Log In

Reviews

A Menina Sem Qualidades – #12

Pin it
Série: A Menina Sem Qualidades
Episódio: #12 - FIM
Número do Episódio: 1×12
Exibição: 13/06/2013
75.8
3.7
5

Tinha acabado de entrar para a equipe do Teleséries e todas as séries que eu gosto ou estavam no hiato ou já tinha alguém escrevendo sobre elas. Porém, um belo dia, a editora de conteúdo perguntou se alguém não gostaria de fazer os textos sobre essa nova série da MTV Brasil e eu prontamente ofereci meus serviços. Não tinha ideia da roubada na qual estava me metendo…

Mas tudo na vida tem um motivo, e para essa escolha tenho dois: primeiro estava doido para escrever o meu primeiro texto opinativo e tinha em minha memória uma experiência muito boa de Descolados, uma outra série que a MTV transmitiu em 2009 e que marcou, pelo menos para mim, época. Ficava alucinado esperando toda quinta-feira para saber o que ia acontecer com Lud, Deco e Felipe.

A Menina Sem Qualidades foi a primeira série de dramaturgia produzida pela MTV, pois Descolados foi produzida pela Mixer e o canal só transmitiu. Tanto que depois ela foi reprisada na Band (eu estava lá, assistindo). Se você ficou curioso, essa série está disponível no Netflix.

Fico muito triste em dizer coisas ruins sobre A Menina Sem Qualidades, principalmente agora que foi noticiado que a MTV Brasil vai encerrar suas atividades. Essa emissora me acompanhou ao logo de 13 anos, fez parte de minha história. Mas como parte do trabalho, temos que dar a nossa opinião e sermos honestos com os leitores. Doa a quem doer.

Agora vamos ao que interessa. Nunca pensei que no último episódio teríamos um julgamento. Não vou me prender nele, pois no fundo ele não serviu para nada e vocês vão entender mais para frente. Gostaria de destacar a presença da atriz Mariana Nunes como a juíza Sofia. Ela tem um quê de Viola Davis (The Help) e encheu a tela. Uma participação pequena, porém marcante.

Como disse no primeiro post e ao longo das minhas resenhas, não tenho do que me queixar da parte técnica. Desde iluminação, passando por fotografia e chegando na trilha sonora. Essa última louvada a cada texto, merecidamente. Excelente do início ao fim. Assim como as atuações de Bianca Comparato (Ana), despida de qualquer vaidade e Rodrigo Pandofo (Alex), chato, irritante e manipulador na medida certa. Contudo, eles foram muito prejudicados pelo falho roteiro.

Além do roteiro só vou pontuar uma única falha de continuidade que esqueci de comentar no episódio #11. Quando Ana chega na casa de Tristán, ela está com uma camisa de manga listrada e diz um texto. Alguns segundos depois ela está vestida com o uniforme do CTM e repete o mesmo texto. A princípio achei que fosse de propósito e revi a cena algumas vezes e acabei constatando que foi falha mesmo.

Javier Drolas (Tristán) não convenceu como um professor amargurado, em crise no casamento e com um passado obscuro. Ele era engolido pelas atuações de Bianca e Pandofo. Outro que merece destaque é Eduardo Oliveira (Hoffman) que foi de longe o personagem que mais me identifiquei, pois deixava a série mais acreditável. Fiquei muito triste com sua precoce “morte” e gostaria de saber a opinião dele sobre o caso entre Tristán, Ana e Alex.

Por terem optado em contar a história em episódios diários, muitos deles foram recheados de longas cenas de caminhadas e de pausas dramáticas (recheadas de boa música e lindas paisagens), mas que iam enchendo o saco e fazendo com que as pessoas perdessem a atenção em cenas importantes. Posso destacar três episódios completamente desnecessários: #2, #8 e #10, se eles não estivesse ali, ninguém ia sentir falta.

Uma história para ser bem contada não precisa ser explicada nos mínimos detalhes. Deixar o espectador pensar e refletir é muito bom, mas para entender A Menina Sem Qualidades era preciso fazer uma viagem constante. Muitas coisas não tiveram desfechos ou foram mal explicadas: a obsessão de Alex em Tristán, o porquê dele e Bianca estarem no Brasil, a relação entre Ana e seu padrasto, porque Tristán foi preso, o resultado do julgamento… Enfim, alguns enigmas que, de repente, só serão respondidos ou entendidos depois da leitura do livro no qual a série foi baseada. E como assim no final fica todo mundo bem, agindo como se nada tivesse acontecido? Ninguém é punido?

Uma outra coisa que me incomodou muito foram algumas cenas cujo o único objeto era chocar e escandalizar. A história não precisava de nada disso para ser ousada, diferente e contemporânea. Ninguém que assistiu era criança, pois bem no início tinha um aviso de “proibido para menores de 16 anos”, mas mesmo assim, enumeras cenas foram desnecessárias para o enredo, como por exemplo a perda da virgindade de Ana. Não precisava ser detalhada (violentamente) daquele jeito.

É claro que eu não estava esperando uma Malhação, mas acho que a descrição do site foi bem singela: “um retrato surpreendente da juventude atual”. Porque vai ser “surpreendente” assim lá longe… Quero distância de pessoas como Ana e Alex, se é que elas existem…

No meu primeiro post eu comentei que não tinha entendido muitas coisas, por burrice minha ou falha no roteiro. Doze episódios depois posso afirmar que não sou tão burro assim!

Despeço-me de A Menina Sem Qualidades, e consequentemente da MTV Brasil, com um nó na garganta. Queria do fundo do coração ter gostado da série, pois só teria coisas boas para guardar do canal. #RIPMTVBrasil.

Agradeço a equipe do Teleséries, em especial a Clara – pela oportunidade – e a Mariela – por sempre melhorar meus textos -, e aos leitores – por estarem comigo nessa longa caminhada. Aguardo vocês nos próximos textos.

Para assistir ao episódio final, clique aqui. E despedindo-se em grande estilo, a sempre MARAVILHOSA playlist.

Séries citadas:

Carioca, formado em Atuária e Estatística pela UERJ. Deixa os números de lado quando se trata de séries. Sem nenhuma experiência no mundo jornalístico, chegou ao TeleSéries com muita vontade de aprender e hoje faz parte do time de colaboradores de notícias e resenhas. Acompanha: Scandal, How to Get Away with Murder, Homeland, The Walking Dead, The Americans, Nashville, Parks and Recriation, Modern Family, Orphan Black, Devious Maids e atualmente está alucinado com The Good Wife. Já sonhou morar em Everwood, trabalhar na redação do News Night with Will Mcavoy, ser um bombeiro em Third Watch e ter como vizinhas às garotas Gilmore.

17 Comments

  1. JoãoVitor Costa de Oliveira

    Bem, sinto muito por discordar quase integralmente da sua critica, primeiro gostaria de esclarecer para você o motivo da Bianca e do Tristã estarem no Brasil, no episodio em que a Ana conta a Historia do Tristã, ela deixa bem claro que ambos foram DEPORTADOS da Argentina na época do regime militar.

    Enquanto ao roteiro, gostaria de lê dizer que o livro tem uma linguagem totalmente complexa, e a mtv não quis fugir dessa realidade, e na minha opinião fizeram muito bem, e ainda por cima a emissora teve a decência de não mudar a historia contada no livro.

    Enquanto a polêmica gerada por alguns episódios, não foi proposital o resultado que isso gerou, o livro é polemico, é só uma questão de usar a lógica e ver que a série é uma versão moderna de um clássico da literatura.

    Já enquanto a repetição na fala em um dos episódios, se você não percebeu, quando a Ana faz o pedido para Tristã, ele pede para que Ana repita o que ela disse, ele diz ” O QUE ” e então a personagem repete o pedido.

    Já falando da desnecessidade dos episódios, enquanto aos episódios #2, e #8 realmente são episódios totalmente desnecessários já o episódio #10 explica muitas duvidas que a série deixou no decorrer da história.

    Desculpe-me se fui mal educado em algum momento, mas foi só uma forma de dar minha opinião.

  2. Felipe Ameno

    Que isso João, em nenhum momento você foi mal educado, até
    porque o texto é a minha opinião e visão sobre a série. Como disse, não esperava
    que série fosse totalmente explicada, até porque sou a favor de deixar algumas
    coisas no ar, mas continuo achando que deixaram muitos furos.

    Algumas coisas puderam até passar desapercebidas, acredito
    pelo fato da questão do cansaço que a série ocasionou. Sobre Bianca e Tristán
    terem sido DEPORTADOS, eu entendi que somente ele foi e não ambos. Mas volto a
    repetir, teria que rever o episódio para ter 100% de certeza.

    Quando comentei sobre o erro de continuação, Tristán pode
    até ter pedido para Ana repetir o que tinha dito, mas ela trocou de roupa
    também? Isso sim foi um furo.

    O livro pode ser complexo só que literatura e televisão são veículos
    completamente diferentes e precisam ter linguagens distintas, para não
    ocasionar esse tipo de problema, pelo menos para mim!

    Mas agradeço a sua visita e seu comentário. Abraços

  3. Pati

    Desde o primeiro episodio eles apresentam esses “Erros de Continuidade”. Eles são propositais, alguns passam despercebidos, mas se você vê com atenção são bem óbvios. Isso é um estilo de filmagem como o usado em Laranja Mecânica, serve pra confundir o telespectador e faze-lo ter a sensação de que algo esta errado, então você se distrai da historia pra tentar entender o que aconteceu. E como a serie fala sobre vazio e moral (assim como o filme), fez muito sentido eles usarem essa técnica para darem a sensação de vazio e confusão.
    E sim, eles foram bem fies ao livro o que pode ter prejudicado no entendimento de quem nunca o leu (eu li uma resenha, alias varias), eu acredito que 8 episódios dariam conta da historia e eles já podiam ter começado com a entrada do Alex. Os diálogos (monólogos) longos e as longas caminhadas em silencio foram realmente cansativas, mas a historia não é ruim e assim a mini serie não foi de todo um desperdício. É uma historia pra questionar o que é certo e o que é errado, tanto que no final quando você espera um desfecho “trágico” veio o nada, ninguém foi punido, Alex vai pra outro país e Ana e Tristan acabam juntos.

  4. Elaine Rocha de Oliveira

    No geral, fiquei satisfeita com a série, porque adoro livro e tem muitas referências nela. Além disso, o final explicou muita coisa, como o motivo do jogo: que (eu entendi assim), era preencher o vazio que Ana e Alex tanto sentiam.

  5. Felipe Ameno

    Pati, muito obrigado pela visita e o comentário.
    Concordo com vc, se fosse uma minissérie, teria sido melhor.
    Esse final condiz com a personalidade de Alex e Ana, os filhos do nada!

  6. Felipe Ameno

    Elaine. obrigado comentário e pela visita! Concordo com seu ponto de vista, mas para quem tem um discuso tão profundo como o de Alex e Ana um jogo para preencher o vazio é um motivo meio sem graça! Esperava mais! :(

  7. Fernanda

    Eu achei a série interessante, mas para falar a verdade esperava mais do final. As longas cenas de caminhadas e tal foram as minhas favoritas, pois eu amo esse tipo de filmagem. Mas algumas coisas eu achei desnecessário como tantas cenas de sexo. Se eles tivessem feito cenas mais leves com certeza atingiria um público maior. O final eu também achei contraditório a história. Nunca li o livro mas pelo que eu havia pesquisado e o que falam é que é uma crítica a falta de moralidade. Mas no final a Ana e o Tristán ficam juntos. E a Bianca? Ninguém levou em conta que ela estava sendo traída e que isso é errado? Além disso no final, dá a impressão de que todo o jogo deles foi para um propósito, e ainda bom já que no final todos ficam “felizes” juntos. Como se todos pudéssemos fazer coisas horríveis com as pessoas para satisfazermos nossas próprias vontades egoístas.
    Os pontos de crítica, pelo menos para mim, eram unicamente encontrados nas falados do Hoffman. E no final, pareceu que a Ana, o Tristán e o Alex foram heróis. Eu esperava mais, mas não foi desperdício de tempo, afinal. Me fez repensar sobre meus princípios e como eu encaro o mundo.

  8. eletrotecnica.2812

    Desculpe-me a ignorância mas gostaria de saber se o relacionamento entre uma garota de 16 anos e um rapaz de 48 (incluindo várias relações sexuais) não seria considerado abuso ou sei lá o quê?
    Bem, apesar de alguns tópicos sem explicações(não li o livro rsrsrs) gostei da minissérie e dos seus reviews também. Valeu!

  9. Felipe Ameno

    Fernanda, obrigado pela visita e pelo comentário. As cenas de caminhadas eram lindas e recheadas de música boa, mas cansativas…
    Acho que a moral passou longe de Ana e Alex, que acabaram contagiando Tristán. Bianca foi totalmente esquecida e ignorada no final. O que mais me incomodou foi justamente não ter um motivo para aquilo tudo. Concordo com vc que a série me fez pensar, porém acredito que se tivesse sido contada em menos episódios, o resultado fosse melhor!

  10. Felipe Ameno

    Muito obrigado pela visita e comentário. Que bom que gostou dos textos! Realmente não tinha pensado nisso! Porém acredito que a questão da pedofilia nem tenha passado pela cabeça dos roteiristas! Eles queriam mesmo era chocar, não importando como… Uma pena, pq tinha tudo para ser muito melhor! Na minha humilde opinião… Abs

  11. Guest

    Olá, concordo em parte na sua opinião, eu realmente gostei muito da série,.. eu ando assistindo ela repetidamente Olá, concordo em parte na sua opinião, eu realmente gostei muito da série,.. eu ando assistindo ela repetidamente para tentar entender coisas que eu não consegui,.. li algumas opiniões aqui sobre isso e disseram que foi um dos propósitos da série deixar o espectador confuso e com uma vazio,.. e é isso que está acontecendo comigo,.. estou confuso sobre a série, tinha coisas que deveriam ser esclarecidas e que não foram e que fazem quem quer entender ficar muito mais confuso,.. concordo com você que a série seria melhor se fosse feita em menos episódios, seria mais fácil de entender pois as cenas que não nos levam a nada desviam o foco e dificulta a entender o que está acontecendo rs,.. pra mim o objetivo deles não foi chocar ninguém, hoje em dia ninguém fica chocado com cenas de sexo ou coisa do tipo mas concordo contigo que mostraram coisas desnecessárias.. enfim a série é meio confusa rs vou tentar correr atrás pra ler o livro e tentar entender da minha maneira isso tudo.. eu não acompanho muito a área do seu trabalho mas continue fazendo ele e bem feito como está fazendo (:

  12. Guilherme Soares

    Olá, concordo em parte na sua opinião, eu realmente gostei muito da
    série,.. eu ando assistindo ela repetidamente, para tentar entender coisas o que eu não consegui,.. li
    algumas opiniões aqui sobre isso e disseram que foi um dos propósitos da
    série deixar o espectador confuso e com uma vazio,.. e é isso que está
    acontecendo comigo,.. estou confuso sobre a série, tinha coisas que
    deveriam ser esclarecidas e que não foram e que fazem quem quer entender
    ficar muito mais confuso,.. concordo com você que a série seria melhor
    se fosse feita em menos episódios, seria mais fácil de entender pois as
    cenas que não nos levam a nada desviam o foco e dificulta a entender o
    que está acontecendo rs,.. pra mim o objetivo deles não foi chocar
    ninguém, hoje em dia ninguém fica chocado com cenas de sexo ou coisa do
    tipo, mas concordo contigo que mostraram coisas desnecessárias.. enfim a
    série é meio confusa rs vou tentar correr atrás pra ler o livro e tentar
    entender da minha maneira isso tudo.. eu não acompanho muito a área do
    seu trabalho mas continue fazendo ele e bem feito como está fazendo (:

  13. Lucas Q. Sousa

    O vazio de Alex e Ana não poderia ser preenchido, como Ana disse no final,
    a única coisa que nós cabe é tentar sobreviver.

  14. Lucas Q. Sousa

    A série é muito sublime, coisas são esclarecidas com tanta sutileza que acabam não sendo percebidas.

  15. Bruno Rocha

    Triste. Não chegou nem a saciar minha curiosidade.
    Não teve nem foco nas falas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account