Log In

Notícias

A Moda da Ficção: Joan Holloway

Pin it
Nova coluna discute o estilo das personagens de TV. Na estreia, a femme fatale de Mad Men.

Christina Hendricks em Mad Men
Joan Holloway é um dos personagens principais da multi-premiada série Mad Men, ambientada no início dos anos 60 em uma agência de publicidade em Manhattan. Interpretada pela lindíssima Christina Hendricks, o que mais chama a atenção à primeira vista tanto na personagem quanto na atriz são suas generosas curvas. É que nosso olho, treinado há muitos e muitos anos por esta mesma publicidade que é tema da série para ver somente modelos tamanho 0, a princípio estranha tanta “carne”. Será possível que Joan é gordinha?, nos perguntamos assim que a série começa. Não. Ela é gostosa. Pode conferir com seu namorado/marido/irmão/amigo: aposto que a grande maioria deles aprovará as formas da moçoila. Encucadas somos nós, que achamos que qualquer excesso é motivo para jejuar. Joan é um ícone de feminilidade de sua época.

E para todas que têm curvas (eu tenho!), observar o figurino de Joan pode ser uma fonte de aprendizagem bem interessante. Eu venho fazendo isto há alguns dias, e tenho notado algumas coisas curiosas. Duas características principais de seu vestuário, para ser mais exata. O primeiro é: Joan abusa de roupas com caimento ajustado. Segundo: ela prefere quase sempre grandes blocos de cores lisas, e raras vezes usa estampas. Analisando bem várias de suas fotos, cheguei à algumas conclusões sobre o porquê destas escolhas.

Christina Hendricks em Mad Men
Bem, primeiro de tudo: se você tem formas mais generosas, o caimento ajustado é seu melhor amigo. Mas veja bem: “ajustado” não significa “justo”. Uma roupa ajustada é uma roupa que está com o caimento perfeito, no tamanho exato, com um tecido de boa qualidade. Note que as roupas acima acompanham o contorno do seu corpo sem apertar; muito diferente de uma roupa de tecido de qualidade inferior, em tamanho menor, como algumas vezes vemos muitas mulheres mais curvilíneas vestirem com a desculpa de “eu sou é gostosa, eu posso”. Roupa justa, menor que o tamanho do corpo, é sempre vulgar, em qualquer tipo físico, e para quem tem curvas a vulgaridade salta ainda mais aos olhos.

Porém, o caminho oposto, usar tudo muito solto, também não ajuda em nada o tipo físico mais curvilíneo. A ideia que muitas mulheres têm é a de que vão esconder a silhueta, e por isso parecer mais magra. Mas isso é uma falácia. Roupas muito soltas, com muito volume, acabam sempre deixando entrever o corpo que está dentro, só que ele acaba parecendo maior do que é. E é nisso que Joan acerta: ao usar roupas ajustadas para seu corpo, ela acaba valorizando seu tipo físico. Se usasse algo muito menor ou muito maior que o tamanho de seu corpo, ela cairia em um dos erros mais comuns que outras mulheres com curvas caem vez por outra.

Christina Hendricks em Mad Men
Outa coisa importante é que ela sempre escolhe modelos com decote canoa, e suas saias sempre ficam no mínimo pelo joelho. Como ela sabe dos seus dotes físicos, ela sabe que o excesso de pele no ambiente de trabalho acabaria também sendo vulgar; e como Joan é antes de tudo uma pessoa extremamente profissional, ela usa a moda a seu favor para se manter feminina, mas apropriada ao ambiente de trabalho. Mas nada impede que ela mostre mais pele em uma situação fora da Sterling Cooper. Veja o contraste entre os dois vestidos acima: o vestido rosa, de trabalho, tem um corte, um tecido e um decote bem mais comportados do que os do vestido preto abaixo, usado para um evento social. Ambos lindos, e ambos apropriados para suas respectivas ocasiões.

A segunda grande característica do estilo de Joan (a preferência por cores sólidas, poucas roupas estampadas) se deve ao seu maravilhoso cabelo ruivo natural. Seu cabelo já funciona como um acessório em si; quando ela usa uma estampa, esta “briga” com a cor do cabelo. Ao preferir cores sólidas, ela garante que seu cabelo terá bem mais destaque do que quando ela coloca muita informação no look (conforme podemos comparar nas fotos acima).

Christina Hendricks em Mad Men

Como se inpirar em Joan Holloway, então:

• o caimento é tudo: este é o mandamento número um para quem tem curvas. Nem solto demais, nem justo demais: no tamanho certo. Não deve parecer apertado, mas tampouco deve parecer que o defunto era maior, sabe como? E de preferência, use roupas feitas com bons tecidos. Este deveria ser o mantra de qualquer moça curvilínea;

* no ambiente de trabalho, procure não abusar da pele à mostra. Se o dress code permitir, e o calor for forte, você até pode mostrar mais pele do que mostra normalmente, mas neste caso procure compensar: se for mostrar as pernas, cubra melhor colo e braços. Se estiver de regata, nada de mostrar as coxas: uma calça capri pode ser uma boa solução neste caso;

* fora do ambiente de trabalho, é possível mostrar mais pele. Mas em excesso, a imagem que passa é a de vulgaridade, e não de sensualidade. O que é sugerido é mais interessante do que é gritado na sua cara;

* caso tenha um cabelo de cor marcante, seja ele natural ou tingido, evite visuais multicoloridos, para que este não “brigue” com seu cabelo.

Finalmente, dois “extras”: clique nas figuras abaixo para ver, em tamanho maior, as bonecas de papel da Joan para as temporadas dois e três da série. Infelizmente, eu não achei nada da primeira nem da última temporada, mas a seleção de vestuário nas duas figuras já ajudam a dar uma ideia do que é o estilo Joan Holloway.

Joan Holloway

Joan Holloway

Texto publicado originalmente no weblog Moda Fora de Moda.

Séries citadas:

é jornalista, professora de inglês e autora do blog Moda Fora de Moda. Fã de The Closer, The Office e How I Met your Mother, e viúva inconsolável de Arrested Development e Lost. Tem um gato chamado Tony Soprano.

15 Comments

  1. Pingback: Tweets that mention A Moda da Ficção: Joan Holloway -- Topsy.com

  2. Anônimo

    Fernanda, em primeiro lugar quero dizer que também gostei imensamente de Lost. Estou dando um intervalo decente para assistir novamente. Não vai ter mais o efeito delicioso de suspense febril, mas será um reencontro com amigos muito queridos. Vou chorar de novo com o Jack morrendo sozinho com o cachorro, rir dos apelidos do Sawyer, etc.

    Quanto ao seu Moda da Ficção, adorei, inclusive a escolha inicial – espero que venham muitos mais – da Joan. A personagem dela em Mad Men é a minha preferida entre as femininas. Ela faz bem o gênero das mulheres daquele tempo em que Marylin Monroe era um dos maiores símbolos de beleza. Adorei também o seu estilo – pura classe e refinamento – na abordagem desse tema.

    Mais uma das boas surpresas que o Teleséries Magazine está nos dando.

  3. MicaRM

    Gorda!??? Well, well, há opinião para tudo. Mas eu acho lindíssima. Na verdade o tipo de corpo que eu gostaria de ter. O problema é que nos acostumamos com os padrões esqueléticos, sem peito e sem bunda atuais.
    Mas, como eu disse, há gosto para tudo…o que seriam das magrinhas se todos preferissem mulherão, não é?

    Agora, cá entre nós, adoro os modelos dela e como ela sabe usá-los bem no corpo que tem.

  4. Alessandra

    Estas novas seções de moda e culiniária estão ótimas. Como sempre o Teleseries é um diferencial em relação a outros sites que cobrem séries.

  5. Alessandra

    Falando do post adorei as dicas. Assisti só a primeira temporada da série mas é realmente muito boa. Vou rever alguns conceitos de usar roupas mais largas. Hoje mesmo estou com uma blusa larga que deve ter me aumentado vários quilos.

  6. Fernanda

    oi gente! obrigada pelos comentários :) é muito bom estar de volta ao Teleséries!

    qto a Joan ser gorda ou não… olha, acho que tirando aqueles casos muito extremos de obesidade ou magreza, isso é uma coisa que depende da preferência de quem vê. então, pra algumas pessoas ela deve ser gordinha, mesmo, porque gostam de meninas mais magrinhas; por outro lado, algumas pessoas tbm acham certas modelos super admiradas como alguém magra demais, que falta “carne”. acho que vai do gosto do freguês, né? ;)

    um beijo!

  7. Bia mafra

    Gorda????? sei la, ou a sua tela esta com defeito ou esqueceu que ser gorda eh estar acima do peso ideal. na margem do peso ideal eh uma pessoa, por falta de palavra melhor, normal, dentro do aceitavel.

    Essa ditadura da magreza me irrita profundamente, me lembro que quando eu era criança, os xingamentos normais entre a gurizada de 3/6 anos, era o boba, feia e chata. meus filhos ja acrescentaram o gorda a lista, acho tao exagerada a preocupação com a forma em vez da saude.

  8. Anônimo

    Certíssimo, Fernanda. Além de ser questão de gosto, é um despropósito criticar alguém por suas características físicas – visto que a pessoa é assim por natureza. Agora, saber se vestir segundo a ocasião e o ambiente – e saber o que lhe cai bem – são coisas que se cultivam, que se adquirem. E isso sim pode ser criticado.

  9. Pingback: Domingueiras « Pensamentos de Uma Batata Transgênica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account