito da série,acho engraçada,mas há episodios que me fazem dar poucas gargalhadas,já outros me dão até dor no estomago,e nessa linha,Otimo e Regular,vou levando a série.
    Sobre esse episodio,não posso dizer ainda nada porque não assisti,mas posso dizer que estou ancioso,motivo:Summer Glau,essa eu não perco.

    TSCC

    Vamos lá,Riley morreu,pensei que comemoraria mais,mas não!, fiquei com pena dela,e com muita raiva da Jesse,embora esse episodio e o proximo,vão mostrar o real motivo dela,e me parece que ela não é tão ruim como vi no proximo promo,ainda não gosto dela.
    E mas uma vez fiquei com raiva da Sarah e da forma como ela trata a Cameron,tah certo que ninguém sabe a real da exterminadora,mas esse episodio nos da a entender que ela tem uma forte influência na vida do John,e me faz pensar que ela não é mal pessoa(ops Robô),e a bomba que ela mesmo implantou na sua cabeça pra caso dê problema o John explodir,mas será que existe bomba mesmo,misterios de Terminator!

    Heroes

    Não tem como não comentar da série,e apesar de todos os comentarios que escuto,gosto da série,e não espero uma grande historia como de Terminator(na minha opinião o melhor Sci fi),mas assisto e me divirto,o episodio foi legal,pode ter sido morno,mas como a Mica disse Heroes tem encontrado o rumo novamente.O Melhor do episodio,a participação do talentoso John Glover,que deu um show,sem falar que capricharam na caracterização e no cenario,foi sombrio.
    Agora esperar o episodio 20,e a tão aguardada volta de Brian Fuller,pelo que eu vi do promo parece ser um otimo episodio,com direito a volta de uma antiga personagem da primeira temporada.

  21. Mica

    Esqueci de comentar, mas a Busy Phillips reapareceu em TSCC. E ela já ganhou bebê ^_^.

  22. Paulo Antunes

    Cavalca,
    Não concordo com a crítica ao texto do Vinícius de Castle. O espaço da coluna é pequeno e ele não teria obrigação nenhuma de comentar a atuação do Nathan Fillion. Aliás, o Nathan Fillion é um ator completamente periférico, só conhecido pelos seguidores do Joss Whedon.

  23. Rodrigo

    Mesmo sendo um episódio abaixo da média da temporada, considerando os últimos anos da série esse episódio pode ser chamado de nota 6,0. Enfim, erros a parte, ainda espero episódios melhores, como foi Legion
    Agora, a melhor série da atualidade, pra mim, é a injustiçada Supernatural!!! Se fosse da ABC, CBS ou Fox tenho certeza que teria índices de audiência muuuuito maiores!! Enfim, a série é muito boa, consegue aliar suspense, terror, drama e humor, cada episódio é uma surpresa, nunca sabemos se teremos a sequencia da guerra, um caso isolado, os dois juntos, se teremos um suspense intrigante ou uma comédia discontraída… ás vezes as lutas são contra espíritos e demonios, outras contra monstros e seres humanos, e agora até os anjos… sinceramente, aconselho a todos aqueles que tem um horário vago em sua semana e gosta de séries gostosas de assistir, baixe os episódios de Supernatural… é uma série que, pelo menos até agora, na quarta temporada, não demonstrou nenhum sinal de cansaço…pelo contrário, nunca terminoo um episódio sem ficar ansioso pelo outro. Vale a pena conferir!!!
    Abraços a todos…

  24. Marco

    “Aliás, o Nathan Fillion é um ator completamente periférico, só conhecido pelos seguidores do Joss Whedon.”

    Paulo, você precisa sair da sua zona de conforto, rapaz. Sua falta de informação depõe contra o excelente Teleséries…

  25. Thiago Sampaio

    Marco, tenho que concordar com P. Antunes nessa…
    Nathan Fillion? Vejo o rosto dele e só me lembro de Firefly.
    E olha que dessa série, só vi as propagandas da Fox.

  26. Mica

    Aff…não gostei de ser chamada de ‘seguidora do Joss Whedon’ (embora, no fundo seja, mas… ^_^).

    Rodrigo, concordo com tudo o que você disse sobre Supernatural. A série está em sua quarta temporada e nem um sinalzinho sequer de cansaço, muito pelo contrário, ela se reinventa todo santo episódio.

  27. Patricia E.

    “Por favor, não deixem de fazer reviews de L&O:UK.”

    Reitero o pedido do Fernando. Sempre gostei da franquia L&O (infelizmente descobri SVU um pouco tarde) e essa mudança de ares (e de continente) me atraiu a atenção. :)

  28. Fabio Peixoto

    10. cavalca – 16/03/2009
    Dois parágrafos sobre Castle e nem uma linha sobre o Nathan Fillon, Vinicius? Bola fora. Até pq pelo que eu andei lendo, a série foi desenvolvida em torno da persona dele.
    .
    11. Mica – 16/03/2009
    O Nathan Fillion é o ÚNICO motivo que me faria tentar talvez assistir Castle. Mas só se eu tivesse tv a cabo e pudesse assistir na tv. Baixar, nem sonhando.
    .
    .
    .
    Infelizmente é o exato motivo pelo qual não deverei assistir Castle. Nathan Fillion, pé-frio dos infernos… :(

  29. ELANIA BASTOS

    OLÁ PESSOAL, SOU ASSINANTE SKY E ESTOU VENDO VCS. COMENTANDO SOBRE A SÉRIE 24H. E NÃO CONSEGUIR SABER EM QUAL CANAL E O DIA QUE ESTA PASSANDO, JÁ É A NOVA TEMPORADA QUE É A PARTIR DO FILME A REDENÇÃO?
    AGUARDO INFORMAÇÕES.
    OBRIGADA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account