Log In

Notícias

5 motivos que fizeram o Emmy 2015 ser antológico

Pin it

A 67ª edição do Emmy Awards, realizada no último domingo foi mais do que especial. A festa dos melhores da TV, que consagrou Game of Thrones e Veep, agradou em múltiplos sentidos. Andy Samberg convenceu no papel de mestre de cerimônias. Tracy Morgan surpreendeu com sua reaparição, recuperado de um gravíssimo acidente automobilístico. Mas mais do que isto, vários momentos da cerimônia foram marcantes e emocionantes e são representativos de mudanças no atual cenário da teledramaturgia. Confira:

5. A rainha da comédia.

Julia Louis-Dreyfus

Com a conquista de mais uma estatueta na categoria Melhor Atriz em Comédia, Julia Louis-Dreyfus não só se destaca como a principal atriz do gênero na atualidade, mas como uma das maiores atrizes de toda a história da TV. São ao todo 16 indicações ao Emmy ao longo de três décadas. Como lead actress esta é a quinta estatueta como melhor atriz (ela ainda possui uma por Seinfeld, esta como coadjuvante), igualando assim os recordes das lendárias Candice Bergen (Murphy Brown) e Mary Tyler Moore (The Mary Tyler Moore Show). Esta é também é a quarta vitória consecutiva de Julia por Veep (na foto acima estão as imagens destas quatro premiações) alcançando a marca de Helen Hunt (Mad About You). Alguém tem dúvida de que, aos 54 anos e no auge da carreira, Julia não vai quebrar estes dois recordes muito em breve?

4. Caiu a sequência de Modern Family.

Veep - Emmy 2015

Os detratores só faltaram estourar rojões em comemoração. Mas eis que caiu a perfeita sequência de cinco prêmios Emmy consecutivos de Melhor Comédia de Modern Family. Coube a Veep, que vive uma frase criativa realmente espetacular, quebrar esta série. Verdade seja dita, ainda que Modern Family volta e meia ainda nos surpreenda com seus episódios experimentais, ela já não tem o vigor dos primeiros anos. Um novo vencedor abre caminho para a renovação e amplia a competição entre os shows. De qualquer maneira, a marca de cinco Emmmys consecutivos de Modern Family e de Frasier dificilmente será igualada tão cedo – imagine então ser batida.

3. A HBO não está mais só. Nem a Netflix.

Uzo Aduba e Jeffrey Tambor

Não se iluda, a HBO ainda manda na televisão norte-americana (foram 43 prêmios e 126 indicações ao Emmy em 2015; a única emissora que teve melhor desempenho foi a rede CBS, no longinquo ano de 1974). Mas o video on demand deixou de ser o elemento surpresa e hoje ocupa lugar de destaque na indústria. Até o ano passado a Netflix só havia ganhado prêmios das categorias criativas (que são anunciados em uma cerimônia uma semana antes da premiação principal). Este ano uma estrela da Netflix subiu ao palco no domingo: Uzo Aduba, a vencedora do Emmy de Melhor Atriz Coadjuvante em Drama por Orange is the New Black. Mas é importante lembrar que nem tudo que é bacana e é importante e gera buzz na TV está no catálogo da sua Netflix. Uma única série da concorrente Amazon levou cinco estatuetas para casa: Transparent. A pujante dramédia sobre um pai de família que se revela transgênero levou dois dos principais prêmios da noite – Melhor Ator em Comédia para Jeffrey Tambor e Melhor Direção em Comédia para a criadora Jill Soloway. A pouco comentada Amazon bateu a onipresente Netflix e isto é muito bom pro mercado.

2. A série mais pop venceu

The Cast and crew from Game of Thrones pose in the Press Room with their awards for Outstanding Drama Series during the 67th Emmy Awards on September 20, 2015 at the Microsoft Theater in Los Angeles, California. AFP PHOTO / VALERIE MACON

A estatueta de Melhor Série Drama para Game of Thrones foi de fato uma surpresa. Afinal, até mesmo os fãs mais entusiasmados da série andaram revoltados nos últimos meses com os rumos (e mortes) da série baseada no universo de George R.R. Martin. Possivelmente este Emmy seja um prêmio mais do que uma estátua para o desempenho da série na temporada, uma estátua para o conjunto da obra. Game of Thrones, assim como Breaking Bad no ano passado, ultrapassou barreiras da teledramaturgia, foi além do que se imagina e do que se espera para um drama tão violento, cruel e chocante. A série mais pop e de maior audiência venceu e isto é realmente pouco comum, porque os critérios da Academia costumam ignorar estes aspectos. A última vez que uma série com características assim levou o mais importante prêmio Emmy foi Lost. Isto foi em 2005. Lá se vão 10 anos!

1. E, claro, tivemos Viola.

Viola Davis

Viola Davis

Nem é preciso comentar, né?

Séries citadas:

É jornalista, pós-graduado em Jornalismo Digital pela Pucrs e trabalha com produção de conteúdo para Internet desde 1995. É editor de internet do Jornal do Comércio, de Porto Alegre. Fundou o TeleSéries em agosto de 2002. Na época, era fã de The West Wing, The Shield, Família Soprano e Ed. Atualmente é viciado em The Good Wife, NCIS, Game of Thrones e Parks and Recreation.

3 Comments

  1. biancavani

    Adorei Veep, Olive Kitterridge e Game of Thrones terem ficado com o Emmy, mas as outras séries não estou vendo (embora assista a outras trocentas).
    Agora, por que GoT não havia ainda ganhado é um grande enigma. Ela é perfeita, e não digo isso como fã tipo torcedora fanática de futebol. Diálogos, locações, atores, roteiro: tudo absolutamente sensacional. Talvez não tenha sido mais votada porque, como é a mais popular no sentido de ter mais audiência, os votantes acharam que podia parecer que votavam em algo popular no mau sentido. Ah, com prêmio ou não essa série vai continuar bombando até a sétima (segundo li) última temporada.

  2. Paulo Serpa Antunes

    É que se você considerar os anos anteriores – era difícil mesmo bater Mad Men no auge, Breaking Bad, Homeland no início. Este ano o caminho ficou realmente mais aberto.

  3. biancavani

    Mas então, para dizer o mínimo, todas essas por você citadas atingiram o mesmo patamar de excelência de GoT.
    Acho que é o seguinte: as pessoas – entre elas, os juízes – tomam a “seriedade” do tema como “seriedade” da obra. Isso vem desde a Tragédia X Comédia. Hoje, as premiações distinguem drama de comédia, senão a última nunca conseguiria um prêmiozinho sequer.

    Do mesmo modo, o gênero ficção científica e o fantasia (ainda que soft, como GoT) nos parecem sempre ter um estatudo menos elevado que um drama. E, assim, são premiados muito raramente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log In or Create an account